27 de março de 2005

Cem anos de seca...

Acabei ontem de ler "Cem anos de solidão".
Esteve na mesa de cabeceira quase um ano!
A minha mania de SÓ ler livros na cama (no sofá leio revistas e vejo televisão - normalmente em simultâneo...) e com a "ajuda" do tempinho que gasto aqui a escrever e a ler blogs, deu no que deu!
Mais uns dias e acabava por ler o romance em tempo real!
Ok, ok, vou chocar muita gente (até apostava que vou chocar alguns que nunca o leram...) mas a verdade verdadinha é que não gostei do livro.
E como demorei tanto a ler, tive de o recomeçar por três vezes!
Mesmo assim tive dificuldade em apreender tanto Aureliano, tanta Amaranta, tanta Úrsula!
Terá sido propositada esta repetição de nomes ou faltou a imaginação ao Marquez?
E também não gostei porque não sou grande fã de histórias fantasiosas, a não ser em livros infantis.

feriasp.jpg


Amanhã vou até ao Sul, laurear a pevide. Vamos os quatro (eu, marido, filhota e genro). Estamos todos a precisar de mudar de ares e de uns dias sem nada para fazer a não ser jogar à sueca, dar uns passeios pela praia e pela zona serrana e, quando chover, pelos centros comerciais. (É que nestas ocasiões falta sempre um livro, ou um agasalho, ou uma roupa mais fresca... Bom, pretextos é que não faltarão!)
Vou estar longe de computadores - faz parte do descanso - e vou levar para ler "O Código da Vinci". Como vêm, ando sempre atrasada nas leituras, nunca leio os livros quando estão na berra. Mas, como o filme não está pronto, ainda vou muito a tempo.
Se me apetecer ler mais, vou ter de fazer o "sacrifício" de procurar uma livraria. (Estas coisas são todas bem estudadas... Se eu levar uma resma de livros fico sem desculpa nenhuma para comprar outro...)

E agora vou fazer a mala.
Odeio fazer malas, é a parte má destas coisas.
Levo o fato de banho ou a gabardine?
As chanatas ou as botas altas?
O protector solar ou aquela máscara que está para ali a perder a validade e que eu nunca tenho pachorra para pôr?
O guarda-sol ou o guarda-chuva?
T-shirts ou camisolas de gola alta?
O meu pijaminha azul de alças e calções ou o vermelho de algodão cardado?
Correndo o risco de o meu marido me mandar ir a pé, acho que vou meter tudo para o saco!
Ufff! Passeante sofre!
Na volta visito todos, conto novidades e publico as fotos!

26 de março de 2005

Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água celebrou-se por estes dias.
No ano passado publiquei esta imagem impressionante.
Como este ano o assunto ainda é mais pertinente (embora o seja sempre, nós é que só nos costumamos lembrar das coisas quando elas nos afectam directamente) resolvi repeti-la.
Pode ser que assim todos nós entendamos melhor a seriedade do assunto...

aguapotavel.jpg

Do lado esquerdo o tubo azul representa toda a água que existe na Terra, nas suas diversas formas. A "tacinha" do meio representa a água doce e a imagem da direita, embora não esteja muito nítida É uma colher de chá que representa a ÁGUA POTÁVEL disponível... É uma imagem deveras sugestiva e elucidativa!! Pensem duas vezes da próxima vez que deixarem a torneira aberta enquanto lavam os dentes, ou então quando resolverem encher a banheira de água para tomar um simples banho...

Podem ver os "originais" (e muito mais coisas giras) no Centro de Ciência Viva de Vila do Conde. É uma boa sugestão para um destes domingos de Primavera... Podem e devem levar os filhotes porque há muitas actividades para eles.

POUPEM ÁGUA PORQUE JÁ NÃO SE FABRICA!!!!

25 de março de 2005

Núcleo duro

A minha filha passou estes dias de convalescença cá em casa.
Isso fez com que acontecesse uma situação que já não acontecia há anos: ao almoço estávamos os quatro à mesa: eu, o meu marido, ela e o irmão.
O nosso "núcleo duro".
Às tantas as nossas refeições pareciam as de há alguns anos atrás, sempre a tagarelar uns para cada lado.
Fala-se a propósito de tudo e de nada, coisas banais ou coisas mais importantes, mas fala-se sempre muito...
Refila-se (muito!) e às vezes também se discute, mas ninguém eleva a voz.
Também não se dizem palavrões cá em casa, por isso é que me faz tanta confusão as pessoas que não sabem falar (ou escrever) sem os estar sempre a utilizar.
Nós realmente formamos uma família fora do comum, e digo-o com vaidade e sem falsas modéstias...

