Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2005

Votem nos empreiteiros!

Aquele teste que fiz há tempos para ver se havia por aqui "serial killers" não foi completamente inocente: Agora que já sei que não há (há apenas umas meninas perspicazes...), posso dizer que moro em Aradas, à beirinha de Aveiro.
Era importante a localização exacta para se entender o resto...

Aqui há uns anos (bastantes, acho eu, mas nunca tive bem a noção de tempo...) fecharam-se as três passagens de nível que havia.
Para as substituir construíram duas passagens desniveladas: uma ponte e um túnel.
O túnel (que substitui duas que eram relativamente perto) já funciona há muito, se é que se pode chamar "funcionar" àquilo: é uma autêntica ratoeira para os automobilistas (tem uma rotunda numa posição que não lembra ao diabo!) e os autocarros nem sequer lá passam. O cruzamento que a serve é minúsculo, não tem placas de sinalização nem luz.
O mais incrível é que, dessas duas passagens de nível, uma era muito utilizada e muito espaçosa, enquanto a outra era minúscula e po…

Hora do recreio

O Pedro costuma enviar-me anedotas "más" acerca de professores.
Desta vez, talvez para se redimir e por se ter lembrado das reguadas que levou, mandou-me um texto engraçadíssimo!
Chamei-lhe recreio porque, acreditem, vou voltar ao assunto da educação e, principalmente, da falta dela.
Mas agora é mesmo hora de recreio:

O PROFESSOR ESTÁ SEMPRE ERRADO!

... se é jovem, não tem experiência
... se é velho, está superado
... se não tem carro, é um coitado
... se tem carro, chora de "barriga cheia"
... se fala em voz alta, grita
... se fala em tom normal, ninguém o ouve
... se não falta às aulas, é um tontinho
... se falta, é um “turista"
... se conversa com outros professores, está a falar mal dos alunos
... se não conversa, é um desligado
... se dá a matéria toda, não tem dó dos alunos
... se não dá a matéria, não prepara os alunos
... se brinca com a turma, arma-se em engraçado
... se não brinca, é um chato
... se chama a atenção, é um autoritário
... se não chama,…

Apanhada na rede...

Só me vou sujeitar a responder a isto porque li algures que se quebrarmos a corrente o Santana Lopes (até me custa escrever este nome...) ganha as eleições.
Como não quero ser responsabilizada por tal tragédia, cá vai:

1. Have you ever used toys or other things during sex?
Uso os brinquedos com que eu e o meu marido viemos equipados de série...!

2. Would you consider using dildos or other sexual toys in the future?
Sou uma ignorante a inglês... Procurei "dildos" no meu dicionário e não achei, por isso considerem novamente a resposta anterior no que se refere a "toys".

3. What is your kinkiest fantasy you have yet to realize?
Não responder a coisas destas, não ter medo de quebrar algumas correntes que a vida nos impõe...

4. Who gave you this dildo?
A safada da MWoman.
(Não perdes pela demora!)

5. Who are the ones to receive this dildo from you?

1.Claro que à Fada Magrinha. É sempre bom contar com a ajuda das fadas...
2. Não podia ficar de fora a minha Neurótica pref…

Da educação dos limites e dos limites da educação

Acerca do meu post anterior houve comentários muito interessantes e muito ficou ainda por dizer.
O Santos Passos resolveu, em vez de comentar, escrever também um post sobre o assunto lá no blog dele. Uma escrita tão interessante que a roubei para aqui, incluindo o título...Espero que ele não se zangue!

«Nesta recente viagem de mês e meio a Portugal (dezembro/janeiro), chamou nossa atenção - de minha mulher e minha - o comportamento de pais ao lidar com filhos em público. Nos restaurantes, nos hotéis, víamos crianças de várias idades "deitando e rolando" em cima de pais aparvalhados, cuja única reação diante das estrepolias dos miúdos era um sorriso amarelo.
Ora, penso que uma das características principais de um processo de educação é o gradativo estabelecimento de limites para que as crianças possam aprender a determinar o espaço que lhes cabe no mundo.
Se esse aprendizado inclui, vez em quando, umas palmadas, isso depende das circunstâncias, do momento. Confesso que, nas …

IN (disciplinas)

Na minha escola aparecem muitas vezes os meus ex-alunos, para fazerem uma visita, para contar novidades ou simplesmente para não estarem sozinhos em casa.
Na sexta-feira o Daniel (agora no 5.º ano) aparece com um olho negro.
Pôs-se então a contar a história: que o R. deixou cair uma caneta e o P. a apanhou e não a quis devolver, uma vez que a tinha "achado" no chão. Palavra puxa palavra e desataram à bulha...
O Daniel meteu-se no meio para defender o amigo e levou por tabela...
Quando o P. viu a coisa mal parada para o lado dele, não esteve com meias: espetou a caneta no braço do outro!
Eu na minha inocência perguntei: "E porque não foram chamar alguém, não havia por ali uma auxiliar que vos pudesse acudir?"
O Daniel olha para mim com aqueles olhos enormes e expressivos e remata: "Ó professora, chamar a contínua? Então isto passou-se durante a aula!"
.................
O castigo da professora para a o menino que feriu o outro?
Um recado na caderneta...

