30 de dezembro de 2007

Uma fotografia por domingo (37)


Azevinho.
(Gouveia, 29 de Dezembro)

Ribau Esteves no Eixo do Mal

No outro dia escrevi (ou melhor, transcrevi) aqui uma frase de Sócrates em que este se diz provinciano e não pertencer a elites.
Transcrevi-a porque achei que ele tinha imensa razão, que neste país se dá muita importância ao "berço", seja lá isso o que for (porque muitas vezes nem é o que parece).

Hoje, no Eixo do Mal (SIC Notícias) tive a minha ideia confirmada: ao falarem sobre o PSD, deram em troçar de Ribau Esteves.
E porquê?
Não por ser mau político, ou incompetente ou seja lá o que for, mas apenas porque ele não faz parte da "panelinha" pseudo-intelectual de Daniel Oliveira e restantes personalidades...
(honra seja feita a José Júdice que ainda esboçou uma defesa. mas ficou-se mesmo pelo esboço).

Eu nem conheço o homem de lugar nenhum, não é por isso que o estou a defender (mas sei que no concelho onde ele é presidente de câmara as escolas funcionam melhor do que em Aveiro, e sei que no concelho dele há imensas pistas para ciclistas - ao contrário de Aveiro que inventou as BUGAS ma se esqueceu de lhes arranjar percursos!!!).

O que me irritou na conversa daqueles senhores é que se julgam superiores a tudo e todos só porque...porque...
Porquê, já agora alguém sabe?

28 de dezembro de 2007

Referendar ou não?



Agora há petições na net para tudo e mais alguma coisa.
A mais recente (que já tardava) é a reivindicar que o Tratado de Lisboa seja referendado.

Assim sendo, faço já aqui um apelo:
Não me enviem essa petição pois não tenho nenhuma intenção de a assinar.

Eu pertenço ao grupo dos que acham que um referendo destes (assim como outros que já foram feitos) só serve para gastar dinheiro (e papel que é um recurso que fica caro à natureza).

Para me poder pronunciar sobre um assunto preciso de o conhecer minimamente... e não é o caso!
Não querendo armar em politizada (que não o sou), tenho de admitir que sei de política mais do que a maioria dos portugueses: além do nome do presidente da república e do 1.º ministro, até sei o nome de alguns ministros!

E no entanto não me sinto preparada para responder à pergunta do referendo.
Será que essas pessoas que tanto querem o referendo já se deram ao trabalho de ler o tratado para irem votar conscienciosamente?

Duvido!

27 de dezembro de 2007

Todos os dias

morrem dezenas ou centenas de pessoas em atentados no Afeganistão, no Iraque, no Paquistão.
No de hoje, apesar de terem morrido bastantes pessoas, só se fala da morte de Benazir Bhutto.
É natural.
Em todas as guerras só os generais são falados.

O que me incomoda mais nestes atentados é que a bomba que mata não é atirada de um avião...
A bomba que mata é transportada por uma pessoa que sabe que vai matar mas que também vai morrer!
Que raio de fanatismo religião é esta, em que pessoas (normalmente jovens) não se importam de morrer assim?

Ainda há quem defenda que todos os credos merecem respeito.
Para mim, gente que consegue "fazer" a cabeça de outros para que se matem assim, não me merece respeito nenhum.

25 de dezembro de 2007

Dia de Natal

Hoje é dia de ser bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros— coitadinhos— nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
(Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra— louvado seja o Senhor!— o que nunca tinha pensado comprar.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.

Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.




António Gedeão (Rómulo de Carvalho)

24 de dezembro de 2007

FELIZ NATAL!

A todos os que por aqui passam (até aos que vêm enganados à procura de fábulas), eu desejo um excelente Natal, com toda a família reunida à volta de uma mesa farta e com muita saúde!

(esta linda árvore de Natal foi "pescada" na Blogotinha)

21 de dezembro de 2007

Planos de Recuperação...


... para que servem?
(se alguém me souber explicar, agradeço imenso!!)

Entretanto estou para aqui atolada numa tarefa inglória (e anti-ecológica: já alguém pensou nas árvores que se abatem para este gasto inútil de papel?) de escrever para mim própria que o aluno A, B e C precisam de apoio acrescido (do meu, é claro), e precisam de apoio em casa e bla bla bla...

É que se eu não escrevo estas coisas a mim própria ainda sou capaz de me esquecer e deixar as criancinhas lá num canto da sala!

Ó balhamedeus, agora que é quase Natal, não haverá nenhuma alma iluminada que constate que os PR não servem para nada e que acabe com este desperdício??
Ufa!

20 de dezembro de 2007

Gaffes, às duas é melhor!

Ontem, na reunião de pais, depois de distribuir um inquérito para eles preencherem, digo a um senhor:
" isto é um bocado complicado de responder, talvez seja melhor levá-lo para serem o pai ou a mãe a fazê-lo."
Silêncio.

Nisto diz uma senhora que estava sentada numa carteira lá ao fundo da sala:
"mas ele é o pai da C."
E eu, ainda não completamente satisfeita com uma gaffe, continuo:
"ai desculpe, pensava que ara o avô"!


18 de dezembro de 2007

Provincianismos

"É verdade, sou um provinciano, fiz-me sem pedir nada a ninguém. Não tenho aliados entre os grandes pensadores portugueses e a aristocracia de esquerda".

José Sócrates, "Libération", 17-12-2007

Neste país de saloios há quem não perdoe que uma pessoa com origens pouco aristocratas alcance lugares de destaque e poder...
Basta ouvir as críticas que são feitas a Cavaco Silva: não são dirigidas - como deviam ser - à sua política, mas sim às suas humildes origens.

17 de dezembro de 2007

A minha alma está parva...

