30 de dezembro de 2013

A verdade sobre o caso Harry Quebert,


de Joel Dicker.


Quem matou Nola Kellergan, no verão de 1975,  é o mistério deste livro, que só se desvendará quase na última página.
As personagens principais são, para além da própria Nola, o escritor e professor Harry Quebert, por quem ela está apaixonada, isto em 1975.

Na atualidade, temos, para além de Harry e de muitos dos habitantes de Aurora, Marcus Goldman. Marcus é um jovem escritor que teve enorme sucesso com o primeiro livro e que está às voltas com uma crise de falta de inspiração para a escrita do segundo...



Já li este livro há algum tempo, mas deixei-o para esta altura para poder dizer, sem margem para dúvidas, que foi o melhor livro que li este ano e, se calhar, desde há alguns anos.
Um livro que nunca é monótono, cheio de suspense e de situações que parecem uma coisa e são outra completamente diferente! Consegue também ser hilariante, às vezes, principalmente nas conversas telefónicas entre Marcus e a sua preocupada mãe.
Este é um livro absolutamente imperdível para quem gosta de ler.

A nota? Sem dúvida, 20.

Não posso deixar de transcrever as últimas frases do livro, que o definem muito bem. Trata-se de um diálogo entre os dois escritores (estes diálogos, à laia de conselhos de escritor para escritor, abrem cada capítulo)

"Um bom livro, Marcus, não se mede apenas pelas últimas palavras, mas pelo efeito coletivo de todas as que as precederam. Cerca de meio segundo depois de terminar o livro, depois de ler a última palavra, o leitor deve sentir-se dominado por um sentimento poderoso; por um instante, só deve pensar em tudo o que acaba de ler, olhar para a capa e sorrir com uma ponta de tristeza porque vai sentir a falta das personagens.
Um bom livro, Marcus, é um livro que lamentamos ter acabado de ler."
 
Tal e qual!

Rapidinha de segunda

Elementos da ASAE foram fiscalizar o Alentejo.

Entraram numa tasca pediram um café e um deles quis também um bolo.
O compadre deu-lhe o café, pegou no bolo com a mão e colocou-o em cima do balcão.
Claro que foi chamado à atenção além de ter de pagar uma valente multa.

Apressadamente, ligou para o compadre que tinha uma tasca lá perto e avisou-o:
- Compadre a ASAE esteve aqui. Tome atenção pois são capazes de a seguir o visitar.

Palavras não eram ditas e os fiscais a entrarem porta dentro:
- Bom dia. Quero um café e um bolo.
Com todo o cuidado, deu-lhe o café e com a tenaz tirou o bolo e colocou-o num pires.

Entretanto o fiscal, depois de ter tomado o café e comido o bolo, reparou que o homem tinha um cordel preso na braguilha e perguntou:
- Oiça, para que é esse cordel?
- Então, quando vou fazer xixi, abro a braguilha, puxo o cordel e faço xixi.
- Então e depois como é que mete isso para dentro?

- É com a tenaz dos bolos!

27 de dezembro de 2013

Natal

Gosto do Natal.
Mas gosto ainda mais quando todos voltam às suas casas e a minha volta ao estado e à pasmaceira normais...

16 de dezembro de 2013

Rapidinha de segunda


Um azar nunca vem só...

Estava um cigano a circular na autoestrada com o seu novo BMW último modelo, quando de repente um pneu se furou.

O cigano sai do carro, tira o macaco e começa a mudar o pneu...
Passado um minuto, chega um outro cigano que ao vê-lo a desmontar o pneu, sai do seu Renault Clio com um martelo e parte o para-brisas do BMW dizendo...:

- Despacha-te..., rouba lá os pneus, que eu roubo o rádio!!!

2 de dezembro de 2013

Rapidinha de segunda

O PM Passos Coelho foi à festa de um empresário importante mas, ao chegar à enorme mansão, foi barrado pelo segurança.

-Desculpe, senhor, mas sem convite não posso deixá-lo entrar.
-Mas, eu sou o Passos, o Primeiro Ministro!
-Então, mostre-me os seus documentos.
-É que também não tenho os documentos, esqueci-me da carteira.
-Desculpe-me, mas não vou poder deixá-lo entrar!
-O quê? O senhor nunca me viu na TV? Olhe bem para a minha cara!
-De facto, o senhor é muito parecido com o Primeiro Ministro, mas sabe como é... existem muitos sósias do Passos por aí...
O senhor vai ter de provar que é realmente o Passos Coelho.

-Mas o que quer que eu faça?
-O Senhor é que sabe! O Cristiano Ronaldo também se esqueceu dos documentos, eu dei-lhe uma bola de futebol e ele fez uma demonstração que logo me convenceu. A Mariza também se esqueceu dos documentos e fez uma demonstração a cantar fado que provou ser quem dizia ser.
-Porra, mas eu não sei fazer nada!
-Desculpe-me pelo inconveniente causado, Sr. Primeiro Ministro.
Faça o favor de entrar.

27 de novembro de 2013

Aberrações

Ainda não me tinha pronunciado acerca dos exames dos professores contratados, porque sempre achei que a ideia, de tão estúpida que é, nunca fosse avante (e ainda tenho esperança de que não vá).

Como exemplo deixo-vos o caso da A., professora há uma dúzia de anos e que nunca passou de contratada. No tempo da avaliação inventada pela "falecida Milú" (e estes aberrantes exames também foram ideia dela), a A. pediu aulas assistidas (como era contratada acreditava que uma boa nota lhe seria proveitosa em próximos concursos) e teve uma vez nota de "excelente" e outra vez "muito bom".
Muito antes disso, antes de ter começado a trabalhar, fez um curso de 5 anos na exigente Universidade de Aveiro e um estágio profissional no Liceu José Estevão, também em Aveiro.

E agora... agora tem de fazer um exame para provar que é competente? (e continuar desempregada?)
Mas esta gente está no seu perfeito juízo?


PS:
E tinha esquecido a cereja no topo do bolo: é preciso pagar 20€!
Parece pouco? É dirigido a pessoas sem emprego.
Ah, são mais de 40 000 pessoas, e como diria o outro, é só fazer a conta!

18 de novembro de 2013

Rapidinha de segunda

Um marinheiro e um pirata encontram-se num bar e começam a contar as suas aventuras.
O marinheiro nota que o pirata tem uma perna de pau, um gancho no lugar de uma mão e um tapa-olho.
Curioso, pergunta:
-Por que tens essa perna de pau?

O pirata explica:
- Quando abordávamos um navio para saqueá-lo, a minha perna escorregou pela borda e foi esmagada pelo encontro dos dois navios.
- Uau! Que história! Mas, e o gancho no lugar da mão? Também foi esmagada entre os barcos?
- Não, o gancho foi outra história. Nós estávamos abordando um navio mercante e, enquanto lutávamos com a tripulação, fui cercado por quatro marinheiros.
Consegui matar três mas o quarto cortou-me a mão.

- Caramba! Incrível! E o tapa-olho?
- Bem, diz o pirata, fui olhar para o alto do mastro e uma gaivota fez cocô no meu olho.
- E você perdeu o olho só por causa do cocô da gaivota?

- Era meu primeiro dia com o gancho...

17 de novembro de 2013

4 de novembro de 2013

Rapidinha de segunda

O Joãozinho chega a casa e entrega ao pai o recibo mensal escolar.
-Meu Deus! Estudar neste colégio é mesmo caro.
- E olha Pai, eu sou o que menos estuda da minha turma!

1 de novembro de 2013

Ansiosamente à espera do Telejornal...


De certeza que é hoje que vai acabar a crise, vai haver mercados (?) para todos, vão repor o ordenado que nos tiraram roubaram.

Devia ser feriado e fomos todos trabalhar.
Nunca, em toda a minha vida de trabalho, tinha escrito no quadro a data "1 de novembro"!
O colossal lucro que o governo teve hoje, deve ter sido suficiente para que tudo volte a entrar nos eixos, não?

A sério que não entendo estas medidas idiotas.
Este feriado proporcionaria a alguns um fim de semana prolongado. Uns, mais dados à religião, iriam visitar a família viva e morta.
Outros iriam aproveitar para uma pausa fora de casa.

Tantos uns como outros viajariam, ficariam hospedados fora de casa, comeriam em restaurantes, visitariam museus...
Se isto não é lucro para o país, não sei o que será.


28 de outubro de 2013

E se fossem roubar a mãezinha?

