17 de junho de 2013

Greve

Basta ver as "contagens" que vão aparecendo sobre a greve, para constatar que hoje só contam os alunos que fizeram ou não fizeram exame. Aliás, o objetivo da greve era mesmo esse: inviabilizar o máximo possível de exames.

Como não fui convocada para tomar conta de nenhum exame (graças a Deus, que parece que aquilo é uma autêntica tortura*, do género de uma pessoa não se poder sequer sentar), não fiz greve (se tivesse sido convocada, faria greve).
Só me ia prejudicar a mim, e já estou prejudicada que chegue...

Por isso, não me revejo nos  insultos por esse facebook fora, aos que não fizeram greve.
Há professores que, se tivessem algum poder, eram piores que o ministro.
Deus me livre deles!


* hoje, pelo que li, esqueceram todas as "regras de segurança" - algumas bem estúpidas, diga-se... - e valeu tudo, até fazer exame em ginásios. Há diretores que são uns capachos queridos.

2 comentários:

José António disse...

Ora bem, empatadinhos. Aliás por causa disso é que escrevi aquele argigo no Facebook. Cada vez tenho menos paciência para carneirismos. E então aquela ladainha das mãos dadas... efetivelmente!

pé-de-cereja disse...

OK, isso passou-me um bocado ao lado. Evidentemente que há quem perca as estribeiras e a razão quando entra em conflito. E nos professores, como se disse até ao ponto de enjoo, há gente boa, má excelente, parva, assim-assim, etc.
...........
Mas chamas a atenção para um ponto que também me fez pensar. Com esta confusão de exames em ginásios e cantinas e vigiados sem os cuidados que eram regra rigorosa nos outros anos, os resultados podem ser curiosos....