O rádio (telefonia para os alfacinhas entenderem) que tenho aqui no "escritório" está normalmente sintonizado na RFM.
Mas hoje deu-lhe um peripaque e só fazia barulhos.

Vai daí, e distraidamente, carrego no comando e mudo de estação.
Passado um bocado presto atenção porque me pareceu ouvir alguém chorar.
E era mesmo.
Era uma mulher a chorar porque alguém (acho que não era ela) tinha tido um acidente e tinha-se divorciado e por isso precisava de um carro novo!

Arrebitei as orelhas para ouvir o impensável: uma espécie de concurso onde quem contar a história mais desgraçada ganhará... um carro!!
Pelos vistos até há um júri para decidir da história mais triste...

Ah, a estação de rádio era o Rádio Clube de Aveiro.

(e agora vou continuar as avaliações senão quem telefona a chorar para a rádio sou eu!!)

15 de dezembro de 2007

Carregando o vento

video

Recebi por mail este vídeo ternurento, que vale a pena ver e ouvir.

Porque é que por cá não há publicidade assim?

14 de dezembro de 2007

10 de dezembro de 2007

Que idade têm

os jornalistas?

Será mais um caso de trabalho infantil?

Eu creio que sim, pois só assim se compreende que, para eles, toda a gente seja "idosa"!
Em todas as notícias em que entram "idosos" vai-se a ver e as pessoas às vezes têm 50 anos ou ainda menos!

Como só as crianças pequeninas consideram idoso quem tenha mais de 20 anos, eu presumo que pelos jornais, haja exploração do trabalho infantil!

9 de dezembro de 2007

Uma fotografia por domingo (36)

Golden Residence Hotel, Funchal

Ai que saudades da boa vida, dos belos passeios e dos maravilhosos pequenos-almoços deste hotel...
Ai, ai (suspiro)...

8 de dezembro de 2007

.

Dizia-me hoje uma das minhas pequenitas:

"sabes professora, aquele senhor da outra sala ontem quando saiu da escola foi ao café comprar cigarros"

Nota cá da redacção:

o "senhor da outra sala" é o B., um cigano, que faltou sucessivamente à escola durante vários anos e agora - já com 15 - resolveu aparecer!


Outra nota da redacção:
A Bruxinha do Lar foi finalmente actualizada, com a receita dum pudim flan delicioso e que se faz num ápice.
Cusquem!

6 de dezembro de 2007

Erros partilhados

Andando eu pela net à procura de ideias para fazer as fichas de avaliação para os meus meninos, fiz "copy/past" de algumas para depois ver melhor, e para as adaptar (uma das minhas taras e que me dá imenso trabalho é que nunca faço uma ficha igual à que já tenho, mesmo que seja minha!)

Numa dessas fichas encontrei diversos incorrecções erros:

"È"

"á"

e a cereja em cima do bolo:

"femenino"

E pasmem:
tratava-se de uma ficha de Língua Portuguesa!

Erros ortográficos?
Nem aqui lhes acho piada!

(Aos meus colegas que tão prestimosamente se dispõem a partilhar os seus trabalhos, só tenho a pedir que sejam mais cuidadosos!)

4 de dezembro de 2007

Miséria!

A minha cidade é a única nas redondezas (incluindo também as vilas) que não tem decoração de Natal.

Tanta miséria mete dó!!


(Uma imagem assim, para os aveirenses é miragem!)

3 de dezembro de 2007

O que é que é preciso fazer para nascerem mais crianças em Portugal?


Com todo o respeito pelo nosso presidente da república, eu sei responder:

Primeiro, é preciso fazê-los (isso eu não vou ensinar aqui, há blogues que se dedicam só a isso, basta procurar).

Mas o principal problema nem é esse.
O que acontece é que grande parte dos jovens de hoje acabam os seus estudos já tarde e depois começa a saga da procura de emprego.
E mesmo que o arranjem rapidamente, há muita instabilidade no trabalho: recibos verdes, insegurança dos empregos, grandes deslocações.

Depois há ainda a falta de creches, e de creches gratuitas!
Para os casais terem filhos precisam de ter locais onde os deixar.
É que nas escolas - por enquanto - só ficam depois dos 5 anos!

2 de dezembro de 2007

1 de dezembro de 2007

30 de novembro de 2007


Os senhores do governo estão tão míopes em relação aos resultados desta greve que eu espero que assim continuem e, já agora, me paguem o dia de hoje!

Afinal, praticamente ninguém fez greve, não é?


29 de novembro de 2007

Visita

Hoje, na escola, recebi a visita da Cláudia.

A Cláudia, juntamente com outros meninos e meninas, fez parte do meu primeiro grupo de alunos na escola onde ainda trabalho.
Foi a primeira vez na minha vida profissional que assentei num lugar e pude assim "seguir" as vidas dos alunos.

A Cláudia frequenta agora o 11.º ano numa escola de Aveiro e veio contar-me das suas aventuras e desventuras, dos colegas, das aulas, dos "profes"...

Os meus alunos pequenitos quando perceberam que ela tinha sido minha aluna, quiseram saber de que tamanho ela era quando andava no 1.º ano.
"desta altura?", "eras assim?" e esticavam os bracitos para ela perceber.


É nestas alturas que esta profissão vale a pena, apesar dos pesares e dos desmandos dos sucessivos ministros...

27 de novembro de 2007

Boas Festas


Aproxima-se a época dos votos de Boas Festas.
Ultimamente perderam muita da piada que tinham, "graças" ao domínio dos e-mails e dos SMS.

E que tal voltar a utilizar os velhinhos postais de Natal, enviados pelo correio e que até se podem pôr a enfeitar ao lado da árvore?

Foi a pensar nisto e juntando o útil ao agradável, podendo ajudar animais em perigo, que a
Associação Pelos Animais está a vender lindos postais de Natal.
É só clicar... e escolher!

25 de novembro de 2007

Eixo do mal

Não, não é aquele do Bush, é o que passa na SIC notícias aos sábados à noite e que eu não costumo perder.

Ontem, entre outros assuntos, falou-se no caso da "criança" que agrediu a professora e da mãe que a apoiou.

O Daniel Oliveira que é, do grupo, o que mais vezes mete a pata na poça, sobre este assunto dizia que há professores com um "jeito especial" para lidar com alunos difíceis e deu a entender que todos os problemas se resolveriam se as escolas pudessem escolher os seus professores.

A este propósito, roubei ao José António este bocadinho do seu excelente post:

«se um jornalista de esquerda tem isto para dizer a propósito da violência em meio escolar, é caso para lhe perguntar quando é que o Francisco Louçã começa a contratar militantes mais competentes para o Bloco.»

Ora toma!

Perdidos?


Aquela série que se chama "lost" (perdidos) é, supostamente, passada numa ilha deserta: os fulaninhos iam num avião que se despenhou numa ilha deserta e, como sairam bastante da sua rota por culpa duma tempestade, não deram mais com eles e julgam-nos mortos.

E é na parte da "ilha deserta" que eu não entendo nada!
Em cada episódio aparecem novos personagens. Na ilha há casas e quintas e gente e cada vez mais gente...

Ilha deserta?

24 de novembro de 2007

22 de novembro de 2007

Recado na caderneta

Sugestão do dia:
Juntar esta mãe com a filha da mãe do post anterior...


de Professora de Ciências para Mãe:

"Informo que a sua educanda não realiza os trabalhos de casa pela terceira vez, prejudicando a avaliação.
Agradecia que a chamasse à atenção."

de "Encargada de educação" para senhora de ciencias:

"Venho por este meio que eu como encargada de educação.
Sei que por lei que os alunos não são obrigados a trazer trabalhos de casa, pelo horário que tem de sair as 18 horas e 30 minutos da Escola.
E os pais quando chegão a casa tem mais que fazer doque saber se eles tem trabalhos ou não."

21 de novembro de 2007

Hoje, no Jornal da Noite

fiquei aparvalhada quado ouvi a notícia:
Uma agressão de alunos a professores numa escola EB 2,3 - não sei donde, nem isso interessa muito.

O que aconteceu foi que "numa brincadeira inocente" (tadinhas das "crianças") uns meninos e meninas fizeram um "túnel" e davam "calduços" a quem passava.
Brincadeira parva, mas que seria aceitável se se desenrolasse entre alunos.
Mas não.

Parece que a sessão de calduços se aplicava a todos os que passavam, incluindo professores.
Ora acontece que uma professora não gostou da brincadeira e deu um estalo à "criança" (por sinal uma matulona mal criada de 15 anos).

O que me incomodou mesmo, para além do sucedido, foi ouvir a mãe da "menina" dizer que ela é uma santa, que só foi pena... não ter batido mais à professora!
"Devia ter-lhe dado o dobro" rosnava a querida mamã...

Não se pode mandar prender uma pessoa destas??
E, já agora, mandar a menina trabalhar.
Mas por que raio hão-de os professores levar com esta gente que não anda a fazer nada nas escolas??

20 de novembro de 2007

O Rafael

... só vem à escola quando lhe apetece.
E como lhe tem apetecido poucas vezes, anda só no 2.º ano de escolaridade, embora ande na escola há 7 anos.

No ano passado nem lá pôs os pés, este ano anda, apesar de tudo, muito assíduo.

Nada disto me espanta.
Desde que estou na minha actual escola que temos por lá alunos ciganos e todos, salvo raras e honrosas excepções, fazem o mesmo.

A mim não me incomoda nada ter alunos ciganos.

O que me incomoda é que eles chumbem sucessivamente por faltas e que aos 12 anos resolvam finalmente vir para a escola e atrapalhar o normal funcionamento da turma.
O rapaz nem é desordeiro, mas basta-lhe o tamanho para assustar os pequenitos que têm 5 e 6 anos.

E não é que, ao fim destes anos todos de reprovações, ele ainda tem intacto o seu direito a subsídio para livros,material escolar e almoços???

18 de novembro de 2007

SE FOSSE UM ONE HIT WONDER DOS ANOS 80



Você é "Come On Eileen" dos Dexy's Midnight Runners (1982):
Você é viciado em diversão com os seus amigalhaços.
Gosta de fazer disparates, sobretudo se desafiado com argumentos do género: "aposto que não és capaz"!

Frio?


Frio, frio, não está: o sol brilha lá fora e num local abrigado até se está bem.
Mas, assim que ele desaparece, o tempo arrefece bastante.

Ainda bem que os senhores do tempo mandaram pôr o alerta amarelo!
Não fosse isso, ainda saía eu de casa em top e calções!
Livra!!

16 de novembro de 2007

Poupanças

Já há algum tempo que, cá em casa, um só pacote de açúcar bastava para os dois cafés do almoço e ainda os dois do jantar.
Hoje chegou e ainda sobrou um bocadinho!

13 de novembro de 2007

Problema resolvido!

Os complicados problemas do serviço nacional de saúde, afinal são tão fáceis de resolver!
Não podemos convidar o senhor a vir morar para cá?

12 de novembro de 2007

Uma fotografia por domingo (34)

... que até pode aparecer só na segunda-feira, porque ontem não havia net cá pelas minhas bandas!

No sábado passado a praia estava linda e a água estava excelente!



E o pôr-do-sol?
Pode ser lamechas, mas não há paisagem mais linda que um pôr-do-sol no mar!


8 de novembro de 2007

"PNL"


Hoje foi "dia de biblioteca" (o dia da biblioteca itinerante).
A miudagem adora ir à carrinha, bisbilhotar aquilo tudo e, finalmente, escolher um livro para trazer.

