31 de março de 2010

E se acabassem com os comentários?

Mas não aqui! Aqui podem e devem comentar! :)

É uma moda, que parece que veio para ficar, os comentários nos jornais online.
Mas comentar o quê, se os jornais relatam factos?
E os factos não "pedem opinião", existiram e pronto.

É deprimente ler aquilo: gentinha a mostrar o seu lado pior, destilando veneno contra os seus ódios de estimação, a dizer mal de tudo, com ou sem conhecimento de causa!
E gente sem vergonha na cara, porque, se queriam comentar num jornal podiam ao emnos pedir a alguém que os ensinasse a escrever em português!

Se pensam que estou a exagerar, leiam o seguinte "comentário" que copiei um dia destes (já não sei de que jornal, mas devia ter anotado para nunca mais lá voltar!!)

A notícia era sobre um acidente rodoviário.

«NAO FOI POR ACASO MAIS EU NESSE MOMENTO PASSEI POR ESSE LOCAL ONDE OCURREU O ACIDENTE MAIS NAO DOU O ACIDENTE DEVIDO A QUEDA DE GRANISO MAIS SIM COMO OS CONDUTORES ENRESPONCAVEIS CONDUZIAM HA MUITA ENRESPONCAVELIDADE E EGONORANCIA DA PARTE DOS CONDUTORES CUANDO A ESTRADA ESTA MOLHADA DEVE AVER A ATENCAO E O CUIDADO REDUBRADO ! OS MEUS SENTIMENTOS AUS FAMILIARES DOS FALECIDOS CURAGEM ! no fundo nos nao somos nada! mais ha muitos que andam na estrada e penam que so e deles mais a estrada e minha e de todos os que respeitam a seguranca depois de um acidente levanta-se as maos e tarde !!!!»

Não seria uma boa ideia acabarem com os comentários nos jornais?

23 de março de 2010

Eu cá resolvia os problemas

de indisciplina no futebol (ou melhor, "à porta" do futebol) de uma maneira muito simples:
em vez de mandar para lá montes de polícias - que com certeza estão a fazer falta noutros lados - tomar conta daqueles energúmenos, deixava-os lá ficar todos, uns com os outros.

Só teria de haver o cuidado de fazer o jogo num local que se pudesse fechar, para não prejudicar inocentes.
Quando estivessem todos lá dentro, fechava-se tudo muito bem fechado e pronto...

No dia seguinte era só ir lá e limpar tudo.

Haviam de ver se não se acabava com esses vândalos!

20 de março de 2010

Limpar Portugal

Foi hoje, mas, a julgar pelas notícias que tenho ouvido, parece que não resultou e continua tudo na mesma... assaltos, corrupção, violência... o costume.

(ai não era essa a limpeza?)

A outra, a das lixeiras, também não me convence:
Quem limpou hoje não o vai fazer sempre.
Por outro lado, quem sujou será persistente e continuará a sujar.
Não são medidas de um dia que resolverão seja o que for.
São as de todos os dias. E nessas, eu participo 365 dias por ano, quer a manter limpo tudo o que posso, quer a tentar mudar mentalidades.

Gostava que tivessem feito um pequeno inquérito ao pessoal que lá andava, à chuva, a limpar o que outros sujam: gostava de saber quantos beneficiários do rendimento de inserção participaram nas limpezas.

19 de março de 2010

Se eu fosse

primeiro-ministro, também não iria perder o meu tempo a ir "depôr" naquela palhaçada que dá pelo nome de comissão de inquérito.
Já vi lá um fulano a exibir uma t-shirt e a dizer com que roupa vai para a cama, já vi um outro um ror de tempo a falar do FCP (!!!) e ainda um outro - que o interrompeu - a demorar o mesmo tempo só para dizer que aquilo não era assunto para ali...

Tanto palhaço para tão pequeno circo!

17 de março de 2010

Quando passamos a vida a ler notícias assim:

  • Rui Pedro Soares recebeu 1, 5 milhões da PT;
  • Zeinal Bava e Henrique Granadeiro ganharam mais de 4,1 milhões de euros;
  • Até agora os prémios dos gestores da REN tinham um máximo equivalente a 12 salários e esse tecto passa para seis ordenados (tadinhos...);

só para citar alguns títulos dos jornais de hoje, como querem que as pessoas normais, as que trabalham e sustentam este país se conformem?

11 de março de 2010

Quem tramou Carlos Cruz?

Acabei de ler o livro de Carlos Cruz, "Preso 347".
Confesso que o comprei só agora e porque o preço era apenas simbólico.
Mas ainda bem que o comprei: pude saber dos "acontecimentos" noutra perspectiva, sem ser a dos jornais e das televisões.


E fiquei bastante surpreendida com o que li: as acusações contra Carlos Cruz são apenas testemunhos, não há uma única prova concreta (por exemplo chamadas telefónicas, pagamentos em vias verdes das zonas por onde o acusam de ter andado, etc)!


E são os testemunhos credíveis?
A julgar pelo que escreve, são tudo menos credíveis.
As testemunhas que o acusam (3) dizem e desdizem, afirmam uma coisa num dia e outra completamente diferente noutro dia.
Foram ouvidos dezenas de vezes e raramente os depoimentos são coerentes.
O estranho é nunca terem sido questionados acerca de tantas contradições.

E fica no ar a grande dúvida:
Será possível prender um inocente?

Será possível uma pessoa ser condenada por pressão de jornais e televisões (Correio da Manhã, TVI), que teriam até o poder de manipular a opinião pública e os juízes?

9 de março de 2010

E se mudassem de alvo?

É que sermos sempre nós já chateia!


E, ao contrário do que muitos pensam, os funcionários públicos não ganham assim tãããão bem, atendendo a que na sua maioria são pessoas bem qualificadas.
Como se não bastasse o congelamento de salários, continuam a empregar apenas 1 pessoa para cada 2 pessoas que saem. O que quer dizer que o trabalho duplicará para quem fica!
(depois admiram-se da violência nos recreios das escolas, quando não há ninguém para vigiar os alunos)

Querem poupar dinheiro?
Que tal irem verificar, caso a caso, os beneficiários do rendimento de inserção?
Que tal irem verificar as pessoas que recebem subsídio de desemprego e só não novo têm emprego porque não aceitaram o que lhe ofereceram?
Que tal baixarem para níveis normais os salários de administradores e afins, de empresas públicas e semi-públicas?

Como podem ter a lata de pedir sacrifícios a uns (sempre aos mesmos, são os que estão mais à mão), enquanto outros ganham despudoradamente?

Todos imaginávamos que, à medida que vamos evoluindo como seres humanos e que vão evoluindo as técnicas de que dispomos, o tempo que dedicamos ao trabalho seria cada vez menor.

Mas não! Cada vez se trabalham mais horas e mais anos.

Que raio de evolução é esta?

7 de março de 2010

Uma fotografia por domingo (127)


Roam-se de inveja, os que trabalham em locais xpto, no meio da cidade...
Da janela do meu local de trabalho, a paisagem é esta!

3 de março de 2010

Mudam-se os tempos...


À procura de estacionamento, tive de contornar uma escola (de 2.º e 3.º ciclos).
Nas "traseiras" estava um grupinho de 3 ou 4 alunos. Alguns fumavam.

Segundos mais tarde, carro estacionado, e entrei, pela porta da frente.
Aí, do lado de fora da porta, alguns funcionários e professores fumavam o seu cigarrito...

Não há dúvida de que os tempos são outros!

... mas só para alguns!