Antigamente, quando andávamos no liceu, havia obras de leitura obrigatória (quem não se lembra de andar a dividir orações nos Lusíadas? - tadinho do Camões...)

Agora, que estamos muito à frente, também há obras de leitura obrigatória no 1.º ciclo.
Acontece que foram desencantar autores para lá de antigos (Adolfo Coelho e Guerra Junqueiro, por exemplo) e obrigam a ler livros que já não se encontram em lado nenhum.

Ou antes, não se encontravam...
Porque a Porto Editora, sempre de olho no melhor negócio, fez umas reedições foleiras dessas obras e está a vendê-los pela módica quantia de 6,90€.

Ainda por cima, são livros minúsculos e mal acabados, o que eu comprei ontem já está todo descolado!

22 de outubro de 2013

Rapidinha de segunda

 (ai já é terça? não faz mal...)

Uma mulher termina a sessão com psiquiatra, que lhe diz:

"Para a semana trabalharemos com o inconsciente… "
 Ao que ela responde:

"Não me acredito que o meu marido queira vir."

17 de outubro de 2013

Fábula moderna

Era uma vez um rei que queria pescar.
Ele chamou o seu meteorologista e pediu-lhe a previsão do tempo para as próximas horas.
Este assegurou-lhe que não iria chover.

A noiva do monarca vivia perto de onde ele iria e colocou sua roupa mais elegante para acompanhá-lo.

No caminho, ele encontrou um camponês montando seu burro que viu o rei e disse:
"Majestade, é melhor o senhor regressar ao palácio porque vai chover muito".

O rei ficou pensativo e respondeu:
"Eu tenho um meteorologista, muito bem pago, que me disse o contrário. Vou seguir em frente".
E assim fez.

Choveu torrencialmente.
O rei ficou encharcado e a noiva riu-se dele ao vê-lo naquele estado.
Furioso, o rei voltou para o palácio e despediu o meteorologista.
Em seguida, convocou o camponês e ofereceu-lhe emprego.

O camponês disse:
"Senhor, eu não entendo nada disso. Mas, se as orelhas do meu burro ficam caídas, significa que vai chover".

Então, o rei contratou o burro...

Desde então, eis a razão de burros ocuparem as posições mais bem pagas em qualquer governo.

7 de outubro de 2013

Rapidinha de segunda

A loira do bar

Manuel entrou num bar por volta das 20 horas.
Escolheu um lugar junto de uma loira esplendorosa.
Sua atenção foi atraída para o aparelho de TV no momento em que começavam as notícias do dia.
A reportagem cobria a notícia de um homem que estava prestes a atirar-se do alto de um enorme edifício.

A loira voltou-se para o Manuel e disse:
- Você acha que ele vai saltar?
Manuel respondeu:
- Eu aposto que vai saltar.
A loira respondeu:
- Bem, eu aposto que não vai.

Manuel pôs uma nota de 20 euros na mesa e exclamou:
- Vamos apostar?
- Sim!!!

Logo que a loira colocou o seu dinheiro na mesa, o homem atirou-se e morreu no momento em que se esborrachou no solo.
A loira ficou muito aborrecida, mas aceitou a derrota:
- Aposta é aposta. É justo. Fique com meus 20 euros.
Manuel respondeu:
- Não posso aceitar o seu dinheiro. Eu já tinha visto o incidente no noticiário das 18 horas. Eu sabia que ele iria saltar.

A loira respondeu:
- Também vi, mas nunca pensei que ele saltasse outra vez!

3 de outubro de 2013

1808


Estes dois, devem ler-se pela ordem de data.
No 1.º volume acontece a fuga da família real (às invasões francesas) para o Brasil e todas as suas aventuras e desventuras.

No 2.º volume temos o famoso episódio do grito do Ipiranga, mas também as diversas guerras e revoluções que agitaram o Brasil nessa época.

Muito interessantes, mostram-nos que as nossas caraterísticas como povo (boas, mas principalmente as más) já vêm de longe.

De 0 a 20 merecem... 16.

27 de setembro de 2013

Não sabem o que andam a fazer,

mas o pior é que, entretanto, vão destruindo a vida às pessoas.
Cortam salários e aumentam horários de trabalho, cortam pensões, enfim... É um fartar vilanagem com este governo.

As escolas debatem-se com falta de funcionários e, que fazem estas iluminadas mentes?
A "lei da mobilidade", mudando os funcionários de escola!

Atirando com pessoas que ganham 450€ por mês, pessoas que muitas vezes se deslocam para as escolas de bicicleta ou de motorizada (porque os ordenados não dão para sustentar 2 carros no agregado familiar), para escolas que distam 50 Km da sua residência.

Isto é desumano!
Cristo disse "perdoa-lhes pai porque não sabem o que fazem", mas quem faz isto às pessoas não tem perdão.

17 de setembro de 2013

15 de setembro de 2013

Uma fotografia por domingo (281)




O resultado de uma breve incursão no meu quintal...
A verdadeira "agricultura biológica".

13 de setembro de 2013

Sveva Casati Modignani



Nestas férias li estes livros todos da Sveva.
Nunca tinha lido nenhum, e fui lendo estes nos intervalos de leituras mais "pesadas".
As vantagens dos grupos "troca-livros" no facebook é que, comprando apenas um livro, podemos ir fazendo sucessivas trocas e ler muitos mais!

Em todos os livros da Sveva se conta uma história, a partir da história da personagem principal, que é sempre uma mulher. Depois, o tempo anda para trás e conta-se também a história dos outros intervenientes.
Pela positiva, destaco "A viela da duquesa" que foi o que achei mais interessante: os outros é sempre mais do mesmo, tanto que até tive dificuldade em descobrir o que tinha lido ou não.
Pela negativa, destaco "Baunilha e chocolate" - que por acaso até é o mais famoso.
Machista até dizer chega, foi o último dela que eu li. Se tivesse sido o primeiro, esta lista não seria tão extensa.

Mas, são livros que sabem bem, numa tarde de praia, campo ou sofá, quando não se tem mais nada para fazer.

11 de setembro de 2013

Fazer dos professores parvos

ODEIO que me (nos) comam por parva.

A última invençao deste ministro (será sina dos professores terem sempre maus ministros?) é a seguinte:
O intervalo não é tempo letivo! Como tal, não conta e, sendo assim, teremos de trabalhar mais 30 minutos por dia.
Só um perfeito idiota, ou alguém que nunca tenha posto os pés numa escola, é que pode achar que os intervalos, no 1.º ciclo, não são letivos.
Assim sendo, eu desafio essas cabeças iluminadas que acham que esse período de tempo não é letivo, a fazerem uma visita a uma escola para verem o que realmente se passa por lá durante esse espaço de tempo.

Não seria mais honesto dizerem assim: "o horário do 1.º ciclo vai ser aumentado em meia hora por dia"?
É claro que seria, mas para isso seria preciso que houvesse gente honesta no governo.


8 de setembro de 2013

Uma fotografia por domingo (280)

S. Jacinto
Ria de Aveiro, em S. Jacinto.
S. Jacinto, é a única praia do concelho de Aveiro (Costa Nova e Barra pertencem a Ílhavo).
Um bocadinho abandonada, esta praia merecia mais cuidados.

4 de setembro de 2013

A queda dos gigantes, de Ken Follett

A queda dos gigantes
Nestas férias (infelizmente já falecidas), uma das coisas que eu mais fiz foi ler.
Li que me fartei!
Se fosse eleger o livro de que mais gostei, este ganharia o 1.º prémio.

Conta a história de cinco famílias: uma americana, uma russa, uma alemã, uma inglesa e ainda uma galesa.
As personagens entrelaçam-se umas nas outras, tendo como pano de fundo a vida no País de Gales no início do século XX (os pobres e os ricos) e, mais tarde a 1.ª Guerra Mundial, a Revolução russa e o Movimento sufragista.
Há ainda, pelo meio das personagens de ficção, as verdadeiras personagens históricas.

Tudo temperado com romance, é claro.
Recomendo!

(ai que saudades daquela varanda...)

25 de agosto de 2013

Uma fotografia por domingo (278)

Pateira de Fermentelos

Muito perto de Aveiro, a Pateira de Fermentelos pode ver-se do lado de Fermentelos (que lhe dá o nome), ou então do lado de Óis da Ribeira (o meu lado preferido).

Deste lado há um grande e muito bem arranjado parque de merendas. Para quem não quiser levar farnel, há também um restaurante, com uma vista privilegiada.
Uma bela sugestão de passeio!