O N. estava triste.
O pai dele não assinou o papel - uma espécie de responsabilização no caso de o livro se perder - e ele não podia requisitar um livro.

"Mas já voltaste a pedir ao teu pai que te deixe ir à biblioteca?"
"Já pedi e ele não deixa"
"Mas porquê?"
"Ele diz que eu não preciso de ir à biblioteca porque ainda não sei ler!"

7 de novembro de 2007

Ensino mesmo, mesmo, mesmo especial!


Hoje apresentou-se na minha escola uma professora que devia ser do Ensino Especial.
Estas professoras são normalmente especializadas neste tipo de ensino, uma vez que as crianças "diferentes" precisam de um apoio e de um ensino também ele diferenciado.
Há técnicas de ensino e de abordagem das matérias diferentes daquelas que são usadas pelos professores do currículo normal.

Daí o meu espanto quando a nova colega diz que é professora de EVT do 2.º ciclo, que de ensino especial nada percebe e nem sabe como ali foi parar!

E é assim que o ensino, dito especial, é tratado.
(e é assim que os professores são tratados

A Floreca deixou-me o link para uma notícia sobre este tema.Aqui.

5 de novembro de 2007

Insegurança Social

Na aldeia onde trabalho não há nenhum infantário, apenas uma pré escola que, como todas, só aceita crianças a partir dos 3 anos.
Ora, como as pessoas que trabalham não podem estar 3 anos em casa com os filhos, muitas optaram por os deixar numa ama.
Algumas das crianças que frequentam a escola e que têm até 10 anos, estão com ela desde os 3 meses de idade.
É uma espécie de segunda (ou primeira!) mãe para muitos deles.

Acontece que, assim sem mais nem menos e de um dia para o outro, foi chamada à Segurança Social e lhe disseram que não podia ficar com crianças com mais de 3 anos.
A partir de JÁ.

Os pais e mães que lá têm os garotos ficaram aflitos e foram hoje à Segurança Social pedir satisfações.
Vinham indignados.
A Assistente Social que os recebeu disse-lhes que "se desenrascassem" que os filhos eram deles e por isso teriam de resolver o problema!

A mim faz-me uma enorme confusão que um pai ou uma mãe não possam decidir sobre o local onde deixar os filhos, que seja obrigado a optar - e a pagar - por um infantário!

3 de novembro de 2007

O põe ma do corretor horto gráfico


Tenho um corretor horto gráfico,
Nu meu computa dor a trabalhar.
Com fio nele, ver e fica sem pré
O diz para te que não com sigo em contar.


Reli este põe ma de pio a navio
E de certo vão gostar de sabor
Esta coreto horto gráfica mente
A sim a testa o meu corretor.


A Bell descobriu - e confirmou - que afinal não podemos confiar no corrector ortográfico.
Mas haverá quem confie??

1 de novembro de 2007

Da invariância da quantidade

Em Matemática andam os pequeninos a aprender e a experimentar a invariância da quantidade...

Isto trouxe-me à memória uma das muitas maldades que eu, em miúda, fazia à minha irmã (mais nova 5 anos) e que não tinha ainda adquirida esta noção.
Sempre que a sobremesa era para partilhar, eu dividia-a em 2 partes, uma grande e uma pequenina.
A parte pequenina eu espalhava-a pelo prato o mais que podia, com muita técnica e arte.
A parte maior "encolhia-a" num cantinho do prato...
E, ó bondade das bondades, dava-lhe a escolher!

É claro que ela escolhia a parte esparramada pelo prato...
Eu ficava com fama de boazinha e ainda tinha direito a uns xi-corações de gratidão!!

(embora ela já saiba disto, seria melhor que não lesse!)

30 de outubro de 2007

Sinceridade

À hora da saída o Rafael chega-se ao pé de mim e diz:
"amanhã não venho à escola"
"ai não? e porquê?"
"porque não me apetece"

Se ele soubesse ler, diria que andou a ler o novo "estatuto do aluno".

29 de outubro de 2007

Faltas... de juízo!

«o abandono escolar em Portugal surge no decurso do “cansaço escolar” das “pessoas que se fartam de reprovar e reprovar”.

Defende, por isso, e porque “o melhor lugar para um jovem estar é a escola”, que os alunos não reprovem, de modo a que não se sintam excluídos e tentados a desistir.»

Estas sábias palavras provêm da cabecinha pensadora da senhora directora regional de educação do norte.
Ora eu aprendi, desde pequenina, que a responsabilidade é um grande e imprescindível princípio.
Então neste regabofe de "vais às aulas só quando quiseres", a responsabilidade, o saber cumprir regras (horários e calendários) fica onde?
Quando os actuais meninos abrangidos por estas leis de doidos chegarem a adultos irão arranjar assim uns patrões compreensivos que os deixam trabalhar só quando lhes apetece???

28 de outubro de 2007

Uma história de princesas


O Príncipe Encantado encontra-se com a Branca de Neve e pergunta-lhe:
- Quer casar comigo?
- Claro, majestade, responde a amiguinha dos Sete Anões.

Então o Príncipe Encantado tira o seu membro para fora e pergunta-lhe:
- Você sabe o que é isto?
- Seu belo pénis, meu Príncipe, responde ela.

Desolado, o Príncipe Encantado continua a procura:
"Vou embora. Preciso de uma mulher inocente".

O Príncipe Encantado vai então à casa da Gata Borralheira e pergunta-lhe:
- Quer casar comigo?
- Claro que sim, responde a bela enteada.

O Príncipe Encantado faz a mesma coisa feita com Branca de Neve, mostrando-lhe o membro:
- Você sabe o que é isto?
- Seu pénis viril, meu Príncipe - responde ela.

