29 de fevereiro de 2012

Crónica de D. Fernando, Fernão Lopes

Dedico este belo texto ( e de facílima compreensão) a todos os que são contra o acordo ortográfico, mas principalmente ao senhor Secretário de Estado da Cultura e também a Vasco Graça Moura e a Miguel Sousa Tavares. Se todos fôssemos patriotas como eles, e não uns vendidos aos brasileiros e a outros que tais, seria assim que escreveríamos...  

Como elRei Dom Fernamdo reçebeo de praça Dona Lionor por molher, e foi chamada Rainha de Portugal. 

Andou elRei per seu reino folgamdo, tragemdo comsigo Dona Lionor ataa que chegou antre Doiro e Minho a huum moesteiro que chamam Leça, que he da hordem do espital, e alli determinou elRei de a receber de praça; e em huum dia pera isto assiinado, foi a todos preposto por sua parte dizemdo em esta guisa. «Amigos, bem sabees como a hordem do casamento he huum dos nobres sacramentos, que Deos em este mundo hordenou, pera nom soomente os Reis, mas aimda os outros homeens, viverem em estado de salvaçom, e os Reis averem per lidema linhagem quem depos elles soçeda o reiino, e regimento real que lhe Deos deu; porende elRei nosso senhor querendo viver em este estado, segumdo a el perteeçe, e comsiiramdo como a mui nobre Dona Lionor, filha de Dom Martim Affonsso Tello, e de Dona Aldomça de Vascomçellos, deçemde da linhagem dos Reis, des i como todollos gramdes e moores fidallgos destes reinos tem com ella gramde divedo de paremtesco, os quaaes reçebendo delRei homrra, como he aguisado sejam por ello mais theu dos de o ajudar a defemder a terra; e oolhamdo outro si como a dita Dona Lionor he molher mui comvinhavel pera elle, por as razoões sobre ditas: tem trautado com ella seu casamento, e poremde a quer reçeber de praça per pallavras de presemte, como manda a samta egreja; e lhe emtemde de dar taaes villas e logares de seu senhorio, por que ella possa manteer homrroso estado de Rainha, como lhe perteemçe». Emtom a reçebeo elRei peramte todos, e foi notificado pello reino como era sua molher, de que os gramdes e pequenos ouverom mui gram pesar. E deu-lhe elRei logo Villa viçosa, e Avramtes, e Almadaã, e Simtra, e Torres vedras, e Alamquer, e Aatouguia, e Oobidos, e Aaveiro, e os regueemgos de Sacavem, e Freellas, e Unhos, e terra de Merlles em riba de Douro; e dalli em deamte foi chamada Rainha de Portugal, e beijaromlhe a maão per mandado delRei quamtos grandes no reino avia, assi homeens como molheres; reçebemdoa por senhora todallas villas e çidades de seu senhorio, afora. o Iffante Dom Denis, posto que meor fosse que o Iffamte Dom Joham, que numca lha quis beijar; por a qual razom elRei Dom Femando lhe quisera dar com huuma daga, se nom fora Gil Vaasquez de Resende seu ayo, e Airas Gomez da Silva ayo delRei Dom Femamdo, que desviarom elRei de o fazer; dizemdo elRei sanhudamente contra elle: «Que nom avia ver gomça nenhuuma, beijarem a maão aa Rainha sua molher o Iffamte Dom Joham, que era moor que elle, e isso meesmo seu irmaão, e todollos outros fidallgos do reino, e el soomente dizer que lha nom beijaria, mas que lha beijasse ella a elle». E desta guisa andava o Iffamte Dom Denis assi como omeziado da corte, e o Iffamte Dom Joham ficou com elRei e com a Rainha muito amado e bem quisto; por que seemdo o mayor no reino, se ofereçera de boom grado de beijar a maão aa Rainha, e fora aazo e caminho a outros muitos de gramde estado: porem todol los do reino de qual quer comdiçom que fossem, eram disto mui mal contentes. 

Não era giro?
(até parece que estou a ouvir o pessoal de Aveiro, daquele tempo, a vociferar contra a queda de um "a" do seu nome...
E ao Afonso? A esse caíram um "f" e um "s". Que descalabro!)

27 de fevereiro de 2012

Rapidinha de segunda (xlvi)

Uma velhinha no autocarro, fazendo-se acompanhar pelo tradicional saco de plástico, senta-se, ocupando o lugar ao seu lado com o saco.
Aproxima-se um cavalheiro, para ocupar esse lugar e, tempestivamente, a velhinha grita:

- Cuidado com os tomates!

Muito corado e ainda de rabo esticado, questiona amavelmente o homem:

- São tomates, o que aqui leva minha senhora?

- Não! São pregos !!!

26 de fevereiro de 2012

8.º aniversário e uma fotografia por domingo (187)

Por estes dias (24 ou 25, não fui ver) este blog completou a provecta idade de 8 anos.
Para um blog, isto já deve ser p'raí a 4.ª idade.
O peso dos anos fê-lo mais lento, menos escrito e menos comentado.
Mas, contra todos os facebook, continua a resistir...
Espero que assim continue, pelo menos outros 8 anos.
E sempre na vossa indispensável companhia, é claro.

OBRIGADA.

Uma (das muitas) ponte de Castro Laboreiro.

22 de fevereiro de 2012

Lua-de-mel, parte XXXV

Este ano o meu dia dos namorados calhou ao domingo e, ainda por cima, na altura do carnaval.
Ouro sobre azul, e lá fomos nós passear até um dos destinos da nossa lua-de-mel, a número 1 - Castro Laboreiro.
A estalagem pequenina e simpática onde pernoitámos há tantos anos atrás, com um enorme cão sentado aos nossos pés enquanto jantávamos, foi transformada num simpático Hotel, o Hotel Castrum Villae.
Para além de nos ter faltado a companhia do cão ao jantar, também faltou a neve...