Ago…

Ora vamos ver quem ganhou...

Antes de dar a lista dos "vencedores", vou copiar o resto da questão.
Preparados?
Então cá vai:

Se respondeu correctamente a esta pergunta, você pensa exactamente como um psicopata. Este é um teste criado por um famoso psicologista Norte-Americano e usado para verificar se uma pessoa pensa como um assassino. Vários serial killers que foram presos realizaram o teste e responderam correctamente.
Se você não respondeu correctamente - que alívio!

Resultados do teste:
Não se comprometeram, não respondendo:
O Pedro, o mfc , a MWoman , a Azoriana e o AFlores.

Uns autênticos santinhos são:
A MRF , o "anónimo 2", o Art of Love o Yarbird, o Turista e a Fada Magrinha.

E finalmente, os verdadeiros, terríveis e perigosos psicopatas são... tchan tchan...

A Carla , a Fernanda , a Partilhas (quem te manda ser copiona??) e o "anónimo 1"!

Nota 1: Já repararam que só acertaram mulheres?? Será que são psicopatas ou apenas mais inteligentes?? :-)

Nota 2: Quando eu fiz este test…

A propósito da tomada de posse...

"Pai, porque é que tivemos que atacar o Iraque?"
"Porque eles tinham armas de destruição em massa, filho."
"Mas os inspectores não encontraram nenhuma arma de destruição em massa."
"Isso é porque os iraquianos as esconderam."
"E porque é que nós invadimos o Iraque?"
"Bom, as invasões funcionam sempre melhor que as inspecções."
"Mas depois de os termos invadido, ainda não encontramos nenhuma arma..."
"Isso porque as armas estão muito bem escondidas. Mas haveremos de encontrar alguma coisa"
"Para que é que o Iraque queria todas aquelas armas de destruição em massa?"
"Para as usar numa guerra, claro."
"Estou confuso. Se eles tinham todas essas armas e planeavam usá-las numa guerra, então porque é que não usaram nenhuma quando os atacamos?"
"Bem, obviamente não queriam que ninguém soubesse que eles tinham aquelas armas, por isso eles escolheram morrer aos milhares em vez de se de…

Agora vou saber quem é de confiança!

Este é um genuíno teste psicológico.

Esta é a história de uma rapariga que estava no funeral de sua mãe, onde conhece um rapaz que nunca tinha visto antes.
Ela achou-o maravilhoso, tanto que pensou ser ele o rapaz dos seus sonhos, apaixonando-se perdidamente...
Poucos dias depois esta rapariga matou a sua própria irmã.

PERGUNTA: Qual o motivo que a levou a matar a irmã?


Agora o que têm a fazer é dar uma resposta!
Amanhã aviso quem acertou... e também qual é o prémio!

A vingança serve-se fria...

... e come-se pelas bordas!!

Hoje fui visitada na minha escola por uma comitiva de peso...
As várias personalidades vinham na comitiva da nova Vereadora da Educação [o vereador anterior teve de se demitir por causa dumas desafinações com uma Filarmonia cá do burgo] que, depois de ter assumido o cargo, resolveu fazer uma ronda por todas as escolas do concelho para se inteirar dos seus problemas.
Uma atitude que só lhe fica bem, e esperemos que do rol de reivindicações que ela levou, pelo menos algumas tenham resposta (eu para além de ingénua também sou optimista, graças a Deus).
Só da minha escola levou muito que contar!
Incluindo, claro, a história da fossa incontinente!
.......
Agora só queria ser uma mosquinha para poder ver a cara do "prejidente da junta" (que, ao contrário dos presidentes de junta de outras freguesias, não fazia parte da comitiva) quando receber um telefonema, ou mail, ou fax, ou seja lá o que for, a dizer que afinal é mesmo a JUNTA que tem de resolver o…

Anti-stress

Se ficaram nervosos com esta história de incompetência de quem devia zelar pelos interesses públicos, façam como eu...
Uma voltinha aqui: http://fun.from.hell.pl/2003-11-24/bubblewrap.swf

Divirtam-se!

Mais telefonemas

Atendo o telefone e uma voz simpática diz "É da editora x, queria falar com a doutora Margarida".
E eu, sem me desmanchar:
"Deve ser engano! Isto é uma escola, não é um hospital"!
.................................
Mas que raio de país, só doutores e engenheiros!
Safa!

Apelo para a humanidade

Imagem
Tivemos a tristeza de ver recentemente o Tsunami, causando uma grande destruição e vitimando um número inconcebível de pessoas em sete países da Ásia. Sabemos que esse tipo de facto é um acontecimento natural, porém havemos de analisar e acrescentar que a intensidade desse tsunami mostra-nos claramente que o desequilíbrio ambiental é, incontestavelmente, potencializador de forças naturais deste porte. Cabe a nós, definitivamente, uma reflexão séria sobre o assunto e buscarmos maneiras mais correctas de lidarmos com o espaço que vivemos, para que não sejamos nós os responsáveis por catástrofes desta natureza.

Nós blogueiros, propomos desde já, unirmo-nos em um alerta para a humanidade, e implantarmos cada um de nós, a nosso modo e em nosso ambiente, medidas práticas de mudanças!

É tempo de se falar abertamente. É tempo de se abordarem as questões em profundidade e não de forma restritiva. É tempo enfim, de se falar a sério sobre a questão ambiental e ecológica. Sobre a humanidade!

E co…

"Eu é que xou o Prajidente da Junta"

Se a teoria das minhas amigas comentadoras (priminha incluída) de que o meu estado de "boa condutora" se devia ao stress, então hoje eu tinha morrido esturricadinha!!

É que hoje o meu stress atingiu o nível 9 (na minha escala de 1 a 10) e, afinal, só apanhei um pequeno choque há bocado na televisão...

Eu conto do início: estava na escola, o telefone tocou e fui muito normalmente atender.
Era um senhor que desatou a chamar-me burra!!
Ele não disse "burra" pois é um homem muito culto.
Disse: "ai não sabia? não diga que não sabia, pois vou ter de lhe chamar o nome adequado"... e por aí fora sempre neste tom...
E o que mais me chateia é que ele tem razão: eu sou mesmo BURRA, pois se o não fosse tinha-lhe desligado o telefone nas trombas...

E que deveria afinal eu saber??
Eu conto mais: em meados de Dezembro uma fossa da escola entupiu e começou a deitar fora. Avisei os serviços municipalizados que me disseram não ser nada com eles uma vez que o problema era d…

Duas novidades e uma dúvida

Primeira novidade:
Sou uma boa condutora!
Aliás, posso dizer sem exagero que sou uma excelente condutora: só hoje apanhei três "esticões" a mexer nas coisas mais triviais como: o meu carro, depois a máquina de lavar e, finalmente, no microondas!

Segunda novidade:
A propósito daquele abaixo assinado que enviei para toda a gente acerca dos "gatinhos Bonsai" recebi esta resposta do Pedro, que é um rapaz muito informado:

Olá !
Esteja sossegada, que esta notícia é, como se diz neste meio, um "wax", ou seja, é um boato electrónico. Os gatinhos estão a salvo. :)
Se não estou em erro, aquilo é um projecto de um estudante, mas no qual não foram usados gatinhos a sério ! :)
Tadinhos dos bichos ! :)

E finalmente... A dúvida!
É possível um ministro demitir-se dum governo demitido??

Tsunami de incompetências

"O que faríamos nós se uma tragédia como a da Ásia acontecesse em Portugal" ?
Mais coisa menos coisa, era esta a pergunta inteligente do "Prós e Contras" de hoje.
Mas que raio de pergunta!!
O que faríamos?
Quem, numa altura dessas, estiver no mar ou lá perto, morre como os outros todos morreram. Quem estiver bem afastado é capaz de escapar...

Não seria melhor perguntar "O que poderemos fazer daqui para a frente para, no caso de um terramoto ou de um tsunami, haver o menor número possível de vítimas"?
E a esta até eu sei responder, apesar de não ter sido convidada a participar no programa:
É simples: não deixar construir em cima do mar seria a primeira medida acertada!
A Costa Nova e a Barra têm casas até em cima da praia!
Além de horrívelmente inestético é também altamente perigoso.
Houve pessoas que construíram ou compraram os seus apartamentos há uns anos na Costa Nova convencidas que iam ter vista para o mar.
Era o que se falava na altura e seria o mai…

Recadinhos...

No Contra Informação a notícia: as listas do PSD andam da maneira que andam porque estão a ser feitas pela mesma empresa que fez as colocações dos professores! (e para mim o Contra é mais credível que qualquer noticiário...)Na novela "Senhora do Destino" Nuno Melo faz o papel do "portuga" Constantino, o taxista. Tanto o personagem como o actor dão uma má imagem dos portugueses. Deprimente!Porque será que, mesmo depois de ter terminado a aberração da "quinta" o Herman José insiste no (pior ainda, se possível) "Quintal dos Ranhosos"? Porque será que o nosso melhor humorista precisa destas rasquices? Falta de inspiração? Ou mudança de gosto?E agora um pedido: quando comentarem no meu blog, por favor deixem contacto (mail ou nome do blog). Não há nada mais triste do que fazerem-nos uma pergunta e não sabermos como responder...

Solidariedade(s)

Hoje a RTP dedicou todo o dia à solidariedade para com os povos atingidos pelo maremoto e pelo tsunami.
Ao serão lá telefonei mais umas vezes para o número que eles indicavam. Só há uns minutos atrás reparei que, por cada chamada de 60 cêntimos que reverterão a favor das instituições escolhidas, vou também "dar" ao governo o IVA correspondente! Fiz a conta e deu-me 0,114 € por cada telefonema!
Não sei ao certo que quantia representaram as chamadas telefónicas, mas creio que ficaram na casa das centenas de milhar de euros...
Eu, como ingénua que sou (pelo menos já me chamaram isso...), estou à espera que apareça alguém do governo a dizer que o dinheiro que receberem de IVA também reverterá a favor das vítimas!

Vidas diferentes

A Francelina foi minha aluna há cerca de 5 anos, teria uns 11 ou 12 anos. Depois de aprender a ler "desapareceu" da escola.
Hoje, quando eu ia a sair, estava ela ao portão toda sorridente. Tinha vindo à loja e resolveu visitar-me.
Perguntei-lhe como lhe corria a vida. "Bem" , disse ela.
"E então, já casaste?"
Respondeu que sim, já casou há dois anos e até já tem um bebé com mais de um ano...
"E sempre te casaste com aquele namorado de quem não gostavas?"
(No tempo em que ela foi minha aluna estava "prometida" a um rapaz de quem ela dizia não gostar. Eu dizia-lhe "se não gostas dele não cases, faz uma birra!" Uma vez até falei com a mãe acerca da tristeza dela, mas a mãe disse nada poder fazer uma vez que ela já lhe estava prometida e, pelas leis dos ciganos, não podiam quebrar esses acordos).
"Não! Casei com outro!"
"Então como fizeste isso?"
"Ora, fugi com ele e depois obrigaram-nos a casar"

&quo…

Escolha impossível

Hoje, primeiro dia de escola depois das férias, era inevitável falar com as crianças acerca da tragédia na Ásia, mostrar-lhes no mapa onde ficam esses países, ouvir as opiniões deles...

A Rita tem 7 anos.
A certa altura da conversa ela diz: "Tu viste aquela mulher que largou um filho para salvar o outro?
Eu acho que ela devia ter agarrado os dois filhos e assim ou morriam os três ou salvavam-se os três."

Assim, sem tirar nem pôr!

E eu fiquei palerma a olhar para ela, pois a imagem que mais me marcou de toda esta tragédia foi precisamente a do tal filho "não escolhido" a soluçar convulsivamente agarrado a um peluche.
E eu nunca tinha tido a coragem, em todos estes dias, de comentar com alguém, nem sequer cá em casa, que eu sempre pensei como a Rita: uma mãe não pode escolher um filho!

Primeiro de Janeiro!

Imagem
Inesperadamente (como eu gosto, aliás) cá em casa resolvemos ir passar o ano à Figueira da Foz. Não foi por nada de especial, apenas por ser a terra mais perto de Aveiro com festa ao ar livre!
Por volta das 20 horas já os restaurantes estavam cheios e tivemos de estar numa bicha para entrar na Pizza Hut!! (Ó Acontecencias, não te chateies mas na minha terra diz-se "bicha" e não fila!).
Quando finalmente conseguimos mesa, jantámos muito bem instalados com vista para os "tios" e "tias" que entravam no Casino, cheios de casacos de peles (blhaaaac!!). E também fiquei satisfeita por verificar que ainda não tenho idade para entrar em sítios daqueles!

Vista do CasinoÀ meia-noite o fogo de artifício foi lindo!
Já o mesmo não se pode dizer da banda brasileira, nem do comportamento de muita gente! Havia crianças a dançar num chão cheio de vidros das garrafas que iam partindo... Será tradição deitar as garrafas vazias para o chão? Que grunhos!!


A primeira gulodice d…

Ano Novo!

Imagem
Figueira da Foz, 01/01/2005