"Vou embora. Exijo uma mulher casta para minha esposa", reclama o Príncipe.

Então o Príncipe Encantado encontra com Capuchinho Vermelho (uma bela moçoila, recém saída da adolescência) na floresta e pergunta-lhe:
- Quer casar comigo?
- Claro, sua Alteza - responde a mocinha.

Então o Príncipe Encantado repete o ritual e pergunta-lhe, tirando o pénis para fora:
- O que é isto que trago aqui? - pergunta à Capuchinho Vermelho.
- Isso é uma minhoquinha, meu Príncipe, responde ela.

Maravilhado com a cândida e inocente Capuchinho Vermelho o Príncipe
Encantado casa-se com ela.

Na noite de núpcias o Príncipe diz à Capuchinho:
- Isto que trago aqui é um pénis, meu amor"


Ao que ela retruca:
- Não, meu belo Príncipe. Isso é uma minhoquinha!
Pénis era o do Lobo Mau!!...

26 de outubro de 2007

Obesidade? O que é isso?

Aluno - Dona A., venda-me aí uma sopa se faz favor...
Dona A. - O menino não sabe que agora não se pode vender sopa. Ou compra a senha para o almoço ou não há ordem para vender só sopa.


Aluno - Então porquê?

Dona A. - São ordens! dizem que saiu uma Lei... ou uma Portaria...

Dona M. - Saiu, saiu... Uma Lei da Portaria... É a das sopas!

Aluno - EH...! Espere aí... olhe... e pode vender aí uma fatia de salame e um leite com chocolate.

Dona A. - É só uma fatia?

Aluno - Sim... diz que há um problema com a obesidade aqui na escola, vieram cá médicos e tudo...

Dona A. - Quer o leitinho aquecido?

Aluno - Deixe estar...está bem assim.

(roubado ao José António.
Na escola dele é assim...
Nas outras não sei, mas vou saber!)

25 de outubro de 2007

Alguém me sabe dizer...

... por que motivo os manuais de inglês das AEC (que são actividades facultativas) são distribuídos gratuitamente aos alunos, enquanto que os manuais escolares - da escola que as crianças são obrigadas a frequentar - são a pagar?

(e são caríssimos!)

24 de outubro de 2007

Plano Nacional de Leitura

A ministra da educação está contente com os resultados do PNL.
Isabel Alçada também.

À Isabel Alçada eu compreendo: afinal quase todos os livros dela constam da lista dos "eleitos"...
Será só coincidência?

Quanto a mim, nunca precisei de plano nenhum para ler aos alunos, para lhes incutir o gosto pelos livros ou incentivar a leitura.
Mas, se houver nem que seja só um professor que o faça por causa do PNL, já valerá a pena a sua existência!

Por outro lado, enquanto os livros infantis custarem o balúrdio que custam, não haverá, fora da escola, plano que nos valha!

23 de outubro de 2007

Sob escuta?!

O meu televisor da cozinha, de há uns dias para cá, começou a fazer uns barulhos estranhos...

Será que está sob escuta?

21 de outubro de 2007

Uma fotografia por domingo (33)

De há uns tempos para cá deu-me para os pudins!

Na semana passada fiz este "Pudim Flan", apetitoso e super rápido, uma receita para microondas cedida pela Emiéle quando num comentário a um post dela lhe confessei que o meu só servia para aquecer comida...

Pronto, agora serve para aquecer comida e fazer este pudim:



Este fiz ontem, chama-se "Pudim de laranja de S. Miguel".

É muito mas mesmo muito delicioso!
E lindo!

Receitas um dia destes na Bruxinha!

16 de outubro de 2007

Adriano Correia de Oliveira

Não consegui encontrar a minha favorita, mas também gosto bastante desta.
Fica como um singelo tributo a um dos meus cantores preferidos.

15 de outubro de 2007

Chamem a polícia!

De há duas semanas para cá, o meu telefone tem-se fartado de tocar.
Não, não fiquei (ainda) famosa! :(

O parvo toca, nós vamos atender e ele desliga-se.
Assim, sem mais nem menos.

No visor, em vez do habitual número, aparecem uns tracinhos como quando alguém telefona de um número privado...
Ao pricípio pensámos que se tratava de uma brincadeira idiota, mas ninguém tem uma brincadeira tão estúpida por tanto tempo!

Com os dias a passar e o telefone a tocar, fomos aprendendo e deixámos de atender.
Mas é chato.
Chato porque sempre que o telefone toca, temos de ir ver quem é.
E ele toca várias vezes ao dia.

Hoje o Saltapocinhos resolveu telefonar para o apoio ao cliente da PT (é, nós pertencemos ao grupo dos tansos que ainda paga assinatura, acho que é uma questão de comodismo misturado com fidelidade).
Afinal a solução para o problema é super, hiper simples!!

Segundo disse a senhora que atendeu, primeiro temos de apresentar queixa na polícia, depois a polícia manda o caso para tribunal, que por sua vez manda a PT averiguar o que se passa!


Simples e prático, não?

14 de outubro de 2007

Uma fotografia por domingo (32)

A fotografia de hoje é também uma adivinha...

Então adivinhem lá o que é isto!
(e não vale dizer "pedras", está claro!)

13 de outubro de 2007

Privilégios

Privilegiada é como me sinto todas as manhãs quando, enquanto tomo calmamente o meu pequeno almoço, vejo na televisão as enormes filas de trânsito de gente que vai para o trabalho.

Demorar horas a chegar ao emprego acho que é uma das situações que mais destrói a qualidade de vida que todas as pessoas deviam ter!
Não haverá volta a dar-lhe?

11 de outubro de 2007

Jardinices

Um dia destes foram à minha escola dois funcionários da CMA para colocar um autocolante (um rectangulozinho com o número de inventário) num armário!!!!!!

