15 de dezembro de 2014

Rapidinha de segunda

Um sujeito foi ao médico de família, com o testículo esquerdo inchado e dormente.
O médico disse que era uma inflamação testicular, que não era nada grave etc., mas que procurasse um especialista.
E deu-lhe o telefone de um colega UROLOGISTA, mas, na hora, enganou-se no número e deu o do seu ADVOGADO.

O tipo marcou uma consulta, e à hora marcada lá estava ele diante do advogado, mas achando que era o médico:
- Em que posso ajudar?
O nosso amigo baixou as calças e mostrou:
- Como o senhor está a ver, doutor, estou com uma inflamação no testículo esquerdo.

O advogado ficou a olhar para a cena sem entender absolutamente nada e disse:
- Meu amigo, a minha especialidade é o Direito!...
Diz o sujeito:
- Porra.. !!! Agora cada tomate tem o seu especialista ???

14 de dezembro de 2014

Uma fotografia por domingo (324)


Mais uns dias e terei cá em casa o milagre das rosas.
Por enquanto o rei só poderá responder:
"Rosas em dezembro?"

8 de dezembro de 2014

Rapidinha de segunda

Um homem depois de ter apanhado uma grande bebedeira vai roubar galinhas.

No dia seguinte sente-se muito arrependido e vai ao confessionário e diz:
- Sabe senhor padre eu ontem não estava bem e fui roubar galinhas, o que é que eu hei-de fazer para remediar isto?
E o padre responde que ele deve dar 10 euros à primeira mulher que vir.

Ele sai da igreja (a igreja até ficava numa esquina), encontra uma mulher e diz:
- Queres10 euros?
E a mulher responde:
- 25!!
E ele diz:
- Mas o senhor padre diz que são 10!!
- É que o senhor padre já é cliente antigo!!

7 de dezembro de 2014

Uma fotografia por domingo (323)

O meu gatinho-ex-fera.
Alguém tem um gatinho assim, exatamente da cor do outono?

23 de novembro de 2014

Uma fotografia por domingo (322)

De fera...


... a isto!

Completamente domesticado e transformado numa melga que não nos deixa em paz, eis o (a?) Talisca!

27 de outubro de 2014

Rapidinha de segunda

Um lobo matou uma ovelha e agora foi preso.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Está na cadeia alimentar.

23 de outubro de 2014

A fera

No sábado, ao chegar a casa tinha um gatinho bebé no meu pátio.
Mal viu gente fugiu a sete pés patas para o quintal.

Fui logo tratar de providenciar água, leite e comida para a bicheza.
E os dias foram seguindo assim: não sai do quintal, mesmo estando a porta aberta, quando me vê foge e só vai comer quando eu venho embora de lá.
Ontem dei com ele empoleirado num ramo do diospireiro (a árvore preferida de todos os gatos que passaram cá por casa). Não me fugiu - deve ter pensado que estando fora do chão estaria a salvo) e eu aproveitei a oportunidade para lhe pôr a mão...

Bufou e esperneou e, quando tentei agarrá-lo com a outra mão, ele, zás! Ferrou-me os dentes num dedo com uma força tal que parecia impossível num bicho tão minúsculo!
Disse 3 ou 4 palavrões e fui a correr estancar o sangue e desinfetar com tudo o que tenho em casa.


Desde aí a nossa relação tem mantido as devidas distâncias: dou-lhe comida e venho embora.

16 de outubro de 2014

Meco

Não há dor maior no mundo do que perder um filho. Só imaginar, já custa.
Entendo que, quando isto acontece a um pai ou a uma mãe, estes vão insistir em procurar a resposta ao "porquê?".
Deve ser uma coisa que ajuda a mitigar a dor, julgo eu.

Posto isto, quero dizer que compreendo perfeitamente o desespero dos pais dos jovens que morreram na praia do Meco e a sua procura por um bode expiatório.
O que eu não compreendo é a atitude pouco sensata de alguns jornalistas.
Procurar vender jornais ou programas de televisão explorando indecentemente a dor das pessoas não me parece correto.

A resposta à pergunta "foi praxe ou não foi praxe?", não tem importância nenhuma.
Pode ter sido um mero acidente (hipótese mais que provável, dada a violência das ondas naquela noite). Mas, se houve praxe, foi uma brincadeira consentida. Porque não estamos a falar de caloiros com medo de não serem "aceites no grupo", mas sim de jovens finalistas, que estavam ali voluntariamente.

Há neste momento um jovem cuja única culpa é ter sobrevivido.
Estranho, não é?

13 de outubro de 2014

Rapidinha de segunda

- Sabes como se deixa um palerma na expectativa?
- Não...
- Amanhã conto-te.

6 de outubro de 2014

Rapidinha de segunda


- Amor, acho que andas muito obsessivo com o futebol... Fazes-me falta! - diz ela.
- Falta? Mas eu nem te toquei!