Mas não faltou mais nada! :)

14 de fevereiro de 2012

Não sou a favor

da pena de morte (embora às vezes me apeteça), mas uma pessoa um monstro que mata friamente a mulher, a filha e a neta, merecia a pena máxima: 25 anos.

Mas 25 anos por cada uma...

13 de fevereiro de 2012

Rapidinha de segunda (xlv)

A PILITA ALENTEJANA

Rija, enquanto durou.
Agora q'amolengou
e antes q'a morda a cobra,
vou atá-la c'uma corda
pra ela nã me fugiri.

Preciso da sacudiri,
leva tempo pá'cordari
já nem se sabe esticari.
Más lenta q'um caracoli,
Enrola-se-me no lençoli.

Ninguém a tira dali,
Já só dá em preguiçari.
Nada a faz alevantari
e já nã dá com o monti,
nem água bebe na fonti.

Que bich'é que lhe mordeu?
Parece defunta, morreu.
Deu-lhe p'ra enjoari,
Nem lh'apetece cheirari.

Jovem, metia inveja.
Com más gás q'uma cerveja,
Sempre pronta p'ra brincari.
Cu diga a minha Maria,
Era de nôte e de dia.

Até as mulheres da vila,
Marcavam lugar na fila,
p'ra eu lha poder mostrari!

Uma moura a trabalhari,
motivo do mê orgulho.
Fazia cá um barulho!
Entrava pelos quintais,
Inté espantava os animais.

Eram duas, três e quatro,
da cozinha até ao quarto
e até debaixo da cama.
Esta bicha tinha fama.

Punha tudo em alvoroço,
desde o mê tempo de moço.
A idade nã perdoa,
acabô-se a vida boa!

Depois de tanto caçari,
já merece descansari.
Contava já mê avô:

"Niuma rata lhe escapou!"
É o sangui das gerações.
Mas nada de confusões,
pois esta estória aqui escrita,
É da minha gata, a Pilita!

9 de fevereiro de 2012

E sem pieguices...

Na TV ouvi os jornalistas e também aquele senhor que manda na Associação de Pais (em que escola andarão ainda os filhos dele?) a perguntarem onde haveriam de deixar as crianças na próxima terça feira de carnaval.

Se não sabem eu respondo: deixem-nos no mesmo local onde os vão deixar na segunda e também na quarta!

(A sério, já não se pode com esta "notícia" de onde deixar os filhos nas interrupções letivas!)

6 de fevereiro de 2012

Rapidinha de segunda (25)

Cavaco Silva foi a uma reunião de empresários importantes mas, ao chegar à enorme mansão, foi barrado pelo segurança.

- Desculpe, senhor, mas sem convite não posso deixá-lo entrar.
- Mas, eu sou o Cavaco Silva, o Presidente dos portugueses do PSD e do CDS!
- Então, mostre-me os seus documentos.
- É que também não tenho os documentos, esqueci-me da carteira.
- Desculpe-me, mas não vou poder deixá-lo entrar!

- O quê? O senhor nunca me viu na TV? Olhe bem para a minha cara!
- De facto, o senhor é muito parecido com o presidente, mas sabe como é... existem muitos sósias do Cavaco Silva por aí... O senhor vai ter de provar que é realmente o presidente.

- Mas como que quer que eu faça isso?
- O Senhor é que sabe!
O Cristiano Ronaldo também se esqueceu dos documentos, eu dei-lhe uma bola de futebol e ele fez uns toques que logo me convenceram.
A Mariza também se esqueceu dos documentos e fez uma demonstração a cantar fado que provou ser quem dizia ser.

- Mas... eu não sei fazer nada!
- Desculpe-me pelo inconveniente causado, Sr. Presidente.
Faça o favor de entrar!!!!!!

5 de fevereiro de 2012

Uma fotografia por domingo (185)


Lá fora, frio.
Cá dentro uma taça cheia de pipocas (receita brevemente na Bruxinha), a lareira acesa, um bom filme para ver, uma boa conversa...
Haverá melhor maneira de passar uma tarde de domingo?

3 de fevereiro de 2012

Embirrâncias e ortografia

Quando conheço uma pessoa (seja pessoalmente, seja só pela comunicação social), ou gosto ou embirro. Às vezes penso que me enganei na primeira impressão, mas o tempo acaba por me levar a ver que afinal a primeira impressão estava certa. Nunca falha!

Nunca gostei do Vasco Graça Moura. Nem sei porquê, o homem nunca me caiu no goto. Acho-o vaidoso e empafioso (esta palavra existe?) e não gosto de pessoas assim.

O que ele fez hoje, ao "erradicar" o acordo ortográfico do CCB, mostrou que ainda é pior do que eu o imaginava.

O primeiro ministro está à espera de quê para o demitir?

2 de fevereiro de 2012

Petições

Todos os dias recebo no meu e-mail pedidos para assinar (mais) uma petição.
Hoje fala-se numa petição para que haja pequeno almoço na escola.
Parece que as crianças não tomam o pequeno almoço em casa, por isso deveriam tomá-lo na escola.

Eu acho bem.
E, já agora também se devia fazer uma petição para que as crianças jantassem na escola, pois também há muitas que não jantam em casa...
E, já que estamos em maré de petições, também se deveria fazer uma outra para que as crianças dormissem na escola, pois há muitas que dormem mal em casa (televisões nos quartos sempre ligadas, pais que discutem, casas sem condições...)

E ainda falavam dos comunistas, que nos "queriam ficar" com as crianças.
Abençoados!