23 de agosto de 2013

:(

 O que me ocorre neste momento é:

como se explica a uma menina de 4 anos que a mãe não volta mais?


Ana Rita Abreu Pereira

19 de agosto de 2013

Touradas

Acho que são muito corajosas as pessoas que participam e dão a cara em manifestações deste tipo.
Mas, não é com os que realizaram a tourada que nos temos de "chatear" (embora também não faça mal nenhum).

Os que me preocupam são os quase 3000 grunhos que foram assistir: esses sim, são os verdadeiros culpados.

Ou acham que existiriam touradas se não estivesse lá ninguém para as ver?

18 de agosto de 2013

11 de agosto de 2013

Uma fotografia por domingo (276)

feira medieval de santa maria da feira

Visita à Feira Medieval de Santa Maria da Feira, edição de 2013.
Excelente, como sempre.

5 de agosto de 2013

Rapidinha de segunda

O miúdo chega a casa todo contente e diz ao pai:
- Pai, tenho boas notícias!
- Ai sim? Ora conta lá.

- Lembras-te do computador que me prometeste se eu passasse de ano?
- Sim…
- Já não precisas de gastar dinheiro!

31 de julho de 2013

Os pilares da Terra

Os Pilares da Terra
e a sua continuação, "Um mundo sem fim", li-os todos de enfiada...

Ao todo são quatro volumes e mais de 2000 páginas que souberam a pouco.
A Idade Média, no seu melhor.

Ambas as sagas retratam a vida em Kingsbridge - no século XII (Pilares da Terra) e depois no século XIV (Mundo sem fim), - sob a perspetiva de dois pedreiros (Tom e Jack) e no Mundo sem fim um arquiteto, Merthin Builder e a sua apaixonada Caris Whoole. As personagens deste são descendentes do anterior e há referência a elas, pelo que, a lerem, devem ler por esta ordem.

"Os pilares da Terra" escaparam-me na série televisiva, mas o "mundo sem fim" já não me escapou.
De qualquer maneira, confirmei aquilo que já sabia: o livro é sempre muito melhor!

17 de julho de 2013

O (mau) exemplo

No post anterior falei de como os critérios de avaliação dos exames, de tão "bem" feitos ajudaram imenso às más notas.

Atentem neste exemplo:

Concretamente, "houve um exame em que se perguntava o modo e o tempo de um determinado verbo. Todos os alunos que responderam que estava no presente do indicativo estavam certos mas viram as suas respostas serem cortadas, porque deveriam ter escrito que o verbo estava no indicativo e no presente, ou seja, ao contrário", exemplificou. Para o presidente da Confap, "isto é ridículo e não serve para avaliar conhecimentos. Não serve, aliás, para nada".
Realmente são critérios destes que fazem avançar um país...que tristeza de cabecinhas. Enfim, são os "experts" que temos a tomar conta do ensino em Portugal.


Bom senso: precisa-se!

16 de julho de 2013

O senhor ministro

da educação ficou muito espantado com os resultados dos exames e veio dizer que "é preciso atuar perante os maus resultados dos exames" e é só neste ponto que eu concordo com ele.
É preciso atuar!

  • é preciso reduzir o número de alunos por turma...
  • é preciso reduzir o número de turmas por professor (há professores nos 2.º e 3.º ciclos a terem mais de 300 alunos!! - devem chegar ao fim do ano sem saberem os nomes deles!)
  • é preciso arranjar uma equipa eficiente para fazer os exames (ouvi professores a dizerem que  a prova de português do 9.º ano foi mais difícil que a do 12.º ano!)
  • é preciso que os critérios sejam bem feitos e não a aberração que eram (os do 4.º ano, que são os únicos que conheço, mas ouvi outros professores a queixarem-se disto)

e, fundamentalmente:
  • é preciso ter um ministro da educação e não uma delegação das finanças na educação.
A educação não é uma mercearia para dar lucro ao fim do mês. A educação é um investimento a longo prazo, e esta gente que nos governa não entende isto.

14 de julho de 2013

8 de julho de 2013

Coisa feia


invocar o nome de alguém em vão...
Pior ainda: dar o meu nome ao Paulo Portas!

Os meus advogados (adoro esta expressão, há pessoas que têm advogados - no plural - como quem tem médico de família!) já foram alertados, isto não vai ficar assim!