23 de março de 2005

Os dias mais tristes

Na passada quarta-feira, dia 16, a minha vida ficou em suspenso: a minha filha, grávida de sete meses, perdeu o bebé.
Ficou internada logo nesse dia, mas só na sexta-feira à noite foi, finalmente, feito o parto.
Não é preciso entrar em pormenores para perceberem como estes dias têm sido difíceis de ultrapassar. Principalmente para ela, mas toda a família sofreu com tamanha perda.
E eu, que sofri em duplicado: pela perda que ela sofreu e por a ver a sofrer tanto, sem nada poder fazer para a consolar...
O principal motivo que me leva a contar aqui um acontecimento tão íntimo da família (embora tenha hesitado bastante) foi o facto de ter concluído que o meu blog afinal não é um mero passatempo: é um autêntico diário, um local onde desabafo as tristezas e partilho as alegrias.
O outro motivo foi agradecer o carinho de todos os que me mandaram mails ou telefonaram.
Obrigada a todos!

14 de março de 2005

A lógica de Einstein

einstein.jpg Nasceu a 14 de Março de 1879, em Ulm na Alemanha. Se os seres humanos tivessem uma esperança de vida "decente" ele festejaria hoje 126 anos.

Mais do que as suas teorias da Física (das quais não percebo grande coisa) gosto do Einstein por ter sido uma pessoa lutadora que nunca se deixou abater.
Teve problemas no seu país de origem (afinal não é só em Portugal que estas coisas acontecem...) e nem por isso se fez de coitadinho: "não me ligam nenhuma no meu país, a mim que sou um génio, então vou para arrumador de automóveis ou para colunista de jornal..."

Gosto muito mais dos seus pensamentos contundentes e das histórias que lhe atribuem, como esta que se segue...

Conta certa lenda, que estavam duas crianças a patinar num lago gelado. Estava uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo quebrou-se e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo o seu amiguinho preso, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim, quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como conseguiste fazer isso? É impossível que tenhas conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode dizer-nos como?
- É simples - respondeu o velho: não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não seria capaz.

( Albert Einstein )

13 de março de 2005

Apelo urgente...mesmo!

Pediram-me para fazer aqui este apelo e eu, com o meu coraçãozinho de manteiga não pude recusar...
Desde já agradeço, em nome do rapaz, a quem puder ajudar!


bilhetes.jpg

12 de março de 2005

O país dos farmacêuticos...

Quando era miúda morava numa vila de tamanho médio (e com muitas aldeias à volta) e onde só havia uma farmácia.
Muitas vezes acontecia que os medicamentos que eram necessários estavam esgotados e as pessoas tinham de esperar ou deslocar-se (normalmente de camioneta pois pouca gente possuía carro) à vila mais próxima, o que acarretava despesas e chatices...
Quando fiquei mais grandinha comecei a estranhar e a perguntar porque carga d'água não havia outra farmácia na vila.
Então o meu pai lá me explicava que não havia porque o "senhor doutor M." (que era o dono), não deixava que abrissem outra farmácia...

Mais de 30 anos se passaram e a situação continua idêntica: os farmacêuticos formam um "lobbie" de tal maneira poderoso que até hoje nenhum governo teve coragem de defrontar.
Hoje, em pleno discurso de tomada de posse, o novo primeiro ministro disse que a situação vai mudar.
Ainda nem bem tinha acabado o discurso e lá estava a "organização" farmacêutica a contestar uma medida tão "absurda"!
Tanta preocupação com a nossa saúde até comove!!

Ou vão-me dizer que é perigoso comprar Aspirina no hiper?
Ou será que pensam que o pessoal se vai suicidar com comprimidos para a prisão de ventre?
(Eu cá escolho um xarope para a tosse, daqueles docinhos!)

Não insultem a inteligência das pessoas!
Faço votos para que Sócrates leve a dele avante e não recue cheio de medo como todos fizeram até aqui...
A ver vamos, como diz o cego!

11 de março de 2005

José Mourinho

Gosto do José Mourinho, pronto!
Isto embora não ligue patavina ao futebol nem ao seu mundo enigmático e tortuoso.
Numa altura em que todos se queixam que nós não temos auto-estima, que somos uns coitadinhos, que andamos sempre a pedir desculpa por existirmos há um homem que faz exactamente o contrário:
é excelente na sua profisssão, orgulha-se de o ser e faz publicidade disso!