Hoje foram três funcionários, numa grande camioneta, para limpar o recreio das ervas daninhas que cresceram durante o Verão.
E iam embora, deixando a parte "ajardinada" (um rectângulo com uns 10 metros quadrados, uma árvore, um arbusto e muita erva) por limpar porque era "jardim" e era da competência de outra equipa que viria noutro dia!!
Valeu a minha colega ter vindo cá fora na altura em que estavam para ir embora.
Atónita, questionou os "jardineiros" que lhe disseram que não, não era da competência deles a parte "ajardinada".
Ela então perguntou-lhes se eles não saberiam distinguir a árvore das ervas daninhas...
Lá conferenciaram os "técnicos" e pronto... acederam em arrancar o resto das ervas!!

Que sorte vivermos num país rico em que, para arrancar as ervas de um logradouro, são precisas duas equipas diferentes!
(ah, isto sem falar de um senhor que apareceu lá logo no princípio do ano lectivo para "fazer o estudo" do caso!!!)

9 de outubro de 2007

V.

É o terceiro ano que a V. frequenta a escola, mas ainda nem as regras básicas de convivência ela domina.
Tira o material aos colegas e mete-o na sua mochila, está constantemente a fazer bolas de saliva, limpa o ranho às mangas da camisola, bate e cospe nos colegas...

Mas tem evoluído bastante: no início do ano passado, além dos comportamentos que ainda hoje mantém, fazia cocó no chão e depois espalhava-o pelas paredes e limpava as mãos à roupa...

Este post não vem a propósito de nada.
Estou cansada e apeteceu-me desabafar...
Gostava apenas que os senhores que passam a vida a ditar leis lá do ar condicionado dos seus belos gabinetes "de trabalho" descessem um dia ao mundo real!

5 de outubro de 2007

A vara, do ponto de vista de Deus

"Um dos obstáculos à disciplina é o pensamento humanista.
A vara veio de Deus.
Foi ele quem ordenou que os pais batessem nos filhos como uma expressão do seu amor por eles."
(...)
"A correia, embora seja flexível, não é tão eficaz quanto a vara, e também pode machucar a criança."
(...)
"Deus forneceu aos pais o lugar ideal para ministrar as varadas - o traseiro da criança.
É um lugar que não oferece perigos, porque é bem recheado, mas mesmo assim bastante sensível."

Sinistro, não?
Agora até aposto que estão a pensar que este extraordinário texto foi retirado de algum documento do tempo da inquisição...
Mas infelizmente não!
Este texto incrível foi escrito por um autor brasileiro em 1983!! (não, não me enganei, o segundo dígito é mesmo um nove!)

Caso estejam interessados, podem ler mais pormenores aqui.

4 de outubro de 2007

Passo-me

com os subsídio-dependentes...

Por volta das 9 da manhã a pastelaria perto da minha escola está cheia de gente a tomar o pequeno almoço.

Isso não teria muita importância se não se desse o caso de muita dessa gente ter os filhos na escola a receber subsidio para livros, material escolar e almoços na cantina...



Eu?

Eu tomo o pequeno almoço em casa e a essa hora vou trabalhar...

Alguém tem de lhes assegurar o subsídio, não é?

3 de outubro de 2007

Mika português

Ouvi na rádio e achei no youtube.
Nunca tinha ouvido falar em Rui Nova, mas lá imaginação tem ele!


27 de setembro de 2007

Incrível!

Nunca na vida imaginei algum dia vir a pensar ou a falar bem do Santana Lopes (nem naqueles sonhos malucos que costumo ter!).
Mas este vídeo faz-me dizer: "bravo, Santana Lopes"!

Esmeralda

Não percebo completamente a parte que diz respeito à justiça, mas sei que nem tudo o que é legal é moralmente correcto.

No caso da Ana Filipa, ou Esmeralda, parece-me mesmo uma barbaridade entregar a menina ao "pai biológico".

Se o homem tem mesmo razão, o caso devia ter sido resolvido assim que foi posto em tribunal e não passado este tempo todo!
A justiça está a tratar pessoas como se de propriedades se tratasse. É uma vergonha!

Este ano tenho alunos com 5 anos e nem consigo imaginar que alguém dissesse a um deles "olha afinal o teu pai não é este senhor, a tua mãe també não é esta, agora vais morar para casa do teu pai verdadeiro que é aquele ali"

Ao contrário da pedopsiquiatra que falou no jornal da SIC, eu não acredito que seja assim fácil e inócuo o que vão fazer a esta pobre criança!

26 de setembro de 2007

Dois galos e um poleiro...

(desenho de José Abrantes)

Confesso que acho imensa piada à luta de galos no PSD.

Aquela história dos pagamentos das quotas por atacado, dos que pagaram e não votam, dos que votam e não pagaram, dos que já morreram e ainda podem votar...

Uma história divertida no meio de tanta monotonia política!

Só fico preocupada quando penso que são estes cromos que querem vir a governar o país!

24 de setembro de 2007

Com os azeites...

...estou eu hoje.
Foi um daqueles dias que custaram a passar, em que tudo custou a fazer.
Ainda bem que está quase a acabar!
Por isso não fiquei impávida e serena quando ouvi na TV a notícia das seringas nas prisões.

Não é proibido o uso de droga nas cadeias?
Então para que precisam eles das seringas?
Não entendo! Hoje estou mesmo burra!

Também me chateiam todas as mordomias que são dadas aos drogados toxicodependentes.
Haverá alguma "doença" tão apoiada como esta?
Não esqueço que foram os primeiros a ter seringas distribuídas gratuitamente.
Só muito depois os diabéticos tiveram o mesmo direito!

Os CAT estavam (e ainda devem estar) muito bem apetrechados, tanto de pessoal qualificado como de computadores, que faltavam noutros lados.
(Não havia computadores nem psicólogos nas escolas, por exemplo!)