2 de julho de 2013

ViVi dos 741 dias

Para todos os que se cruzaram comigo esta manhã e pensaram que eu ia a rir sozinha porque já estou maluca de todo...

Não ainda não estou. Ia a rir-me tanto por causa destes senhores:


1 de julho de 2013

Rapidinha de segunda

Na biblioteca duma universidade um tipo pergunta a uma moça:
"Importa-se que me sente ao pé de si?"
A moça respondeu em voz muito alta:
"Não, não quero passar a noite consigo!"

Toda a gente na biblioteca ficou a olhar para o indivíduo, visivelmente embaraçado.
Passado um pouco a moça foi calmamente até à mesa onde ele estava e disse:
"Eu estudo psicologia, por isso sei o que um homem está a pensar. Ficou embaraçado, não foi?"

Então o fulano respondeu em voz muito alta:
"Quinhentos euros por uma noite? Isso é demais!"
Desta vez toda a gente na biblioteca olhou chocada para a rapariga.
O indivíduo sussurrou-lhe então ao ouvido:

"Eu estudo direito, por isso sei como lixar o parceiro!"

Uma fotografia por domingo (236)


E para um dia muito, muito quente, uma foto refrescante: a ria de Aveiro, em Mira.

21 de junho de 2013

Não fui eu que escrevi, mas subscrevo

«A docência, como classe, está abandonada. Fizeram muito bem em ir para a greve. Não quiseram prejudicar as crianças. É preferível que um jovem seja prejudicado um dia pela greve do que todos os dias por um sistema público de educação que é um remendo e uma insensatez em muitas coisas».

Januário Torgal Ferreira
Bispo das Forças Armadas

17 de junho de 2013

Greve

Basta ver as "contagens" que vão aparecendo sobre a greve, para constatar que hoje só contam os alunos que fizeram ou não fizeram exame. Aliás, o objetivo da greve era mesmo esse: inviabilizar o máximo possível de exames.

Como não fui convocada para tomar conta de nenhum exame (graças a Deus, que parece que aquilo é uma autêntica tortura*, do género de uma pessoa não se poder sequer sentar), não fiz greve (se tivesse sido convocada, faria greve).
Só me ia prejudicar a mim, e já estou prejudicada que chegue...

Por isso, não me revejo nos  insultos por esse facebook fora, aos que não fizeram greve.
Há professores que, se tivessem algum poder, eram piores que o ministro.
Deus me livre deles!


* hoje, pelo que li, esqueceram todas as "regras de segurança" - algumas bem estúpidas, diga-se... - e valeu tudo, até fazer exame em ginásios. Há diretores que são uns capachos queridos.

13 de junho de 2013

Frase do dia

A única classe profissional que pode fazer greve sem prejudicar ninguém é a classe política.

29 de maio de 2013

O homem que mordeu o cão?

Não... a professora que mordeu o aluno!

Não vou de maneira nenhuma defender a professora (nem ninguém, não tenho conhecimento do que se terá passado), mas o papá do menino em causa é que não é defensável de maneira nenhuma: queixa à GNR?

Não bastava uma queixa à direção da escola?

Era preciso meter a GNR e o circo todo de jornais e televisões?

Numa altura em que há pessoas capazes de vender a mãe para aparecerem na televisão, estes casos dão-me que pensar.

Mas, o que eu gostaria mesmo, mesmo, era de ter notícias desta criança daqui a uns 10 anos...


26 de maio de 2013

21 de maio de 2013

"Patrás"... e em força


Na semana passada fecharam os correios cá da minha terra. Na semana anterior tinham fechado os da terra vizinha...
Para tratar de um assunto nos correios, as pessoas de Aradas e de S. Bernardo terão de se deslocar a Aveiro, com todos os inconvenientes (financeiros e não só) que essa situação acarreta.

Se isto não é regredir, então não sei o que será!

(pelo sim, pelo não, vou guardar muito bem os meus dois volumes dos "Pilares da Terra": assim não estranharei muito quando chegarmos à Idade Média)

7 de maio de 2013

Ó tempo volta "patrás"

Quase 40 anos depois, ei-los de regresso: os exames!
Tal e qual como dantes: os meninos e meninas deslocam-se a uma escola que lhes é estranha e são vigiados por professores que não (os) conhecem.

