Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2011

Decidam-se, ok?

Ando às voltas com o euro e com os cêntimos.
E meter naquelas cabecinhas, que ainda mal sabem ler, que 1€= 100 cêntimos, e fazer aquelas contas todas e aquelas equivalências, é areia de mais para eles...

Por isso, se o euro está mesmo para acabar, façam-no depressa, antes que eu dê em doida!

Devo ser muito burra,

mas não sei onde raio está a justiça de, por ganhar mais de 1100 €* por mês, deixar de ter direito ao subsídio de natal e de férias...
E de o vizinho do lado, apesar de ganhar bastante mais, não perder direito a nada, só porque o patrão não é o mesmo.

Não seria muito mais justo se, por exemplo, criassem um imposto sobre o que vai para além dos 800, ou dos 900, ou dos 1000 - o que entendessem - mas para toda a gente?

Será assim tão difícil de entender?

* eu sei que a maioria dos portugueses ganha ainda menos, mas não é isso que está em causa agora.
Realmente o ordenado mínimo nacional é uma vergonha, uma afronta a todos os que trabalham e que têm uma casa para sustentar e direito a uma vida digna.

Rapidinha de segunda (xxxvi)

O fabuloso Paulinho
(ou de como às vezes nos queixamos de barriga cheia...)

Um casal passa a lua de mel numa linda cidade. 
Numa dos seus passeios passam perto de uma casa de espectáculos eróticos onde o letreiro anuncia: 'HOJE, O FABULOSO PAULINHO'.

Entram e o show começa com Paulinho, 44 anos, numa cama com um loura, uma morena e uma ruiva, que ele traça uma a uma...... e depois repete. 
As três mulheres, exaustas, deixam o palco, enquanto Paulinho agradece ao público, que aplaude efusivamente, de pé.
Sob o rufar de tambores, uma mesinha com 3 nozes é colocada bem no centro do cenário.
Paulinho quebra as 3 nozes com o pénis, com pancadas precisas. 
O público vai à loucura e ele é ovacionado por vários minutos!  

Passados 25 anos, para recordar os velhos tempos, o casal decide comemorar as bodas de prata na mesma cidade. 
Passeiam pelos mesmos lugares e, diante da mesma casa vêem, surpresos, o cartaz:  'HOJE, O FABULOSO PAULINHO'.
Entram e, no palco, quem está …

Uma fotografia por domingo (196)

Imagem
Em Nothing Hill fica a casa onde viveu o escritor George Orwell.
Sortudo!

O meu marido

O meu marido não me manda flores... (mas é capaz de me trazer uma rosa amarela do quintal, lá para finais de Dezembro, quando andar a podar e por lá encontrar uma esquecida).


O meu marido não me chama "amor", nem "querida", muito menos "fofa" ou "filha"... (mas chama-me pelo meu nome ou diminutivo de uma maneira especial e inconfundível).

O meu marido não me dá jóias caras... (mas oferece-me um carinho enorme, um olhar especial e uma disponibilidade sem limites, sempre).

O meu marido às vezes vai a jantares de amigos ou colegas, mas diz sempre que preferia jantar comigo... (e eu sei que é verdade).

O meu marido quando precisa de ir a algum lado, seja lá onde for, prefere a minha companhia à de qualquer outra pessoa... ( e eu também).
Todas as mulheres têm uma "melhor amiga", de quem nada escondem. Eu também tenho algumas boas amigas, mas a melhor de todas... é o meu marido.

O meu marido faz anos hoje.Como ainda não lhe comprei nada, vo…

Parabéns "Laços de sangue"

Imagem

 A novela "laços de sangue" ganhou hoje um Emmy. Parabéns!


Bem merecido, já que esta foi uma excelente novela, (embora tenha começado a abandalhar lá para o fim, com a mania que há de as "esticarem" para lá do razoável).
Já a atual é uma bela porcaria (ou era, que entretanto deixei de ver)...

E é uma pena, já que eu gosto de seguir uma novela (faz parte do meu tratamento anti-stress diário) e agora fiquei sem nenhuma para ver. Sniif.



Rapidinha de segunda (xxxv)

A Professora pergunta:

- Joãozinho, o que você quer ser quando crescer?
 – Eu quero ser bilionário. Quero irà discoteca mais cara, pegar a p*** mais cara, dar-lhe um carro de 100.000€ e uma mansão em Londres.
E você, Mariazinha?
- Eu? Eu quero ser a p***!

Uma fotografia por domingo (195)

Imagem
Despedida do outono...

Uma análise do mundo: imperdível!

O Mundo - uma análise divertidíssima
Por Hernán Casciari


Li uma vez que a Argentina não é nem melhor, nem pior que a Espanha, só que mais jovem.
Gostei dessa teoria e aí inventei um truque para descobrir a idade dos países baseando-me no 'sistema cão'. Desde meninos nos explicam que para saber se um cão é jovem ou velho, deveríamos multiplicar a sua idade biológica por 7.

No caso de países temos que dividir a sua idade histórica por 14 para conhecer a sua correspondência humana. Confuso? Neste artigo exponho alguns exemplares reveladores.

A Argentina nasceu em 1816, assim sendo, já tem 190 anos. Se dividimos estes anos por 14, a Argentina tem 'humanamente' cerca de 13 anos e meio, ou seja, está na pré-adolescência.
É rebelde, não tem memória, responde sem pensar e está cheia de acne.

Quase todos os países da América Latina têm a mesma idade, e como acontece nesses casos, eles formam gangues. A gangue do Mercosul é formada por quatro adolescentes que tem um conjunto d…

Adenda ao post anterior...

Acerca do vídeo da Sábado, li os comentários e já li também numa página do facebook as explicações de um dos visados na reportagem.
Acontece que esse rapaz até foi um dos que não merecia figurar em tal lista, pois não saber quem pintou o teto da Capela Sistina (e ele até sabia!), não tem importância nenhuma...
Conta ele também que fizeram 10 perguntas a cada pessoa e só publicitaram as respostas erradas. Isso também não me admira nada, pois o pessoal daquela revista é bem sacaninha - basta ler alguns editoriais assinados "o diretor" para vermos que adoram fugir para a rasquice.

Mas...
Não se admite não saberem respostas a perguntas básicas ("Os Maias" estudam-se no liceu, acho eu!).
E o que mais me chocou foi dizerem "não é comigo" cada vez que não sabiam responder.

Houve um comentário (do Reis) sobre a culpa do ensino e é verdade: disciplinas estanques, em que nada tem a ver com nada não é um bom caminho. Mas parece que a "especialização" veio…

AVISO: sentem-se para assistir a isto!

A revista Sábado  fez um teste (básico, dizem eles. Eu acho que é para lá de básico) a 100 alunos de universidades de Lisboa.
O resultado é dramático (dizem eles).
Eu diria antes: percebem agora por que o nosso país está como está?
É que esta gente vota!
E alguns destes cromos serão os nossos futuros políticos.

Vox Pop: A ignorância dos nossos universitários (vídeo)


As palavras

da ministra da justiça, acerca dos guardas prisionais (ao que ela diz trabalham pouco - dormem nas horas que lhes são pagas como extraordinárias) trouxeram-me à memória a "falecida" ministra da educação, essa sim , de péssima memória.
Também ela fez o que nenhum ministro jamais devia fazer: dizer mal do "seu pessoal" na praça pública.

Tal como no caso da ministra da educação, não acredito que esta tenha razão. Ser guarda prisional deve ser uma profissão horrível e devia por isso ser muito bem paga (o que não acredito que seja...).
E todos sabemos que, se os guardas prisionais fossem em número suficiente, não haveria necessidade de recorrer a horas extraordinárias, estivessem eles acordados ou a dormir...

Rapidinha de segunda (xxxiv)

Uma mulher está a assistir a um programa de culinária na TV e o marido diz-lhe, com aquela sua indelicadeza de sempre:

- Porque estás a ver isto se não sabes cozinhar?!!!

E ela responde, com sua franqueza de sempre:

- Tu tambem vês filmes pornograficos e eu não digo nada...

Rapidinha de segunda (xxxiii)

No tribunal


O Juiz perguntou à prostituta:

- "Então quando é que se apercebeu que tinha sido violada?"

- A prostituta respondeu, limpando as lágrimas:

"-Quando o cheque foi devolvido!!!"

Uma fotografia por domingo (194)

Imagem
Foram fotografados na primavera, mas como as fotografias não murcham... aqui estão belíssimas, em pleno outono.

Rosa... fósforo

A nova novela portuguesa chamada "Rosa fogo", não vale nem um fósforo...
Incrivelmente mal escrita, nem os excelentes atores* que a povoam conseguem salvá-la.
Rogério Samora, Maria Emília Correia, Manuel Cavaco e outros, não chegam para salvar uma história tão fraca e tão mórbida.

As crianças, então, essas são más de mais: as crianças não são assim, não falam assim, não reagem assim!
Dá a impressão de que, quem escreveu a história, nunca deve ter falado com uma!

* Também há um grupinho de pseudo-atores muito, muito fraco...