Eu sei que não é politicamente correcto falar mal dos drogados toxicodependentes.
Mas nada como estar com os azeites para desopilar o que me vai na alma.

23 de setembro de 2007

uma fotografia por domingo (31)

Ontem andei a passear por aqui...
Às vezes o que menos vemos é o que está mais perto de nós!
O mosteiro de Santa Clara está - literalmente - a ser desenterrado e ainda não está aberto ao público, mas vale a visita por esta vista e pela área circundante.

20 de setembro de 2007

Triste

Ontem, à hora da minha saída da escola, dei com o R. a chorar convulsivamente.
Perguntei-lhe se tinha caído "não", se lhe tinham batido "não" se lhe doía alguma coisa, também era "não".

"Então que tens? Estás a chorar porquê?"
"Tenho saudades da minha mãe. Quero ir para casa!"

O meu coração ficou apertadinho: deixar uma criança de 5 anos, que nunca nem sequer andou na pré, durante nove horas numa escola não é normal!

Psicólogos, pedagogos e outros que tais: ninguém olha por isto?

18 de setembro de 2007

Cada cavadela...

Quando a ministra da educação bota faladura, já sabemos que vêm lá mais umas pérolas de sabedoria...
Desta vez são os professores que - sádicos - adoram reprovar criancinhas!
Diz ela:

“As nossas crianças reprovam. No segundo ano de escolaridade, aos sete anos de idade, 10% das nossas crianças reprovam”,
“não se pode reprovar uma criança com sete anos, aquilo que se deve fazer é trabalhar com ela para que naquele ano atinja os objectivos”.

“Estou a apelar aos professores e às escolas para que se enquadre, para que se faça a integração efectiva dos alunos para que eles possam cumprir os objectivos”, afirmou a ministra, acrescentando que esses objectivos, definidos no currículo nacional, estão ao alcance de todas as crianças.

Diz também que,
[quando se separa] “a criança do grupo e professor inicial e se condena a um percurso falhado”.
Ai sim?

Então porque é que a professora do ano passado ficou sem colocação - na escola que teoricamente seria dela por 3 anos - e os alunos dela ficaram para mim numa turma com mais de 20 alunos e 2 anos de escolaridade?

A governante salientou ainda que “as nossas crianças não são diferentes das do resto dos países"

aqui acrescento eu: não, não são. Mas os ministros da educação se calhar são!

17 de setembro de 2007

O primeiro dia de escola

Como tinha acabado de fazer 6 anos e nessa altura era preciso ter 7, fui matriculada na escola da minha tia para depois ser "transferida" para a da minha vila, por isso a minha primeira ida à escola deu-se quando os meus colegas já tinham uns dias de aulas.


Lembro-me da minha mãe me ter ido levar, de entrar na sala e ver todos perfiladinhos de bata vestida, e de ter feito uma grande birra.
Eu, que todos os dias chateava os meus pais "quando é que eu vou para a escola?", na hora H não queria lá ficar!

Chorei e esperneei - parece que adivinhava que uma vez lá entrada nunca mais de lá sairia.

Finalmente e quando a professora se predipôs a sentar-me ao pé de quem eu queria (minha amiga desde o berço), eu lá fiquei.

Não me lembro de mais nada, a não ser das reguadas que levava quando fazia o ponteiro chiar na lousa!


Hoje ninguém chorou...

16 de setembro de 2007

Uma fotografia por domingo (30)


Ilha da Madeira e mais um dos seus penhascos vertiginosos!
Este tinha teleférico mas ninguém do grupo teve coragem de descer nele os 580 metros até ao mar.

13 de setembro de 2007

Panorama deprimente

(imagem do blog do Agostinho)

Estive a copiar dados sobre os meus novos alunos e constatei aquilo que já estava fartinha de saber - a baixíssima taxa de escolaridade dos pais e mães:

20% sem habilitações,
20 % com o 1.º ciclo,
40% com o 2.º ciclo,
e apenas 10% têm o 3.º
ciclo.

De realçar ainda que são, na sua maioria, gente muito nova.
A média de idades nem deve ultrapassar os 30 anos!

Assiste-se agora ao governo a pretender uma escolaridade obrigatória de 12 anos...
Não seria melhor deixá-la ficar nos 9 anos e em contrapartida arranjar estratégias para que quem é obrigado a andar na escola apesar de não gostar, ou não ter capacidade para estudar, tenha boas alternativas de cursos profissionais?


11 de setembro de 2007

Hérnia cervical

O post de hoje é um apelo.
Trata-se de uma pessoa que está a sofrer de uma hérnia cervical e que, tendo consultado vários médicos e fisiatras, se depara com soluções diferentes.
Uns aconselham a cirurgia, outros nem por isso, outros até a desaconselham.

Perante tanta discrepância, nada melhor que procurar saber junto de quem tem ou teve este problema.
Como o resolveram?
Com quem?

Podem dizer o que quiserem aqui nos comentários ou então falar directamente com a interessada para o mail:
ps.rosamaria@gmail.com

Obrigada!

9 de setembro de 2007

Uma fotografia (ou duas) por domingo (29)

Adorei ver os campos cheios de bananeiras e fiquei fã das bananas da Madeira.
Ontem, no supermercado, comprei-as apesar de serem bastante mais caras que as bananas do Equador.
Alguém sabe explicar este fenómeno??



Outro fruto muito, muito bom, são os maracujás.
Enquanto nós aqui conhecemos apenas uma, lá há imensas variedades!
Num mercado em Ribeira Brava resovi comprar maracujás.
Queria de todas as variedades, por isso não entendia quando o homem insistia comigo que os podia misturar no mesmo saco...
Pois se uns eram a 1 euro, outros a 80 cêntimos e os amarelinhos - muito mais baratos - a 30 cêntimos, como podia juntá-los?
Só alguns minutos depois é que entendi que aquele preço era por cada maracujá e não por cada quilo!
Que ladroagem!