Que haja uma "aferição" de conhecimentos no 4.º ano, para ver se andamos todos a trabalhar para o mesmo, até concordo.
Mas exames?
Para quê, se somos continuamente pressionados a não chumbar alunos?
Para quê este circo todo, de deslocações para escola-sede, 40 e tal páginas de instruções, algumas completamente estapafúrdias, como só se poder usar caneta preta (!!)

Para serem mesmo iguaizinhos aos de então, só faltam as provas orais.
Não devem tardar!



A bem da nação

6 de maio de 2013

Rapidinha de segunda

- Bom dia. Eu sou Francisco I, o Papa dos pobres.

- Bom dia. Eu sou Passos Coelho, o seu principal fornecedor.

5 de maio de 2013

Uma fotografia por domingo (238)


Fica no Caramulo, Chama-se "Montanha" e é um restaurante lindo e simpático, onde ainda por cima se come bem e nada caro.
Recomenda-se!

O menu é muito original: tem capa de madeira e as páginas são de cortiça.

1 de maio de 2013

No Dia do Trabalhador, O direito ao trabalho

Ultimamente há uma frase que eu já não posso ouvir, que é "tens sorte por teres trabalho"!
Normalmente ouço-a quando me queixo.
Não podemos dizer "mal" do nosso trabalho, das condições em que trabalhamos, dos sapos que temos de engolir, que invariavelmente ouvimos (mesmo de colegas de profissão!) "tens sorte por teres trabalho".

Como se isso justificasse tudo!
Quer dizer, tenho de aceitar todas as tropelias aos meus direitos (pois, deixou de haver direitos, agora só há regalias), só porque "tenho a sorte" de ter trabalho.
Qual euromilhões, qual quê! Agora sorte é... ter trabalho!

Irra!

Já agora: nascer rico, muito rico, e não ter de trabalhar, é o quê?
Azar?

25 de abril de 2013

7 de abril de 2013

Uma fotografia por domingo (235)

Convento de Mafra
Estava tanto, mas tanto vento neste dia que nem precisava da passarola do Bartolomeu de Gusmão para levantar voo... se não me tivesse escapulido tão depressa lá para dentro! Ufa!

2 de abril de 2013

Pedido de ajuda

Quando há um descalabro nas culturas, é costume o pessoal pedir apoios estatais para fazer frente aos prejuízos.

Pois eu estou com um problema desses!

Da minha plantação de morangos (6 pés que me custaram 2,40 €), só 2 estão a produzir (presumo que por via do excesso de chuva, se bem que eu tento arrumá-los cada vez que chove -  o que tem dado uma trabalheira medonha, face à quantidade de vezes que tem chovido).
Tenho, se as contas não me falham, uma perda de 66%.

Alguém me sabe dizer onde é que se pedem os impressos?

A prova da veracidade dos factos...

27 de março de 2013

O regresso de Sócrates

não me incomoda mesmo nada.
Não assinei a petição, não vou desligar a televisão, nem sequer vou mudar de canal...

Ele não é o responsável pelo estado em que estamos. Ele é apenas um dos responsáveis, e talvez nem sequer seja o maior.
Mentiu? Ok mentiu. Mas se formos a fazer um concurso de mentiras entre Sócrates e Passos Coelho, quem pensam que ganhará?

Jamais voltarei a votar nele e jamais lhe perdoarei a megera que ele arranjou para ministra da educação, o que não quer dizer que tenha discordado de todas as suas políticas.

E até estou curiosa para ouvir o que ele tem para dizer.

(enquanto o povinho anda entretido a assinar petições por causa do seu "regresso", há um ex-espião a voltar ao ativo, com direito a retroativos e tudo...)

25 de março de 2013

Rapidinha de segunda

Da fama não se livram

Um judeu, de sangue raríssimo, doou meio litro de sangue a um milionário árabe muito doente.
Para retribuir o gesto, o milionário deu-lhe um BMW, novinho.
Algum tempo depois, o milionário precisou de mais sangue.
Avisou o judeu, que rapidamente foi ao hospital. Seria preciso mais 1 litro.

O judeu disse:
- Se quiser, tire logo 2 litros.
Assim foi feito.
No dia seguinte o judeu recebe do milionário uma caixa de bombons.
Ficou indignado e foi pedir explicações:
"Ora, da primeira vez, doei meio litro e deu-me um BMW.
Na segunda vez, doei 2 litros e só recebi bombons. Porquê?"

O milionário explicou:
- O senhor já se esqueceu de que agora tenho sangue judeu?

24 de março de 2013

Uma fotografia por domingo (233)

Nikita à janela


Quando se tem uma máquina a estrear e uma gata fotogénica, só pode sair uma boa fotografia!

22 de março de 2013

Apelo

aos-inventores-de-coisas-variadas, que inventem um medicamento desparasitante para gatos de que eles gostem!
Uma coisa assim a saber a peixe, ou a carne, ou a rato, ou a passarinho :(

Tentei embrulhar o comprimido em fiambre e gastei o fiambre todo, sem sucesso...
Depois resolvi atirar-lho pela goela abaixo, mas a terrorista da minha gata conseguiu sempre cuspi-lo.
Horas mais tarde, enfiei-o dentro daqueles pedacinhos de bla-bla-bla whiskas saquetas (e que ela adora porque só raramente come), mas conseguiu sempre detetar a miniatura do comprimido e deixá-lo num cantinho do prato.

Em desespero de causa resolvi juntá-lo à comida, bem moído, mas aí é que ela nem se chegou perto!
Resultado: quem ficou desparasitado foi um gatinho amarelo, vadio, que vem aqui todos os dias à procura de comida. Esse não se chateou com o sabor estranho.

18 de março de 2013

Rapidinha de segunda

O paciente está na capital para um exame periódico de saúde.
- Bebe?
- Dois ou três copos de vinho às refeições, um whiskyzinho à noite...
- Fuma?
Dois charutos por dia.
- E sexo?
- Duas ou três vezes por mês.
- Sóóó? Com a sua idade e a sua saúde, era para ser duas ou três vezes por semana.
- Sabe como é, doutor? Se eu fosse bispo na capital até que dava, mas numa aldeia, numa diocese pequena...

11 de março de 2013

Rapidinha de segunda

 Cá se fazem...

O tipo leva a amante a um motel e, quando lá chega, vê o carro do sogro estacionado à porta.
"Com que então, o malandreco do meu sogro também anda nisto, hein? Vou dar-lhe uma lição!"

Rouba o rádio do carro e faz alguns riscos na pintura, com uma chave.

No dia seguinte, liga para o sogro, que está furioso!
"Calma, caro sogro, o que se passa?"

"Mas como é que não hei-de estar furioso? Como se não bastasse roubarem-me o rádio do carro, também mo riscaram todo."
"..."
"E só o emprestei à tua mulher, para ela ir à missa!"

8 de março de 2013

Ninguém merece,

nem mesmo o Hugo Chávez!

Por mais "cromo" (no bom sentido, mas não me ocorre outra palavra para o definir) que tenha sido, ninguém merece ser mumificado e ficar ali exposto, aos olhos de todos, depois de morto...

Credo, que mau gosto!

E, bem a propósito, a frase do dia:

Enquanto a Venezuela tem um presidente morto, que parece estar vivo, Portugal tem um presidente vivo que parece estar morto...

4 de março de 2013

Rapidinha de segunda

Após a cirurgia:

- Doutor, sei que vocês médicos se vestem de branco. Mas porquê essa luz tão forte?
- Meu filho, eu sou São Pedro.

28 de fevereiro de 2013

Ooops...

O meu blog fez anos por estes dias e eu esqueci-me.
Se para os cães contamos 7 anos de idade para cada ano que passa, para um blog cada ano deve valer no mínimo uns 10...

Por isso, este blog está com 90 anos, muito velhinho, diria até ligado às máquinas.
Mas está vivo!

Com preguiça e falta de tempo para grandes procuras, deixo-vos uma fatia do meu último bolo, "coroa de laranja", uma maravilha.


Pena (para vocês) que seja só virtual.

25 de fevereiro de 2013

Rapidinha de segunda

Um homem já de idade avançada queixa-se ao médico:
"Senhor Doutor, ando preocupado … quando faço sexo ouço assobios..."

E o médico responde:
"E o que queria o Senhor ouvir com a sua idade? Aplausos?"

19 de fevereiro de 2013

Será que

sou meeeesmo gulosa?

 Será por isso que o meu marido, em datas especiais, me oferece ovos moles e não flores?



15 de fevereiro de 2013