O mais engraçado nisto tudo é que se calhar são os mesmos "filósofos de algibeira" que por aí andam a criticar o nosso comportamento-português-típico-do-desculpe-qualquer-coisinha-obrigadinha-de-nada que chamam ao Mourinho arrogante e vaidoso!
Vá-se lá entender esta gente!

Isto a propósito duma anedota que recebi e que parece circula na Inglaterra.
Aqui vai ela em inglês e tudo e se não perceberem qualquer coisinha vão ao dicionário que foi o que eu fiz!

Arsene Wenger, Alex Ferguson, and Jose Mourinho all perish in a plane
crash and went to meet their maker. The supreme deity turned to Wenger and asked, tell what is important about yourself.

Wenger responded that he felt that the earth was the ultimate importance and that protecting the earth's ecological system was most important.
God looked to Wenger and said, " I like the way you think, come and sit at my left hand".
God then asked Ferguson what he revered most. Ferguson responded that he felt people and their personal choices were most important.
God responded, " I like the way you think, come and sit at my right hand". God then turned to Mourinho, who was staring at him indignantly.
God asked "What is your problem Mourinho?"
Mourinho responded " I think you are sitting in my chair".

10 de março de 2005

Sem título...

Hoje roubei este post ao Santos Passos.
E não digo mais nada, não vale a pena.
Aliás, posso dizer-lhe uma palavrinha: Obrigada!

«Viva a saltapocinhas
Podem me chamar de bocó (esse termo nem mais se usa), mas várias vezes me emociono com detalhes da educação em Portugal. É o facto, por exemplo, de um concelho pagar a um taxista pra que leve à escola - todo santo dia - um aluninho perdido em alguma aldeia remota. Essa destinação de uma fatia do orçamento demonstra a importância que os portugueses reconhecem na educação. Eles, de natural tão pão-duros, "esbanjam" para que uma criança tenha acesso ao estudo. Sei que mesmo assim é pouco. Meus primos do Alentejo me contaram que a escola em que estuda sua filha não consegue verba pra pagar a alguma senhora pra que fique com as crianças nas horas em que não está a professora. Mas, comparada a situação portuguesa à brasileira, não. Não há comparação. Crianças do sertão andam quilômetros, todos os dias, para ter acesso à escola. Quando há escola. Afinal, nossos atuais dirigentes esnobaram escolas e estudos e "deram certo". Pra quê desperdiçar dinheiro com essas bobagens?Tudo isso a propósito de uma professora de Aveiro que teve a idéia de fazer seus alunos da segunda série (imagino que crianças em torno dos oito anos, por aí)produzirem um blog.Não deixem de visitar o
Blog dos Golfinhos.É, antes de tudo, um tributo ao futuro. Um investimento na qualidade da posteridade. Quase dizia que é uma pena que "saltapocinhas" seja pseudônimo. Gostaria de homenagear a pessoa verdadeira que se esconde sob esse rótulo.Ao pensar mais um pouco, descubro que isso é bom. No pseudônimo, com seu caráter anônimo, fica uma homenagem a tod@s @s professor@s portugueses.»

E eu agradeço em nome de todos os professores portugueses e fico ainda esperançosa de que nem tudo esteja perdido aqui no nosso cantinho...

8 de março de 2005

Exames: sim ou não?

Não me esqueci da promessa que fiz no Memória Flutuante de comentar o post sobre exames.
Só que o comentário estava a ficar enorme e resolvi transformá-lo em artigo, ficando assim mais aberto à discussão num blog que não é tão dirigido a professores.
Tal como David Justino também acho que às vezes o bom senso e o senso comum resultam melhor que muitos estudos... O pior é quando o senso comum de bom senso não tem nada!
O meu bom senso (e muitos anos de prática) diz-me que exames no 1.º ciclo nem pensar!
Nestas idades as avaliações devem ser contínuas. Até os próprios testes de avaliação trimestral não mostram aquilo de que os alunos são capazes.
Eu faço-o por uma certa obrigação e também para os pais verem a evolução dos seus meninos. Se fosse só para mim, nem preciava de os fazer...
Já no 9.º ano e como muito bem refere Varela de Freitas no seu post, a situação é diferente. Chega-se lá com 15 ou 16 anos e já se deve ter uma ideia do que se quer da vida. E o exame surgirá como um ponto de viragem: se quer continuar a estudar já está na altura de enfrentar uma selecção, pois daí para a frente as coisas não vão ser fáceis.
Por outro lado se até aí não conseguiu grandes resultados nos estudos talvez seja altura de mudar de rumo...

Mais do que investir em exames deve-se investir em cursos tecnológicos virados para a vida prática e acessíveis àqueles jovens que não gostam de estudar!
Ninguém pensa (porque se calhar não é políticamente correcto) nos direitos daqueles que não gostam de estudar. Eu, como me passam muitos pelas mãos, sei o sofrimento desses jovens que queriam ser carpinteiros, electricistas, cabeleireiras... mas que têm de penar numa escola que nada lhes diz... E depois vão reprovando ano após ano num ciclo vicioso que não é favorável nem à escola nem aos alunos!
É tão violento obrigar a estudar quem não o quer fazer como retirar da escola aqueles que gostariam de continuar os estudos.
Porque será que ninguém pensa nisso?

6 de março de 2005

Falta de chá...

... de educação
... de vergonha na cara
... de responsabilidade
... de visão
... de... (tudo o que queiram acrescentar)

...e ainda é pouco para justificar a atitude daqueles imberbes de inteligência (se não existe acabei de inventar...) que são os putos do PP.
Retirar a fotografia de Freitas do Amaral da sede do partido que ele FUNDOU é um acto que não tem justificação.

Em 1975 era perigoso entrar numa sede do CDS. Eu fi-lo uma vez, acompanhando um colega de liceu que era militante do partido (eu tinha 15 anos, não era do CDS nem de partido nenhum). Ajudei-o a trazer uns cartazes e fomos insultados à saída. Ele, mais politizado, passou maus bocados no Liceu e foi marginalizado até por professores!!
Esta cambada de betinhos que vai retirar o retrato da parede, às tantas ainda não eram nascidos nessa altura, não fazem ideia da coragem que era precisa para se assumir em 75 como sendo de "direita". Coragem essa que Freitas do Amaral sempre teve...
Agora vêm mostrar ao mundo como são ignorantes! E pensar que estivemos anos a ser governados por gente desta laia! Que raiva!

......................................................

Hoje tinha este recado no meu cantinho de comentários:
«Estás a votos no PECISCAS para o nick com mais pinta. Podes começar a campanha!»
Claro que fui logo espreitar o blog em questão e lá havia uma lista de nicks para as pessoas escolherem o que acham ter "mais pinta"!
Olhei para os nomes todos e descobri que só três têm pinta: o meu, o da Blogotinha (uma pinta cada) e o da Grilinha (com duas pintas).
Ou seja, esta votação está decidida antes de ter começado... assim não vale!
Mas, uma vez que já tinha ido até lá, aproveitei a viagem e votei... em mim, pois claro!
Agora espero que muitos de vós façam o mesmo e votem em mim!
É que já disse cá em casa que tinha ganho as eleições do nick com mais pinta e agora não quero passar por mentirosa!

5 de março de 2005

Desaparecimento...

Perdeu-se na zona de Aveiro ou arredores um "sentido de humor".
Não trazia vestido nada de especial, não tem nenhum sinal particular, nada há que o diferencie dos outros.
Era um sentido de humor banal que achava graça a quase tudo.
Mas era o meu, faz-me imensa falta, daí este apelo.
Se por acaso encontrarem por aí perdido um sentido de humor sem pessoa é capaz de ser o meu... Por favor, devolvam-mo.
Já se, também por acaso, encontrarem uma pessoa sem sentido de humor, fujam, pois posso ser eu!
.......................................

Há um pequeno desafio "para os adultos" no blog dos meus meninos. Espreitem aqui!.

3 de março de 2005

Conto de fadas moderno

"A princesa morre e o príncipe aproveita para se casar com a bruxa..."

Bem, pelo menos em Inglaterra é assim...

1 de março de 2005

Dias maus...

... sabem aqueles dias em que só ficariam satisfeitos se tivessem dado um murro valente nas trombas de uma pessoa?
... mas que não pode ser, não se deve agredir ninguém, blá blá blá, nem mesmo quando nos entram pelo local de trabalho adentro com insultos e ameaças histéricas?
Pois hoje tive um dia assim!
Valeram-me a colega, a funcionária, os miúdos (que são uns queridos e que têm um sentido de justiça apuradíssimo), mais tarde o marido, depois um banho quente e agora vocês...

E eu fico a pensar o que vai ser um dia daquela menina, tendo de aturar uma mãe doida de pedra, que a constrange assim em frente dos colegas.
.............................................

Agora para desanuviar:
Título do Correio da manhã de ontem:
Évora: Procissão a pedir chuva cancelada devido ao mau tempo