Mas são tão lindos, não são?
(ou melhor... eram, sniiiif!!)

7 de setembro de 2007

2007, o ano de todos os baptismos...

À cautela, porque podia desistir à última hora, ou fugir, sei lá, não contei aqui onde iam ser as minhas férias.
Evitava assim passar por uma grande vergonha...

Mas não desisti, muito menos fugi e ainda bem!
Ainda bem porque assim pude conhecer a ilha da Madeira!

E gostei.
Gostei da viagem, mas gostei principalmente da estada e dos passeios na ilha.
Gostei de tudo, menos das sobremesas...
Aqueles tipos não sabem fazer doces!

Também imaginava que os aviões eram assim uma coisa glamourosa lá por dentro e afinal até são bem chungosos: parecem as camionetas de carreira onde eu viajava quando andava no liceu... mas para pior!

E pronto, se pedirem muito, mas mesmo muito, conto mais coisas e até publico algumas fotografias!


esta é só para abrir o apetite...

6 de setembro de 2007

Feliz Ano Novo!

Para mim o Ano Novo festeja-se a 1 de Setembro!
É em Setembro que começa uma nova estação, o Outono.
É em Setembro que se dá a volta ao guarda roupa.
É em Setembro que se compram os cadernos novos (a minha parte preferida: cadernos e livros novinhos para cheirar!)
É em Setembro que começa o ano lectivo.

Por sua vez, em Janeiro não acontece nada!

Posto isto,
Feliz Ano Novo!

26 de agosto de 2007

Para calar meninos mal comportados!

video


Descobri hoje que se podem aqui publicar vídeos como se publicam as fotos.
E vai daí aproveito para partilhar este filme que tinha guardado há muito sem saber como fazer para o partilhar...

Este é o método que vou usar daqui a uns dias se os meus pestinhas forem mesmo umas pestes.
É que resulta mesmo!

(Este vídeo é dedicado à Leonoretta, que sei que anda preocupada com as questões de comportamento.
Gostaste da dica?)

25 de agosto de 2007

Quando falta a inspiração...

(... copiam-se as ideias dos outros! Roubadas sim, que eu não sou menos que aquele senhor de Gaia que quer ser presidente de um partido).
Sobre dois assuntos que foram notícia esta semana, roubei as opiniões muito interessantes de duas bloguistas.

Directamente da Didas acerca daquela história dos meninos que, tão ecologistas tadinhos, andaram a destruir propriedade alheia:

«Cinco aéreos em como aquele putos que lixaram a plantação de milho transgénico ao homem, quando estão em casa dos papás em regime de pensão completa, a ver televisão ou a dizer palermices aos outros meninos ecologistas no messenger, se vão empanturrando com embalagens de tirinhas de milho made in U.S.A. que exigem aos progenitores nas suas visitas aos hipermercados.»

No Consultório da Maria roubei esta interessante ideia acerca dos empréstimos para tirar cursos superiores:

«"Governo financia empréstimos para licenciaturas, mestrados e doutoramentos"...
Pronto, está bem. Acho querido. Fofinho, até.
Portanto, face ao número absurdo de recém-licenciados (e não tão recém...) no desemprego ou a exercer funções que nada têm a ver com a sua formação, o governo lembra-se de financiar licenciaturas? Concordo coma igualdade de oportunidades, mas se um curso hoje em dia não garante uma vida mais estável, qual é a ideia? Se calhar, valia mais criar postos de emprego, tão apregoados antes de todas as eleições, em vez de acenar com ilusões a mais uma caterva de putos cheios de sonhos.
Em vez de financiar licenciaturas e mestrados e mais não sei o quê, valia mais que pagassem bilhetes de avião para um país como deve ser.»


(Só que, ao contrário do tal senhor, eu não me esqueci de mencionar o nome das autoras...)

24 de agosto de 2007

Pobreza franciscana, como convém

Por estes dias tenho andado muito atarefada!

Primeiro foi a trabalheira de atulhar a piscina e semear couves por cima, para disfarçar.
A seguir foi pegar no Ferrari e disfarçá-lo de Rover com mais de 10 anos.
Também meti o champagne em garrafas de tinto carrascão e despejei o caviar nas latas de atum.
Afundei o iate, arranquei as etiquetas aos vestidos exclusivos e preguei lá etiquetas Zara e Salsa...

Tudo isto para ver se não sou apanhada
aqui.
Será que pega?

23 de agosto de 2007

reportagem de férias - conclusão, que a vida não é só isto!

A semana de férias decorreu bem, obrigada.
Pese embora a temperatura do ar não fosse muito quente, e a da água do mar ter variado entre o frio e o gelado, como quem diz "ai achavas fria a da Costa Nova?"
Mas férias à séria é só quando se sai de casa, nem que chova e troveje...
E vamos à reportagem:

Se passarem por Faro e tiverem fome (ou mesmo que não tenham muita), aconselho-vos este restaurante: fica no centro da cidade e come-se lá xarém, mnhaaam...




Tomei alguns banhos de algas, neste mar tão verdinho:



Na volta resolvemos passar pelo Redondo que já não visitávamos há séculos e tivemos o bónus de apanhar com a festa da flor (as ruas estavam liiindas, apetecia-me pôr aqui as fotos todas que tirei!).



Mas para mim, a melhor foto destas férias foi esta:



Não acham gira?
(clicando dá para aumentar)

22 de agosto de 2007

mais férias...

O local das férias era stressante e cheio de multidões...
Horroroso o Algarve em Agosto como poderão constatar aqui:



...ou aqui:


ou ainda aqui: