10 de janeiro de 2005

Tsunami de incompetências

"O que faríamos nós se uma tragédia como a da Ásia acontecesse em Portugal" ?
Mais coisa menos coisa, era esta a pergunta inteligente do "Prós e Contras" de hoje.
Mas que raio de pergunta!!
O que faríamos?
Quem, numa altura dessas, estiver no mar ou lá perto, morre como os outros todos morreram. Quem estiver bem afastado é capaz de escapar...

Não seria melhor perguntar "O que poderemos fazer daqui para a frente para, no caso de um terramoto ou de um tsunami, haver o menor número possível de vítimas"?
E a esta até eu sei responder, apesar de não ter sido convidada a participar no programa:
É simples: não deixar construir em cima do mar seria a primeira medida acertada!
A Costa Nova e a Barra têm casas até em cima da praia!
Além de horrívelmente inestético é também altamente perigoso.
Houve pessoas que construíram ou compraram os seus apartamentos há uns anos na Costa Nova convencidas que iam ter vista para o mar.
Era o que se falava na altura e seria o mais correcto: as casas estavam afastadas da praia dando possibilidade de fazer ainda uma boa marginal, com uma estrada larga, pistas para peões e para ciclistas e estacionamentos.
Mas sabem o que aconteceu??
À frente dessas casas acabaram por construir ainda mais duas (e nalguns locais três) filas de casas! Isto tudo com a benção da Câmara de Ílhavo pois eu não acredito que tantos prédios sejam clandestinos.
E lugar para passear, de bicicleta, de carro ou a pé? Não há!
Há uma estrada fraca que serve para tudo em simultâneo e que transforma a marginal num verdadeiro caos, principalmente no Verão...
...
Um verdadeiro tsunami de incompetência, de laxismo e de enchimento-de-bolsos-a-alguém varreu a costa do nosso país. Nenhuma praia se salvou!

11 comentários:

mfc disse...

Infelizmente esse é o "paraíso" de norte a sul...

Anónimo disse...

Como sabes, isso acontece de norte a sul: é o peso dos cifrões vs. o valor da segurança. Bjinhos, Formiguinha

C_de_Ciranda disse...

Oh... Eu que o diga que tantos Verões lá passei! Então Domingis de Agosto... Pfftt.. Parecia uma romaria às vezes. E é pena porque aquilo era tão tão mas tão mais pacato...

Esnife... Beijinhos ;)

*** Ciranda

Paulo Lopes disse...

É, de facto, um escândalo, saltapocinhas. E muitas dessas casas nos areais são de "VIP's" e até políticos que dão o exemplo...
Quanto a um eventual tsunami nas costas portuguesas (esperemos que não...) será à boa maneira portuguesa: espera-se que haja uma tragédia (e tem que ser tragédia mesmo...) para depois haver um grande debate (com enne especialistas a alvitrar) durante algum tempo, anuncia-se medidas e... fica tudo na mesma... ;-(

fernanda dias disse...

E como tu tens (DE NOVO)tanta razão... beijo

Didas disse...

E como se usa dizer, se a avó deles tivesse rodas era uma bicicleta.

Abulafia disse...

Nós somos mais perigosos do que um tsunami... a diferença é que disfarçamos um bocadinho melhor porque vamos fazendo a asneira todos os dias e não toda de uma vez...

afigaro disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
sonia disse...

a construção na costa portuguesa é uma verdadeira vergonha. e nos leitos dos rios é a mesma coisa, por isso há tantas cheias de cada vez que chove um pouco mais. mas em portugal é tudo às 3 pancadas... enfim...
beijinhos

MRF disse...

A costa Nova e Barra ERAM locais bonitos. A sobreconstrução e a falta de normas relativamente à fachada das construções destruiu tudo. Temos sucessões de prédios todos diferentes uns dos outros, e cada um mais aberrante que o outro! E a ausência de parques/zonas verdes, abertas, entre as construções tb é gritante. Há zonas do país que têm a desculpa de que foram erros dos anos 70 ou dos anos 80. Ali, qual é a desculpa? Continuam a construir. Hoje. Mas quem elege os autarcas (todos nós) tb é responsável. Enquanto essas questões não pesarem o suficiente para alterar o sentido de voto, vamos continuar a asistir aos mesmos erros!

Anónimo disse...

O "tsunami" aqui referido já chegou à nossa costa há muito tempo. aflores/ailaife blog