30 de novembro de 2009

.

Para tratar de gente como este ser, que ontem matou a ex-mulher à frente da filha de 5 anos e depois ainda matou um agente da GNR, devia ser restaurada (já que estamos quase no dia da restauração) a pena de prisão perpétua.

Ou então, a pena máxima poder ser aplicada cumulativamente tantas vezes quantos os crimes cometidos.
Pode ser que diminuam os criminosos, se o crime deixar de compensar...

26 de novembro de 2009

E volta aquele de quem não quero dizer o nome...

Já foram distribuídos aos professores os impressos para pedir os Magalhães para os novos alunos do 1.º ano.
Esta medida populista, demagógica e praticamente inútil, continua.

Na minha turma, de 13 Magalhães que foram dados às crianças em Março, há apenas 3 sobreviventes.
As mães dos alunos com computadores "falecidos" queixam-se na escola, como se eu tivesse alguma culpa.
Quando lhes digo que devem ligar para o número de assistência, dizem-me que de lá ninguém as atende (e os computadores têm todos menos de 1 ano o que deveria dar direito a accionar a garantia).

E, estando as coisas neste pé, que credibilidade merecem estes políticos?

24 de novembro de 2009

Socorro!

(homens fora daqui, vocês não conseguem entender estes problemas...)

Às mulheres, vejam lá se não são solidárias comigo, neste grave problema existencial:

Ponto 1
Não tenho onde arrumar a roupa, já invadi todas as gavetas e roupeiros cá de casa, que são várias e vários.

E por outro lado,

Ponto 2
Não tenho o que vestir!

20 de novembro de 2009

Até que enfim!

Parece que é definitivo e a carreira de professores dividida em duas categorias vai mesmo acabar...

Era este o busílis da questão e não a avaliação, como todos - ministra, jornalistas mal informados, 2 ou 3 comentadores iluminados - queriam fazer crer para pôr a opinião pública contra os professores.

Nenhum professor aceitou esta divisão da carreira, nem mesmo os que se viram assim "promovidos". A ministra contava que, pelo menos estes, a apoiassem, mas não: os professores mostraram ser uma classe unida (ao contrário do que até os próprios pensavam!).

Em pleno Outono, parece que se aproxima uma nova Primavera...
Já não era sem tempo!

19 de novembro de 2009

A minha rua vai ficar famosa (se calhar)

Perto de minha casa há um camião estacionado abandonado há mais de um ano.
Um vizinho a quem ele estorva especialmente (a mim só estorva a vista, a ele estorva-lhe a entrada na garagem) já fez queixa à PSP há séculos.
Os polícias vieram, não sei que lhe disseram, mas não nada se resolveu, o camião lá continua impávido e sereno...
Hoje andaram por aqui repórteres da SIC a filmar o trambolho.
Por isso, mais dia menos dia a minha rua vai aparecer na televisão!

Isto passa-se no mesmo país onde se pagam multas exorbitantes se se deixar, por exemplo, um saco de lixo - ou de papel - fora do contentor.
Mas se for um carro ou um camião, isso não tem importância nenhuma!

17 de novembro de 2009

E vivam os mestrados!

Hoje, parte da minha aula da tarde foi assistida por 2 candidatas a professoras (não se chamam estagiárias, mas é como se fossem).
Pelo que me explicaram, o curso - que agora é de 4 anos (passou de 3 para 4 há uns anos) - inclui um mestrado no último ano por causa dessa-coisa-de-Bolonha.

Ou seja: apesar de se ter chegado à conclusão de que 3 anos de curso são suficientes, obrigam as pessoas a andar lá mais um ano. Para que elas não fiquem muito chateadas, concedem-lhes o grau de mestre!
(o que é uma injustiça imensa face a pessoas que têm cursos de 5 anos e são "apenas" licenciadas...)

E agora perguntam vocês: qual é o interesse das universidades em terem lá os alunos mais 1 ano?
A minha resposta/pergunta:
Será porque as propinas desse ano de "mestrado" são exorbitantes?

16 de novembro de 2009

Para que serve um referendo?


Bem, na minha humilde opinião um referendo serve para que toda a população de um país se manifeste acerca do que é referendado.
Por isso, eu acho que os referendos só são úteis quando o resultado do assunto em votação atingir toda a gente: os que querem e os que não querem.
Nesse caso a opinião da maioria prevalecerá e os outros têm de se conformar (como aconteceu com a regionalização, por exemplo).

Mas, nos casos em que o "fazer" ou "não fazer" - seja uma interrupção de gravidez, seja casar com uma pessoa do mesmo sexo - depende só e unicamente do livre arbítrio de cada um, para que serve um referendo?

14 de novembro de 2009

Estou triste!

É que eu pensava que era essencial e, pelos vistos, não sou..
Não vai haver vacina para mim porque não faço falta nenhuma!

Já agora, quem faz mais falta: eu ou o Sócrates?
Eu ou a ministra da Saúde?
Eu ou os deputados?

Experimentem perguntar aos meus alunos que eles respondem logo que sou eu!
(ia dizer "experimentem perguntar ao meu marido", mas é melhor não arriscar!)

11 de novembro de 2009

São Martinho

Perguntava aos alunos a professora, cheia de esperança de que naquelas cabecinhas existisse uma réstea de lembrança da história ouvida já 2 vezes por uns e 3 vezes por outros:
(ah, a professora era eu...)

"E então meninos, alguém ainda se lembra quem era o S. Martinho?"

"Eu lembro" - responde prontamente a F. - "era vendedor de castanhas!"

10 de novembro de 2009

A esmola

Depois de ter ganho as eleições, o primeiro ministro ia a passar numa rua de Lisboa, com a mãe.
Precisamente nessa rua, estava um cego, a pedir.
Então, a mãe do primeiro-ministro puxou de uma nota de 50 Euros, e deu ao cego.

Espantado, o primeiro-ministro, interpelou à mãe:
- Ó mãe! Então! Você foi dar 50 Euros a um cego?
Respondeu-lhe a mãe:
-Tu, está mas é calado!
Se não fossem os cegos, tu hoje não eras primeiro-ministro!

8 de novembro de 2009

5 de novembro de 2009

Que boa notícia!


Venho aqui só para vos dar uma excelente notícia:

Cliquem AQUI.

(foi a Emiele quem achou a notícia, eu só lha roubei)

E agora correm a comê-lo!

4 de novembro de 2009

Sem eira nem Beira... Mar

A propósito do que escrevi há muito tempo sobre o assunto do campo de futebol do Beira-Mar, foi-me deixado este vídeo na caixa de comentários.



Eu continuo a achar o que sempre achei: fazer um investimento daqueles, com as despesas que acarretou para a Câmara Municipal (e que ainda não acabaram) foi a maior barbaridade de todos os tempos.
Nem era preciso ser muito esperto para entender que um empreendimento gigantesco, para uso de um pequeno clube de futebol, e ainda por cima a milhas da civilização, só podia ser um fiasco.
E com as manias de grandeza dos outros eu posso bem, desde que não sejam realizadas com o meu dinheiro...
O que não é o caso!

2 de novembro de 2009

Parabéns Carlos Paião!

Se há pessoas que não deviam morrer nunca, uma delas seria o Carlos Paião.
Um homem com uma imaginação sem limites, que morre num estúpido acidente, quando a vida dele devia estar apenas no início (tinha apenas 30 anos!)
Carlos Paião faria hoje 52 anos, por isso, onde quer que estejas: Parabéns!

Escreveu muitas canções, entre elas aquela que é para mim a mais linda canção romântica: