28 de fevereiro de 2011

Rapidinha de segunda (vi)

(Estou a pensar lançar o meu blog numa carreira internacional.
Então, e para começar, uma anedota em castelhano!)


... Una pareja de ancianos que cumplía 65 años de casados decide ir a un restaurante para festejar.

Le cuentan al mozo qué tipo de festejo celebraban y entonces el mozo los ubica en un lugar romántico para que disfruten de la cena.

El viejito dice:

Mi Reina, dónde quieres sentarte?
Aquí, dice la anciana.
Mi Princesa, quieres un aperitivo para comenzar?
Si, un jerez, gracias.
Mi Ángel, qué te gustaría comer?
Ella pide la carta e hace su pedido.
Mi Dulce, qué vino quieres?

El mozo no podía creer lo que oía.
De repente la anciana se va al baño, y él: Ve, mi vida, yo aquí te espero.

El mozo sorprendido le pregunta el anciano:
- Cómo después de tanto tiempo llama Ud. a su señora con esa palabras tan lindas? "mi reina, mi ángel, mi princesa, mi vida", usted me tiene admirado.

El anciano lo mira y responde:
- ES QUE NO ME ACUERDO COMO SE LLAMA LA CABRONA

24 de fevereiro de 2011

É hoje!

É hoje que este estaminé completa 7 anos de existência, já deve ter direito a pertencer a algum clube jurássico de blogs, se é que isso existe!

Portanto, façam a vossa parte e dêem-me os parabéns!

Para não irem sem nada, sirvam-se de uma fatia de bolo!


Nota 1: (bolo de chocolate, receita na Bruxinha)

Nota 2: (obrigada, Flores, se não fosses tu nem me lembrava que era hoje)

21 de fevereiro de 2011

Rapidinha de segunda (v)

Uma mulher apaixonada envia um SMS, com muito amor, ao seu amado alentejano, dizendo:

Meu amor, se estás a dormir, envia-me os teus sonhos!
Se estás a rir, envia-me o teu sorriso!
Se estás chorando, envia-me as tuas lágrimas!
Eu amo-te!

Ao que o homem responde...
Mê amore .... tou cagando.
Queres que te envie alguma coisa?

20 de fevereiro de 2011

Uma fotografia por domingo (165)


Depois de atirar abaixo da estante um copo com lápis (de uma altura considerável), há que abandonar rapidamente o "local do crime"!
(só não contava com a perícia da fotógrafa!)

17 de fevereiro de 2011

Um serão do século passado


Foi o que tive ontem quando fiquei sem energia elétrica, a partir das 21 horas (e até às 6 da manhã!).

Sem energia, ficamos como que atabalhoados e não nos ocorre nada que seja viável.

A mim, sem televisão nem computador, ocorreu-me fazer um bolo ou uns biscoitos...
Embora a batedeira seja elétrica, posso bem dispensá-la, mas, e o forno?
Todas as alternativas foram sendo abandonadas, uma a uma.

Restou a lareira e a conversa, mas, apesar disso, o serão resultou grande demais, quando comparado com os "normais" em que o tempo voa.

14 de fevereiro de 2011

Rapidinha de segunda (iv)

Um abastado lavrador da Amareleja meteu-se no seu jeep e foi a um monte vizinho.
Bateu à porta.
Um puto de cerca de 9 anos vem abrir.
- O tê pai está em casa?
- Nã senhori; foi a Évora.
- Bem, a tua mãe está em casa?
- Nã senhori, ela também nã está. Foi com o mê pai.
- E o tê irmão Maneli? Ele está...
- Nã senhori, ele também foi com a mãe e com o pai.
O lavrador ficou ali uns minutos, mudando de um pé para o outro e resmungando sozinho.
- Posso ajudá-lo em alguma coisa, pergunta o rapaz delicadamente; ê sei onde estão as ferramentas; se quiser alguma emprestada; ou talvez possa dar um recado ao mê pai...!!
- Bem, diz o lavrador, com cara de chateado, realmente queria falar com o tê pai, por causa do tê irmão Maneli; ele engravidou a minha filha Raqueli.
O rapaz pensou por uns momentos:
- Lá disso nã sêi, terá de falar com o mê pai. Se lhe servir de alguma ajuda para ir fazendo contas, ê sêi que o pai cobra 500 pelo touro, 100 pelo cavalo e 50 pelo porco, mas realmente nã sêi quanto é que ele lhe vai levar pelo Maneli!

13 de fevereiro de 2011

Uma fotografia por domingo (164)



Ainda há casas "protegidas" assim. Eu sei que as pessoas têm medo de assaltos, mas esta não pode ser a maneira de os impedir!
Alguém me sabe dizer se esta barbaridade é legal?

12 de fevereiro de 2011

Facebook

Já tinha começado diversas vezes a tentar escrever o que penso do facebook, mas os génios da RFM resolveram o meu problema ao fazerem este verdadeiro hino ao facebook!
Taliqual!

10 de fevereiro de 2011

Morrer só

Morrer sozinho não deveria ser preocupante: afinal, se uma pessoa vive sozinha e é acometida de mal súbito, só pode morrer sozinha.
E é preferível morrer sozinho do que demasiado acompanhado, todo cheio de tubos, num hospital - é esta a minha opinião...

Agora o que já não é normal é morrer e isso só ser descoberto 9 (nove!!) anos depois!
Há um conjunto de falhas que devem ser investigadas e devem também ser castigadas as pessoas que falharam:
como é possível que a GNR nunca tivesse arrombado a porta?
como é possível a Segurança Social não se aperceber de que os vales não estavam a ser levantados?
como é que uma pessoa é punida por dívidas sem nunca ter recebido uma carta registada?
como é que as Finanças vendem uma casa em hasta pública sem nunca lá terem entrado?

Enfim, as televisões estão a aproveitar o acontecido para falarem até à exaustão dos velhinhos que vivem sozinhos... Nem sequer levam em consideração que muitas pessoas preferem viver sozinhas, a viverem "acompanhadas" em lares de idosos.

8 de fevereiro de 2011

Ensino privado*

Os meus alunos passam 9 horas por dia numa escola velha, desconfortável, degradada e gelada.
O refeitório onde almoçam é o velho telheiro (mal)tapado, onde chove como na rua.

No entanto, os pais deles pagam impostos que servem, entre outras coisas, para pagar aulas de equitação a outros meninos.

Isto é justo?

* porque é privado de tudo.

7 de fevereiro de 2011

Rapidinha de segunda (iii)

Um casal estava a jogar golfe num campo muito chique, ladeado por belíssimas mansões. À terceira tacada, diz o marido:
- Querida, tem cuidado ao arremessar a bola; ainda vais acertar num dessas casas e partir um vidro! Vai custar uma fortuna!
Nem terminou a frase: ela deu a tacada e a bola foi direita à janela da maior casa da vizinhança.

O marido desespera:
- Eu disse-te que tivesses cuidado! E agora, como vai ser?
- Vamos até lá pedir desculpas e ver quanto vai ser o prejuízo. Eles batem à porta e ouvem uma voz:
- Pode entrar.
Eles abrem a porta e vêem vidros espalhados pelo chão e uma garrafa partida perto da lareira. Um homem sentado no sofá diz:
- Foram vocês que partiram o meu vidro?
- Sim. Sinto muito, e quero pagar o prejuízo - responde o marido.
- Nem pensar! Eu é que vos agradeço. Sou um génio que estava preso nesta garrafa há milhares de anos. Vocês libertaram-me. Posso conceder-vos dois desejos! Cada um tem direito a um desejo e guardo o terceiro para mim.
- Uau! Que bom! - diz o marido. - Eu quero um milhão de dólares por ano para o resto da minha vida.
- Sem problemas! É o mínimo que posso fazer. E você, o que gostaria de pedir? - diz o génio olhando para a esposa.
- Quero uma casa em cada país do mundo - responde ela.
- Pode considerar o seu desejo realizado - diz o génio.
- E qual é o seu desejo, génio? - pergunta o marido.
- Bem, desde que fiquei preso nesta garrafa, há milhares de anos, nunca mais tive oportunidade de fazer sexo. O meu desejo é fazer sexo com a sua mulher.
O marido olha para a sua esposa e diz:
- Bem, querida, nós ganhámos um monte de dinheiro e todas essas casas. Acho que ele não está a pedir muito.
O génio leva a mulher para o quarto e passa duas horas com ela a fazer amor e mais amor...

Depois de terminar, enquanto se vestem, o génio olha para ela e pergunta:
- Quantos anos tem o seu marido?
- 35 - responde ela.
- E ele ainda acredita em génios?!?

6 de fevereiro de 2011

Uma fotografia por domingo (163)

A foto de hoje é também uma reclamação ao presidente da Câmara de Ílhavo:
gosto muito de dar uma voltinha pela praia da Costa Nova, antes de atacar o pastel de nata da praxe. Só que os belos dos passadiços de madeira por onde se passeava estão há algum tempo neste mísero estado!



Não tem por aí ninguém que os possa ir limpar?

5 de fevereiro de 2011

Música ao sábado (6)



Sou da geração sem remuneração
E não me incomoda esta condição
Que parva que eu sou
Porque isto está mal e vai continuar
Já é uma sorte eu poder estagiar
Que parva que eu sou
E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar

Sou da geração "casinha dos pais"
Se já tenho tudo, pra quê querer mais?
Que parva que eu sou
Filhos, maridos, estou sempre a adiar
E ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou
E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar

Sou da geração "vou queixar-me pra quê?"
Há alguém bem pior do que eu na TV
Que parva que eu sou
Sou da geração "eu já não posso mais!"
Que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou
E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar

3 de fevereiro de 2011

E querem ser levados a sério?

Nojentos, estes políticos!
Quando toca a tomar uma medida que ia realmente reduzir despesas a longo prazo, os deputados não querem ver o seu número reduzido.
Já quando se tratou de cortar nos ordenados de quem trabalha, não se fizeram rogados!
Estão tão furiosa que penso seriamente em deixar de votar!

1 de fevereiro de 2011

Aqui há tempos houve um padre,

(ou bispo, ou qualquer coisa do género) que levantou uma grande celeuma, por ter desaconselhado o casamento entre portugueses e muçulmanos.

Lembro-me de ter lido/ouvido imensos comentários a criticar a posição do clérigo, que nos casamentos entre pessoas da mesma religião é que havia violência e desentendimentos e bla-bla-bla.

Eu achei que o tal padre estava cheio de razão, que casar com uma pessoa com um estilo de vida, ou religião, ou cultura, muito diferentes da nossa, só podia trazer problemas.

O caso que está a acontecer do pai egípcio que raptou o filho à mãe portuguesa só veio provar isso mesmo.
Aquela mãe aprendeu-o da pior forma...

Infelizmente, há uma criança a sofrer horrores no meio disto tudo.