30 de dezembro de 2004

Feliz Ano Novo!

Recebi hoje este mail, da minha prima Gracita.
Como ela escreve melhor que eu, faço minhas as palavras dela...

«Olá Guigui!
Acabei de desligar a televisão. A tragédia que se abateu sobre tantos milhares de pessoas, mesmo sendo do outro lado do mundo, deixa-me um nó na garganta. Há pouco recebi uma mensagem SMS que falava numa caixinha cheia de paz, de alegria, de carinho... Como eu gostava de ter uma caixinha assim mágica... e de poder enviá-la a todos os que sofrem das mais variadas maneiras, no final de um ano que se revelou tão complicado!
Sei que partilhas os meus sentimentos e apreensões, por isso resolvi escrever-te duas palavras (depois de enxotar o meu garoto mais pequeno que adora lugar cativo no computador!).
Apesar de tudo, sei que temos que manter viva a esperança... de que o próximo ano há-de ser melhor, de que haverá mais paz, de que os gestos de solidariedade que se multiplicam neste momento vão verdadeiramente valorizar aquilo que nos une, e não o que nos separa! Só assim poderemos acreditar no Futuro, nas promessas e na força trazidas por cada menino que em 2005 irá nascer! (...)
Que a esperança sempre renovada de um futuro melhor consiga brilhar, apesar de tudo, e nos ilumine neste mudar da folha do calendário... e que 2005 seja, para nós e para todo o mundo, um ano bem melhor, cheio de Paz e Amor desde o primeiro momento.
Um grande beijinho de saudação para o Ano Novo.
Muitos momentos felizes!
Gracita»

29 de dezembro de 2004

Dois dias perfeitos!

Ontem e hoje foram, para mim, dois dias perfeitos:
Ontem, porque o tempo estava cinzento e feio, caía aquela chuva miudinha mas persistente (aquela que nos convence de que o sol nunca mais voltará) e eu passei todo o dia na mais completa pasmaceira e sem sequer pôr o nariz da porta para fora: fiquei à janela a ver chover, sentei-me à lareira e dei uma overdose de festas ao meu gato, desfolhei revistas, comi gulodices, vi televisão... A meio da tarde ainda pensei em fazer alguma coisa de útil, mas esperei um bocadinho e aquele mau sintoma passou-me!

Hoje e porque o nosso stock de vinho estava quase no fim, fomos às compras!
Só que, tal como na história das pantufas, o vinho também tem de ser comprado onde se produz. E lá fomos à Adega Cooperativa de Vila Nova de Tázem comprar vinho do Dão verdadeiro.
Fizemos um pequeno desvio no caminho e fomos almoçar a Gouveia.
Eu adoro aquela terra onde em vez de ruas descemos e subimos escadas.
Se estiverem a pensar lá ir, vão almoçar ao Monteneve. A comida é boa e barata. Quem preferir pernoitar por lá e conhecer melhor aquela região pode alugar um quarto pois além do restaurante também tem residencial.



De caminho ainda fomos ver se a Serra da Estrela tinha neve.
Estava linda a serra, mas só tinha uns salpicos de neve aqui e ali.



E pronto, aqui está a prova de como dois dias completamente diferentes podem ser igualmente bons... Basta saber aproveitar o melhor de cada um! (esta teoria também se deve aplicar às pessoas!)

27 de dezembro de 2004

Fim de festa



E pronto!
Terminou mais uma festa de Natal.
O Pai Natal vai de férias por um ano (rica vida!!), assim como as renas...
Esperemos que no coração de todos fique alguma réstea da boa vontade que é apregoada nestes dias!
Mas, apesar de ter acabado a festa, não acabaram os vestígios: o frigorífico e a mesa da sala cheios de doçaria variada, a árvore que continua a piscar, os laços e papéis de embrulho que vão aparecendo nos sítios mais estranhos!
Ainda vão passar uns dias até tudo voltar à normalidade...
...
O pessoal cá de casa ofereceu-me roupa. Ainda bem que sou optimista, pois se eu fosse pessimista pensaria: "será que ando assim tão mal vestida?".

25 de dezembro de 2004

Miguel Torga - História Antiga

Hoje deixo aqui o meu poema de Natal preferido, com votos de
Feliz Natal para todos!

História Antiga

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava, e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da Nação.

Mas,
Por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.


Miguel Torga
Coimbra, 12/10/1937

23 de dezembro de 2004

O meu Natal

Mal começavam as férias do Natal lá rumava eu e a minha irmã para Vale de Cambra onde vive todo o resto da família.
Os dias antes do Natal eram poucos para tanta brincadeira, para apanhar o musgo, fazer o presépio (enorme, por cima da lareira da casa dos meus tios), ir à igreja assistir às cerimónias próprias da época e sei lá que mais!
A noite de consoada era uma festa: pai, mãe, avós, tios e primos juntos numa mesa farta de bacalhau com todos. Para a sobremesa rabanadas, mexidos, bilharacos, pão-de-ló, leite creme, bolo-rei...
No fim de jantar os mais novos declamavam poemas e cantavam, enquanto os mais velhos jogavam às cartas e conversavam à lareira.
Antes de nos deitarmos (desta vez excepcionalmente depois da meia-noite) havia o ritual de perfilar os sapatos todos à beira da lareira.
No dia seguinte de madrugada lá estávamos nós a ver o que nos tinha caído no sapato. Nada de especial se comparado com a fartura de hoje: meia dúzia de chocolates (guarda-chuvas, carrinhos de chocolate, uma tablete da Regina... Quem se lembra?). Costumava haver também uma boneca de plástico (não tinha cabelo, não falava, muito menos fazia xixi!) e algumas peças de roupa.
____________________

Se comparado com a quantidade de prendas que recebem a maioria das crianças de hoje, parece um Natal pobre...
Mas não! Aquela boneca pindérica a quem eu arrancava os braços e as pernas dois ou três dias depois, dava-me mais felicidade que as carradas de brinquedos que as crianças recebem agora, escolhidas e listadas dos milhentos folhetos que já vêm prontos dos hipermercados, faltando apenas pôr o X onde interessa!
Não quero dizer que as crianças de agora não sejam felizes, mas no meio de tantos brinquedos, acabam por não ligar a nenhum... E acabam também por não dar valor nenhum ao esforço que os pais fazem para lhes dar o que pedem, pois muitos escondem dos filhos esse esforço como se de uma vergonha se tratasse...
...
E, depois, há aqueles que nem dinheiro têm para uma refeição decente!
Mas desses não falo hoje senão o AFlores vem aqui ralhar comigo... :-(

21 de dezembro de 2004

(in)Justiça social

Na televisão contam a história de uma família de 7 pessoas que tem 20 euros para viver até ao final do mês (Natal incluído, claro). Nessa família há uma menina que faz hoje 12 anos e diz que embora saiba que não vai ganhar nada no Natal, só gostava de ter uma prenda... A mãe diz que gostava que o dinheiro chegasse para pôr comida na mesa...
Noticiário das 20 horas, SIC

«Vou passar o Natal na minha casa (...) sem grandes cerimónias. Vai ser uma cerimónia simples, vou decorar a casa com coisas simples e não vou deixar de ir a Paris comprar os ingredientes, que em Portugal não existem, para a minha ceia de Natal. Vou lá comprar sobretudo trufas, fígados frescos de ganso e os mais variados tipos de cogumelos.»
Entrevista a Herman José na "Dica da semana"
__________________

Há 30 anos houve uma revolução (a tal dos cravos).
Uma das coisas que se prometia (e em que eu ingenuamente acreditava por achar era assim que devia ser) é que, daí para a frente, haveria uma coisa chamada "justiça social".
Porque será então que os ricos estão cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres??

20 de dezembro de 2004

Frase do dia

Continuo sem tempo (está quaaase a acabar este stress!!) e continuo a roubar coisas por aí!
Hoje a lesada foi a Panpanisca que publicou esta frase que achei mesmo apropriada:

« O que engorda não é o que se come entre o Natal e o Ano Novo, mas sim o que se come entre o Ano Novo e o Natal...»

Formidável, não acham?
Então, toca a comer que é tempo de iguarias!!

19 de dezembro de 2004

Eu (também) acredito!

Ainda soterrada de trabalho, nada ia escrever. Mas, na minha voltinha do costume, deparei com este texto da Inconformada.
E não resisto a publicá-lo por dois motivos:
primeiro porque está - como tudo o que ela escreve, aliás - muito bem escrito; segundo porque concordo com ela em número, género, grau e tudo o que quiserem acrescentar.
E há um terceiro: dei-lhe meia hora para ela não me autorizar o "roubo" e como ela não respondeu...

PS: A palavra "também" que está no título entre parêntesis, é da minha autoria!!

«Ao longo do ano celebramos várias datas.
Feriados religiosos, momentos históricos, os aniversários de quem queremos bem. Não encontro nenhuma data mais polémica que o Natal e francamente não entendo porquê. É certo que é uma época associada ao consumismo mas... e as outras ?
As montras das lojas enfeitam-se quase todos os meses do ano.
Porquê esta "raivinha" contra o Natal ?
Creio firmemente que "Natal é quando um homem quiser", assim como todos os dias são Dia da Mãe ou Dia da Liberdade, ou dia seja lá do que for. Todos os dias são dias de mim, embora eu só celebre o meu aniversário uma vez por ano, mas isso não me impede de o celebrar com alegria.
No Natal eu celebro o Amor, a minha crença maior, a única que eu creio ser capaz de vencer todas as adversidades.
O Amor não só pelos que vivem no meu coração, pelos que me rodeiam mas também pelos que não sabem o que é ser amado.
Sei que no preciso momento em que enfeito a minha árvore de Natal, há gente que nem sabe o que é um lar.
Sei que quando me enfarinho nos doces tradicionais há quem morra de fome.
Sei que enquanto encho a minha casa de canções de Natal há quem pouco mais escute que o som das armas, do choro e da dor.
Mas sei que há fome, doença, guerra e dor todos os dias do ano.
No Natal apenas celebro o meu acreditar...
Acredito na importância dos pequenos gestos de todos os dias.
Acredito no poder de um abraço, na força imensa de uma mão entendida, na riqueza de um beijo, no calor de uma palavra, nos valores que devemos acarinhar e transmitir às gerações vindouras, que as tornem mais solidárias, mais conscientes que o pouco que podem fazer significa muito para quem nada tem.
Acredito que, todos juntos, podemos mudar o mundo, e que podemos começar pelos que nos estão perto, não só a família e os amigos mas também os vizinhos, o Sr. José do café ou a D. Mafalda da mercearia.
Há quem, quando me ouve, argumente quase violentamente apresentando razões mais do que válidas para não acreditar; há quem sorria e encolha os ombros pacientemente.
Mas não há nada nem ninguém, que me roube esta crença.
Um crença que tem um símbolo.
O nome pouco importa, chamem-lhe o que quiserem.
Eu gosto de lhe chamar Pai Natal.»

17 de dezembro de 2004

Ferreirinha do Douro

Acabou há poucos minutos na RTP a série "A Ferreirinha".
Uma excelente série que nos deu a conhecer um importante pedaço da história do nosso país e da vida de duas mulheres fabulosas: D. Antónia Ferreira e Ana Plácido!
Porque será que em vez de "quintas-de-desocupados-célebres-no-prédio-onde-moram" e telenovelas completamente estúpidas e estupidificantes, não se investe mais em programas assim??
Porque não têm audiências é a desculpa que mais vezes se ouve...
Em relação a esta série, isso não é verdade. Pela "sondagem" que fiz muita gente andava a segui-la com agrado.

A quem interessará passar a mensagem de que "o povo" só gosta de coisas reles?

16 de dezembro de 2004

Orgulhosa!

Hoje não vinha escrever, pois estou cheia de trabalho (final de período, testes para corrigir, burocracias para preencher, blá, blá, blá...).
Mas, não resisti a dar uma espreitadela aos blogs de eleição,mesmo sem tempo para comentar.
Qual não é o meu espanto quando deparo com o meu bloguinho considerado o "BlogOuro" pelo
ZecaTelhado o dono do (esse sim, um blog espantoso!) TaDeChuva!
Obrigada! Fiquei mesmo vaidosa!

15 de dezembro de 2004

Diga à gente, como vai este país...

Ora atentai lá nesta coisa vinda no Diário da
República nº 285 de 6 de Dezembro 2004:

No aviso nº 11 466/2004 (2ª Série), declara-se aberto concurso no I.P.J. para um cargo de "ACESSOR", cujo vencimento anda à roda de 2500 Euros (500 contos).
Na alínea 7:..." Método de selecção a utilizar é o
concurso de prova pública que consiste na...
apreciação e discussão do currículo profissional do candidato."
_______________

No Aviso simples da pág. 26922, a Câmara Municipal de Lisboa lança concurso externo de ingresso para COVEIRO, cujo vencimento anda à roda de 350 Euro (70contos) mensais. "...
Método de selecção: Prova de conhecimentos globais de natureza teórica e escrita com a duração de 90 minutos.
A prova consiste no seguinte:
1. - Direitos e Deveres da Função Pública e Deontologia Profissional
2. - Regime de Férias, Faltas e Licenças
3. - Estatuto Disciplinar dos Funcionários Públicos

Depois vem a prova de conhecimentos técnicos:
Inumações, cremações, exumações, trasladações, ossários, jazigos, columbários ou cendrários.
Por fim, o homem tem de perceber de transporte e remoção de restos mortais. Os cemitérios fornecem documentação para estudo.
Para rematar:
Se o candidato tiver:
- A escolaridade obrigatória somará + 16 valores
- O 11º ano de escolaridade somará + 18 valores
- O 12º ano de escolaridade somará + 20 valores

No final haverá um exame médico para aferimento das
capacidades físicas e psíquicas do candidato.
ISTO TUDO PARA UM VENCIMENTO DE 70!!! CONTOS MENSAIS!
Enquanto o outro, com 500, só precisa de uma CUNHA!!

(recebido por mail)

13 de dezembro de 2004

Intervalo

Isto é um teste SÓ para inteligentes...
Quem não tiver um QI e um QE acima da média, nem vale a pena perder o seu precioso tempo!
Sintam-se desafiados! (depois contem os resultados!)

1- Estás ao volante de um carro e vais a uma velocidade constante.
2 - À tua direita há uma ravina a perder de vista.
3 - À tua esquerda segue um carro de bombeiros (parece querer ultrapassar-te).
4 - Diante de ti vai um porco que parece maior que o teu carro.
5 - Atrás de ti vem um helicóptero em voo rasante.
6 - O porco e o helicóptero vão à mesma velocidade que tu.

Como vais fazer para parar?
A resposta está em baixo.
Mas reflecte um minuto ou dois!!!




Resposta aqui:
http://img14.exs.cx/img14/3267/ceci_est_un_test.jpg



11 de dezembro de 2004

Carta ao Pai Natal

A minha sobrinha é uma menina toda despachada...
Vai daí, fez uma "Carta ao Pai Natal" (e não só...) com todos os pormenores.
Ninguém vai poder dar a desculpa de que não sabia o que dar ou onde comprar!



E, seguindo as instruções da cachopa, lá fui eu às compras! Há muito tempo que não entrava numa loja de brinquedos e fiquei pasmada! A variedade é enorme, mas, ou sou eu que estou MESMO velha ou então já não se fazem brinquedos como dantes...
As bonecas são todas feias, com umas roupas mais feias ainda.
Mas, muito mais grave é que os brinquedos de hoje em dia trazem tantas peças e tantas explicações de "como fazer" que não deixam nada por conta da imaginação dos putos.
E, a meu ver, essa é a função mais importante de um brinquedo: dar asas à imaginação! Ou será que já não é, e por isso as crianças de hoje revelam tanta falta de imaginação apesar de terem tudo à disposição, desde televisores, computadores, vídeos, net, dvd´s e sei lá mais o quê?
Haverá hoje crianças que saibam, a partir duma velha tábua, fazer um carrinho de rolamentos?

8 de dezembro de 2004

Árvore(s) de natal

Hoje à tarde andei a fazer a minha árvore de natal.
Sozinha.
Eu sei que devia estar contente por os meus filhos terem já tomado o rumo deles... Por terem as suas vidas organizadas, cada um com a sua casa, e em cada casa uma nova árvore...
Afinal não é para isso que trabalhamos e nos esforçamos desde o dia em que eles nascem? Não é essa a ambição de todos os pais e de todas as mães?
É, não é?
Então porque raio fiquei melancólica enquanto fazia a árvore??
(por não teres com quem refilar, diz o marido...)
Eu realmente sou uma nulidade em todo o género de trabalhos manuais (árvores de natal incluídas), mas andava sempre a meter o bedelho e a criticar quando eram eles que a fazim... ("não vêem que as fitas estão todas para um lado?", "mas esta coisa algum dia fica bem aqui?", "as bolas estão todas ao monte!"...).

Hoje foi uma pasmaceira: até o gato, que no ano passado teve de ser expulso de casa enquanto se enfeitava a árvore, este ano dormiu pacificamente toda a tarde no sofá...

7 de dezembro de 2004

Mário Soares



Parabéns!
Mário Soares completou hoje a bela idade de 80 anos, com uma lucidez e perspicácia que muitos com metade da sua idade não têm...
É um homem exemplar e foi um político que, embora não tendo agradado a todos, agradou a uma enorme maioria. Talvez esse consenso se deva à honestidade que este homem pôs em tudo o que fez.

6 de dezembro de 2004

Banco Alimentar Contra... quê?

Decorreu este fim de semana mais uma iniciativa do Banco Alimentar contra a Fome.
Olho sempre com desconfiança para este tipo de iniciativas, embora quando confrontada com elas nunca me recuse a colaborar: para isso teria de expôr os meus argumentos, e as voluntárias que fazem os peditórios são as pessoas que menos merecem ouvir as minhas reclamações...

Talvez seja eu que sou mesmo mázinha, mas enquanto estou a trabalhar, há gente que passa a tarde na pastelaria ou na tasca (dependendo do sexo). Grande parte dessas pessoas vive do ordenado do marido (ou da mulher).
Dedicar-se a cultivar os seus quintais ou fazer umas horas em casa de alguém? Nem pensar, que isso cansa demais!
No entanto, são os primeiros a receber subsídios, rendimento mínimo e sei lá quantas ajudas!

Por outro lado, quem trabalha todo o dia numa fábrica e quando chega a casa ainda tem tempo de ir trabalhar na horta, de tratar da casa e das roupas dos filhos para os trazer bem arranjados e asseados, esses não merecem nada: pois se vivem tão bem!

Que raiva!!
Quando é que este país vai tratar bem as pessoas que trabalham e o fazem progredir e meter na ordem os que não fazem nada por eles abaixo???

(Isto não é ficção... estou para aqui a escrever e a ver os exemplos a passarem mesmo à minha frente!)

4 de dezembro de 2004

Superioridades...

Não resisti a "roubar" isto à Maria Papoila! Fenomenal!

"O que aconteceu foi que eu estava em Belém na inauguração da maior arvore de Natal da Europa, sim repito da Europa, porque nós quando fazemos as coisas é em grande, e virei-me para um turista que lá estava e disse-lhe:
- Lá na tua terra não tens disto pois não? A maior da Europa, a MAIOR!
E o gajo vem com uma conversa: Não sei quê, no meu país preferimos gastar dinheiro em outras coisas, por exemplo a evitar que rebentem condutas de agua, que levam ao abatimento do solo, e dessa forma prejudiquem milhares de pessoas...mais não sei que mais e o camandro! E eu, que ate sou um gajo que é pá, tenho uma facilidade na exposição de argumentos, não me fiquei e disse-lhe logo:
- A maior da Europa! Toma! Embrulha!
E o gajo começa a falar que não sei quê, lá no país dele quando começa a chover as zonas ribeirinhas não ficam inundadas, e que talvez fosse melhor que, em vez da árvore, o dinheiro fosse canalizado para evitar essas situações.
Eu comecei a enervar-me e disse ao gajo:
- Mau, tu queres ver que nos temos que chatear! Eu estou aqui a expor argumentos que... é pá sim senhor, e tu vens com essa conversa de não sei quê. Eu nem quero começar a falar na feijoada em cima da ponte, nem no desfile de "pais natais", porque senão nem sabias onde te metias pá.
O gajo começa a falar de uma coisa qualquer, tipo túneis que são construídos e ficam a meio, e não sei que mais, e eu virei logo costas. Porque quando eu vejo estes gajos que não conseguem aceitar a superioridade de um país e ainda falam, falam... falam, falam... falam, falam... e não dizem nada de jeito, eu fico chateado, claro que fico chateado!!

Caso não saibam, o custo total da árvore nos dias em q vai estar "acesa", é de 1.000.000 de EUROS!!!! "

2 de dezembro de 2004

Noticiário breve...

Alberto João Jardim diz que não entende a dissolução do parlamento...
E desde quando essa picareta falante entende seja o que for para além do seu umbigo?

Na TVI a locutora parece um clone da Manuela Moura Guedes: a mesma boca enorme, os mesmos tiques...
Fazem uma reportagem sobre casais que não querem ter filhos. Um casal brasileiro diz que é "porque chateiam e não dá para sair na sexta à noite". Será que nunca ninguém os avisou que as crianças crescem e depois os pais já podem sair? E se os pais deles tivessem pensado como eles?

No Parlamento Mota Amaral manda calar Bagão Felix por este ter usado a expressão "é preciso ter lata". Diz que não quer populismos... Será que ele é aristocrata e ninguém sabia?

Marcelo Rebelo de Sousa não comenta nada. Este homem só fala quando lhe pagam?

E entretanto, à volta do julgamento da Casa Pia o circo continua... Até quando?

30 de novembro de 2004

Restauração

Tenho de há muitos anos um tique que é ligar a televisão mal acorde ou mal chegue a casa, embora normalmente nem fique a ver...

Mas, ultimamente, ligo a televisão com um desejo secreto: ouvir a notícia de que o governo caiu!
Hoje, o meu desejo concretizou-se!!

O dia da Restauração da Independência este ano chegou mais cedo!
Em vez de ir um Miguel de Vasconcelos pela janela fora, foi um governo inteiro... Iupiiiiiiiiii!

28 de novembro de 2004

Já tenho pantufas...


Museu do Pão (do lado esquerdo a esplanada)

No sábado lá fui eu (e mais seis!) comprar os meus chinelos...
Fomos almoçar a Seia ao restaurante do Museu do Pão. O restaurante é lindo e é óptimo para gente que goste muito de comer (eu como pouco, dou um lucro enorme a este tipo de restaurantes...). As entradas e as sobremesas são à discrição e a variedade de escolha é enorme.
No restaurante tudo é feito de pão, desde a ementa, aos candeeiros, até à caixinha que traz a conta!

Quem não quiser almoçar tem a opção de um lindo café numa sala com uma biblioteca também ela dedicada ao pão. A paisagem que se avista da esplanada é linda!! Depois há imensas variedades de pão que as pessoas podem escolher... É um paraíso para quem adora pão.

A visita ao Museu também é muito interessante e se forem num dia de semana até têm direito a amassar uns pãezinhos. É giríssimo para toda a gente, mas quem tiver filhos pequenos tem garantida uma hora muito didáctica e muito bem passada!

Com a tarde já ia adiantada e nem havia neve na serra resolvemos ir só até ao Sabugueiro àquelas lojas que por lá proliferam.
E pronto, lá se cumpriu o objectivo da visita! Só que resolvi comprar antes umas pantufas... Lá para a Primavera volto para comprar os chinelos!!

25 de novembro de 2004

O meu marido...

O meu marido não me manda flores... (mas é capaz de me trazer uma rosa amarela do quintal, lá para finais de Dezembro, quando andar a podar e por lá encontrar uma esquecida).

O meu marido não me chama "amor", nem "querida", muito menos "fofa" ou "filha"... (mas chama-me pelo meu nome ou diminutivo de uma maneira especial e inconfundível).

O meu marido não me dá jóias caras... (mas oferece-me um carinho enorme, um olhar especial e uma disponibilidade sem limites, sempre).

O meu marido às vezes vai a jantares de amigos ou colegas, mas diz sempre que preferia jantar comigo... (e eu sei que é verdade).

O meu marido quando precisa de ir a algum lado, seja lá onde for, prefere a minha companhia à de qualquer outra pessoa... ( e eu também).

Todas as mulheres têm uma "melhor amiga", de quem nada escondem. Eu também tenho algumas boas amigas, mas a melhor de todas... é o meu marido.

O meu marido faz anos hoje.
Como ainda não lhe comprei nada, vou oferecer-lhe esta prenda e dizer-lhe "amo-te" (ele sabe, mas não faz mal nenhum dizer-lhe outra vez...)

22 de novembro de 2004

TPC

Este fim de semana houve greve aos TPC.
Como eu não fui avisada atempadamente, passei "deveres" aos meus melguinhas.
E eles fizeram!
Agora tenho uma turma de fura greves!!
E o pior de tudo é que eu sou contra os "trabalhos de casa".
Mas que hei-de fazer se os garotos pedem?? Não tenho culpa de serem masoquistas... Isto para não falar nas mãezinhas. Descia logo na consideração de toda a gente se não passasse os famosos TPC!

Eu tenho o cuidado de mandar muito pouco trabalho, normalmente com a intenção de darem uma espreitadela no caderno, não gastando com isso mais de 30 minutos, o que não faz mal nenhum a ninguém.
Porém, muitos dos meus colegas do 2.º e 3.º ciclos "esquecem-se" que os alunos têm mais disciplinas e alguns passam trabalhos sem se lembrar que os outros professores também passaram.
E o resultado são crianças e adolescentes às vezes sem tempo sequer para brincar.

Outra coisa muito "in" é mandar os miúdos "pesquisar".
Resultado: ou têm net em casa e lá põem o pai ou a mãe às tantas da noite a pesquisar por eles, ou não têm e depois são discriminados...
(Outra alternativa é irem ter com a ex-professora do 1.º ciclo para os ajudar na "pesquisa").

20 de novembro de 2004

Sem chinelos, snif!

Hoje, com este lindo solzinho, em vez de passear, resolvi dedicar-me à agricultura...
Ao fim de uma hora já tinha desistido, mas foi o suficiente para estar aqui cheia de dores nas "cruzes" e com as minhas mãos de princesa-trocada-na-maternidade num estado lastimoso!!
Como se isto não bastasse, ainda fui para o quintal de chinelos! Resultado: chinelos molhados e sujos (além dos pés também molhados o que deve ser óptimo para ajudar a curar a constipação!).
Para acrescentar à festa, da última vez que me deu um "ataque de limpeza" sumi com o calçado todo. Agora, sem nada para calçar tive de assaltar os chinelos do marido que, por enquanto, ainda não deu pela falta deles!

Como só gosto dos chinelos da Serra da Estrela comprados "in loco" (mesmo que tenham sido fabricados na China), lá vou ter de ir comprar uns! Que pena!
Amanhã não vai dar, portanto já tenho programa para o próximo fim de semana!

19 de novembro de 2004

Teatrinho

A cena passa-se na sede de uma Associação.
Personagens: personagem 1 e personagem 2

Personagem 1 (entra na sala para pagar a quota)
- Passo o cheque à ordem de quem?

Personagem 2
- À ordem da Associação (......)

Personagem 1, pegando no cheque e na caneta
- Associação escreve-se como?

Personagem 2 (ligeiramente espantado)
- Com dois "ss"!

Personagem 1 (em sérias dificuldades)
- Com dois "ss" onde?

Personagem 2 (já completamente estarrecido)
- Primeiro com dois "ss", depois com "c i" e depois com "c cedilhado"

E lá foi passado o cheque...
Quando o personagem 1 se vai embora, o personagem 2 não resiste a ir ver-lhe a ficha de inscrição.
Profissão do personagem 1: professor de Educação Física!

(e depois eu é que sou má!!!)

17 de novembro de 2004

Perguntas difíceis

Dois serões a vegetar à lareira, enquanto curtia a minha constipação, e sem ânimo para mais nada a não ser de vez em quando "clicar" no comando da televisão, deu no que deu: lá acabei eu, na segunda-feira por ver a famosa "Quinta das celebridades".
Claro que já tinha dado uma vista de olhos, e até sei os nomes de alguns "célebres" que lá moram pois não há revista que não os traga escarrapachados na capa, mas ver assim durante um bocado, isso nunca tinha visto! Ainda é pior do que eu imaginava!!

O que o dinheiro (ou melhor, a falta dele) obriga as pessoas a fazer!
Realmente! Vendem-se por meia dúzia de patacos. Expõem-se, mostram o que realmente são: uns desocupados, mal formados e malcriados.
Mas o que me preocupa ainda mais é que haja tanta gente a ver aquilo, principalmente se forem crianças...
Imaginem o/a vosso/a filho/a a perguntar-vos "Ó mãe (ou pai), o conde é um homem ou uma mulher?"
Alguém sabia responder???


16 de novembro de 2004

Uma flor para mim...

Estou constipadinha, ranhosa, tossiquenta e quase afónica. Por isso vinha só dar uma espreitadela ao blog e ao correio.
Mas, tive uma surpresa bem agradável! A Jacky, dona da Linguagem das Flores tinha esta prenda para mim!!



Obrigada Jacky.
Agora vou tomar um chá de limão (blhaaaaaaaac) e depois...caminha!!

14 de novembro de 2004

Acácio Lucas

Quando o filho tinha cerca de 2 anos de idade, o sr. Acácio descobriu que ele tinha um problema grave: uma deficiência mental.
Em vez de desanimar, desistir, ou atirar as culpas para o destino, resolveu pôr mãos à obra para ajudar o filho e outros como ele.
Em 1990 fez nascer a APPACDM de Anadia.

Hoje é um complexo enorme, com uma quinta onde se cultivam os produtos que consomem, com piscina aquecida, com uma residência-lar para adultos deficientes...
Possui também um picadeiro e cavalos para hipoterapia.

Têm o apoio de inúmeros profissionais mas são os seus utentes quem mais trabalha para o manterem assim, um local muito bonito e agradável.

O sr. Acácio está vaidoso e orgulha-se da sua obra: tem bons motivos para isso!
Pena que não haja mais pessoas assim!

11 de novembro de 2004

Lenda de S. Martinho



Antes de baptizado e convertido ao Cristianismo, S. Martinho foi na mocidade soldado das legiões do Imperador Juliano.
Certo dia, sob o vendaval e a neve, equipado e armado, montado a cavalo, Martinho viu um mendigo semi-nu, tiritando de frio, estendendo para ele a sua pobre mão ossuda e gelada.
O Santo parou o cavalo, tomou com caridade a mão desse abandonado e, em seguida, tomou da espada, cortou pelo meio a sua capa de agasalho, deu metade dela a esse miserável peregrino e, envolto na outra metade, sacudiu a rédea e prosseguiu através da tormenta, do vento e da neve.
Subitamente, porém, no caminho do soldado, a tempestade desfez-se, amainou o tufão e a geada, o céu descobriu instantaneamente, como por encanto, a sua profundidade límpida e azul, e um sol acariciante e resplandecente inundou a terra de alegria e vestiu de luz e calor esse cavaleiro caridoso.
Deus, reconhecido, para que não se apagasse da memória dos homens a notícia deste acto de bondade, praticado por um dos seus eleitos, dispôs que em cada ano, na mesma época em que S. Martinho se desfez da metade da capa, por alguns dias se interrompesse o Inverno, cessasse o frio, sorrisse o céu e a terra, e um calor saudasse a natureza, sempre insensível à vontade dos homens, em memória daquele que, em certo dia, humilde soldado, trotando a sós por um caminho, desafiou e venceu a fúria insuperável dos elementos.

Lenda copiada daqui

10 de novembro de 2004

Adivinhem e ganhem!



A quem adivinhar que frutos vão nascer daqui, ofereço um exemplar!
(portes de correio não incluídos na oferta!)

PS: A quem respondeu ou tinha ideia de responder "uvas", tenho a dizer que esta foto foi tirada no domingo passado! Estamos no Outono ó gente, e as videiras estão quase sem folhas! Estas estão agora a nascer cheias de força!

8 de novembro de 2004

Hoje Recebi Flores!

Hoje Recebi Flores!
Não é o meu aniversário ou nenhum outro dia especial;
tivemos a nossa primeira discussão ontem à noite e
ele me disse muitas coisas cruéis que me ofenderam de verdade.
Mas sei que está arrependido e não as disse a sério,
porque ele me enviou flores hoje.
Não é o nosso aniversário ou nenhum outro dia especial.

Ontem ele atirou-me contra a parede e começou a asfixiar-me.
Parecia um pesadelo, mas dos pesadelos acordamos e sabemos que não é real.
Hoje acordei cheia de dores e com golpes em todos lados.
Mas eu sei que está arrependido porque ele me enviou flores hoje.
E não é São Valentim ou nenhum outro dia especial.

Ontem à noite bateu-me e ameaçou matar-me.
Nem a maquiagem ou as mangas compridas poderiam ocultar os cortes e golpes que me ocasionou desta vez.
Não pude ir ao emprego hoje porque não queria que se apercebessem.
Mas eu sei que está arrependido porque ele me enviou flores hoje.
E não era dia da mãe ou nenhum outro dia.

Ontem à noite ele voltou a bater-me, mas desta vez foi muito pior.
Se conseguir deixá-lo, o que é vou fazer? Como poderia
eu sozinha manter os meus filhos?
O que acontecerá se faltar o dinheiro? Tenho tanto medo dele!
Mas dependo tanto dele que tenho medo de o deixar.
Mas eu sei que está arrependido, porque ele me enviou flores hoje.

Hoje é um dia muito especial: É o dia do meu funeral.

Ontem finalmente conseguiu matar-me.
Bateu-me até eu morrer.
Se ao menos tivesse tido a coragem e a força para o deixar...
Se tivesse pedido ajuda profissional...

Hoje não teria recebido flores!

(Recebido por mail, da minha amiga São)

5 de novembro de 2004

Carta à Máxima

Hoje não ia escrever aqui, pois resolvi fazer o que já ando para fazer há bastante tempo: escrever uma carta à revista Máxima, revista que aprecio quase na totalidade e da qual sou leitora assídua.
Depois da carta pronta, resolvi que não era má ideia colocá-la aqui. Afinal ela exprime a minha opinião acerca dum assunto.
E quem sabe até incentive outras pessoas a escrever também!
Se houver muitas opiniões interessantes, eu depois também as envio para lá. Podemos não as fazer mudar de ideias, mas pelo menos não vai ser por falta de informação!


«Parabéns por mais um aniversário da Máxima, revista que leio desde o n.º 1. Leio-a há 16 anos, exactamente!
E nestes anos muitas coisas mudaram, a maioria para melhor, outras, infelizmente para pior...
Também aqui a Máxima não foge à regra: continua interessantíssima de se ler,com óptimos artigos e excelentes colunistas, mas continua também com um grande senão: apesar da evolução dos tempos e das mentalidades, a Máxima continua a dar o seu apoio e a incentivar a compra de artigos de pele.
Já li pelo menos duas cartas de leitoras que se insurgiram contra isso e a vossa resposta foi mais ou menos " as pessoas gostam e compram, por isso temos de lhes mostrar..."
Ora aqui eu acho que se substimam: as revistas (a imprensa de uma maneira geral) condicionam e muito o "gosto" das pessoas. Se vocês, se todas as revistas, deixassem de publicitar os artigos de pele, não acham que seria uma boa ajuda no combate a esse flagelo que é a tortura e a matança de animais para lhes tirar a pele? E só para satisfazer a vaidade de meia dúzia de pessoas, pois o tempo das cavernas já acabou há muito, e felizmente, hoje em dia não dependemos da caça para nos vestirmos!
E que tal se a Máxima, como revista de vanguarda que sempre foi, tomasse a iniciativa?
Pensem nisso!
Até poderia ser que perdessem algumas leitoras, mas ganhariam muitas mais...
Para saberem exactamente do que estou a falar quando falo em tortura de animais, consultem o site www.Animal.org.pt
Talvez se faça luz nalgumas consciências!

3 de novembro de 2004

Generalizando, ou talvez não

Embora deteste generalizações,não consigo deixar de as fazer!
Uma que uso muitas vezes é que "os americanos são burros".
Eu sei que isto é muito feio de se dizer, e se procurarmos bem devemos encontrar alguns (pouquiiiiiinhos) que não o são...
A ideia que eu tenho deles (e ainda não fui desmentida, antes pelo contrário) é de que são uns tipos ignorantes, arrogantes, ignorantes,belicistas, ignorantes...
Têm a mania que o Mundo gira à volta deles e que o maior desejo de todas as pessoas no mundo é... serem americanas! (não estou a inventar, li numa entrevista a uma americana. E ela também dizia que,se não tivesse ficado famosa e começado a viajar pelo mundo, ainda manteria essa ideia!).
Hoje, graças ao resultado das eleições, fiquei a saber que aquela nação ainda pode vir a ter futuro: afinal, quase metade das pessoas não votaram no Bush!
Uffff!
_________________

E agora vou ver o CSI porque se há coisa que eles sabem fazer muito bem é contar histórias!

2 de novembro de 2004

O lago dos Cisnes

Vanderlei e Vanessa vão ao Teatro assistir "O lago dos cisnes".
Vanessa, muito cansada após um longo dia de trabalho, dorme profundamente durante a maior parte do espectáculo.
Acorda, sem graça, e pergunta ao marido:
"Vanderlei, adormeci. Será que alguém da plateia notou?"
Responde o Vanderlei:
"Da plateia não sei, mas todos os artistas sim, pois há horas que caminham na pontinha dos pés para não te acordar..."

1 de novembro de 2004

Não tenho que vestir, snif, snif!

Nota: Este post não deve ser lido por homens... Eles não vão entender e eu dispenso comentários foleiros!

Ontem "despejei" o guarda-roupa e mais o gavetão da cómoda em cima da cama. Resultado: a cama ficou cheia de roupa, mas eu não tenho o que vestir!
A roupa é toda feia, ou velha, ou nova, mas eu deixei de gostar dela...

É isto que mais me chateia nas mudanças de estação: estava tudo tão organizadinho, "estas calças com esta camisola, ou esta, ou esta..." e, de repente, fico sem saber o que vestir e com quê.
Se visto uma camisola de gola alta sinto-me incomodada, e tenho frio no pescoço se vestir camisolas sem gola!
As calças de bombazine ainda não me convencem, mas se visto as de ganga tenho frio!
As de tecido, tipo lã e essas coisas, nem pensar! Além de feias são impossíveis de passar a ferro!
Ufff!! A vida custa!
Aceito todo o tipo de sugestões de gente com uma relação menos complicada com a roupa, pleeeeeease!!

29 de outubro de 2004

Cada cavadela cada minhoca...

Notícia do Correio da Manhã de hoje:

«O Ministério da Educação vai estabelecer para o 1º ciclo do ensino básico um número mínimo de horas lectivas das disciplinas de Português e Matemática, para que as escolas dediquem mais tempo ao ensino das duas disciplinas com o objectivo de reduzir o insucesso escolar. »

Abri a boca de espanto e fiquei a olhar para o ecrã...
Mas esta ministra saberá do que fala?
Ela terá andado na escola primária??
O principal problema com que a maioria dos professores se debate no 1.º ciclo é precisamente o contrário: largar um pouco o Português e a Matemática e fazer coisas diferentes...
E mesmo quando estamos a trabalhar outra disciplina qualquer é impossível fugir do português... No Estudo do Meio (raio de nome, porque não lhe chamam Ciências?), na Formação Cívica, na Área das Expressões...o português está sempre presente: é preciso ler, escrever, interpretar, responder...

No 1.º ciclo temos (falo por mim e por muitos colegas) o péssimo hábito de castigar os alunos retirando-lhes, por exemplo, parte da aula de educação física ou doutra actividade de que eles gostem muito.
Por este andar, um dia destes quando os meus alunos fizerem uma asneira grande eu vou dizer-lhes:
"- Meninos, como se portaram tão mal, hoje não têm Português!"


26 de outubro de 2004

(Tele)Novela

Desde os primórdios da "Gabriela" que vejo sempre uma novela.Faz parte do meu ritual diário, é o meu momento de relax...
Dantes era fácil: só havia uma! Depois passou a haver duas e as coisas complicaram-se um pouco. Actualmente é o caos em quantidade de novelas!
Mas eu confio no meu faro (e nos autores de quem gosto) e escolho sempre bem! Agora ando a ver "Senhora do Destino", na SIC. É a história duma mulher abandonada pelo marido que vem dos confins do Brasil, muito nova e com cinco filhos a tiracolo, procurar uma vida melhor. Instala-se numa zona deserta do Rio de Janeiro, que, com a sua ajuda, progride e se vai transformar num grande bairro. Ela fica rica (como convém...).
O filho mais velho, o Reginaldo, aproveitando-se do bom nome da mãe na "vila" que ela ajudou a formar, quer transformá-la num município para poder deixar de ser um mero vereador e passar a Prefeito. Claro que este filho, o político, é a ovelha ronhosa da família, disposto a todas as maldades para atingir os seus fins...
___________________________

No final de alguns filmes costuma aparecer "qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência".
Neste caso, não é!
Também cá, neste nosso cantinho, onde, apesar de tudo os políticos não são tão poderosos como no Brasil, há pessoas que querem "fabricar" concelhos só com o intuito de virem a ser Presidentes de Câmara.
Se as freguesias em questão não têm população nem área que chegue para tal, se nem todos os habitantes dessas freguesias querem ser divididos, isso são meros pormenores...
E fazem figuras ridículas em manifestações mais ridículas ainda e agora até prometem levar cada um um saco de terra até Lisboa!
O que vale é que são muito poucos, senão as freguesias em questão ainda encolhiam mais!

24 de outubro de 2004

Lição de Português

Aquele artigo que escrevi há alguns dias (in-justiças)tornou-se interessantíssimo pois deu origem a comentários e trocas de ideias muito sérias e muito válidas.
Deu também origem a uma "discussão" sobre a origem do português entre o AFIGARO e a "senhora Anónima".
Posso dizer que esta "senhora anónima" é uma brilhante professora de português ( e não digo mais nada porque ela não quer...) e o comentário final dela é de tal forma útil para todos que não resisto a publicá-lo aqui. Aprender algo todos os dias é bom e faz bem! Por isso fiquem com a lição de hoje:

Ah, que surpresa! Tenho andado "longe" destas "vias", atarefadíssima por razões de vária ordem... e afinal descubro hoje que o meu interlocutor voltou a dirigir-me a palavra! E eu sem saber!
E descubro que a D. Saltapocinhas gosta de nos ouvir! Então... olá! Embora esteja com uma certa (muita!)falta de tempo, não posso deixar de discordar do meu amigo Afigaro. Claro que o latim é a nossa língua-mãe, sim senhor! O latim, mais propriamente o "latim vulgar" (assim chamado porque era usado pelas classes menos instruídas, e se distanciava já do latim erudito falado pelos sábios em Roma), foi trazido por comerciantes (mercadores) e militares para a nossa Península Ibérica. Depois há uma longa história de imposições, de invasores, de romanos vencedores; e foi esta língua, imposta aos vencidos e por eles utilizada, que evoluiu e deu origem ao nosso português. É por isso que o Português é uma língua românica ou novilatina, tal como os "seus irmãos" espanhol, francês, italiano, romeno, entre outros!
Mas, tal como os seres vivos, as línguas não têm apenas mãe e irmãos - têm muitos outros "parentes"! Já não vou falar do avô Indoeuropeu, porque é muito remoto, mas dos padrinhos: os substratos e os superstratos.
Parece complicado, mas não é: o substrato é constituído pelas palavras e expressões que já existiam aqui (há muito tempo, claro, em épocas anteriores à romanização!) e "sobreviveram" à imposição do latim, misturando-se numa nova língua. Os mais importantes são o substrato grego, o ibero e o celta! E o próprio latim trazia palavras já "importadas" aos gregos, que eram muito cultos! (Mas, mesmo apesar de todos os seus vestígios, o grego não é a nossa lingua-mãe). Depois, há outro tipo de padrinhos, a que se chama superstrato - todas as línguas que nos influenciaram e vão influenciando depois da consolidação, deixando as suas marcas. Aqui encontramos, primeiro, o "tio" germânico ( digo tio porque também é língua indoeuropeia!)e o árabe, por exemplo (todos conhecemos as inúmeras palavras de raiz árabe como Algarve, alface, albufeira, oxalá, etc, etc...); mas as influências no nosso vocabulário continuam a surgir e intensificam-se presentemente. Temos marcas de todos os estrangeirismos que vamos assimilando: primos, até irmãos como o francês, hoje em dia, muito, o inglês(sobretudo por causa de todos os tecnicismos ligados à informática) e...sim, tem razão, sofremos uma americanização! No campo do vocabulário não seria muito grave esta submissão; mas o pior é que ela reflecte toda uma mentalidade doentia de procura de poder... e eu não consigo conceber os atropelos aos Direitos humanos a que assistimos, em pleno século XXI, sem podermos fazer nada!!!
Ui, bem se diz que a conversa é como as cerejas! Onde já vamos... E - socorro!!! - eu perdi-me, ainda não jantei, e tenho ainda muito que fazer. Mas gostei de "meter mais uma colherada no diálogo"!
(Ah, ja agora, rebato só mais uma coisinha: o hebraico e o aramaico de que fala são línguas semíticas e pouco têm a ver com a evolução da nossa Língua).
E já agora, como estou a monopolizar a toca da Saltapocinhas, vou assinar com o nome com que ela me "baptizou".
Cumprimentos da Senhora Anónima

21 de outubro de 2004

Eu queria ser assessora, snifff!

Não percebo porque ficou tanta gente chateada com a ideia genial do "nosso primeiro" de pôr os professores colocados em horário zero a assessorar juízes!
Eu cá só fiquei com pena de não ter um "horário zero" ( e francamente, de nem saber bem o que isso é...).
Lá se vai a minha oportunidade, quiçá a última, de vir a ser assessora! (também não sei o que isso é nem para que raio serve, mas pronto, a palavra soa-me bem! E poder responder àquelas pessoas que nos perguntam com ar enjoado "e então, o que faz na vida?", e eu encher o peito e responder "sou assessora!"

Ai, acorda saltapocinhas! Mas sonhar faz tãããão bem...

Para quem julga que eu não estaria preparada para tal cargo eu respondo que, nós professores, estamos preparados para ser tudo!
Só para terem uma pequena ideia vou deixar aqui uma lista das profissões que exerci só HOJE!

- enfermeira
- dentista
- assistente social
- advogada e logo a seguir juíza
- polícia
- educadora de infância
- actriz ( e dramaturga...)
- nutricionista
- psicóloga ( de crianças e adultos)
- conselheira sentimental
- empregada de limpeza
- empregada de escritório

E estas são só as que me vêm à cabeça assim de repente...
Será que não chega??

19 de outubro de 2004

Odeio sapatos!

Já sei que depois desta confissão vai haver para aí um monte de gente a pensar que afinal eu sou um homem...
Mas garanto que não!
Sou uma mulher que odeia sapatos, o que, realmente, não é lá muito normal... Mas eu também nunca me fiz passar por normal, pois não?
Com esta bendita chuva resolvi-me de vez a dar uma volta ao armário do calçado e arrumar as minhas chanatas e afins (essas sim, eu adoro), e trocá-las por... sapatos (blhaac!!)
Depois deu-me assim um frenesim e enfiei os sapatos todos em sacos. E estão ali, num canto, à espera que eu os leve à minha mãe que os irá distribuir pela vizinhança...
Consequência nº 1: neste momento tenho no armário do calçado nada mais que... dois pares de botas!
Consequência nº 2: vou ter de comprar pelo menos mais um par!
Consequência nº 3: um marido a azucrinar ("vês como afinal o armário é tão espaçoso? Para que queres mais calçado? Tens só dois pés, não tens?")
E o pior é que a coisa que eu mais odeio (depois dos sapatos) é comprar calçado! E vou ter de comprar!
Mas pelo menos agora sei que jamais comprarei sapatos, só botas!! (do mal o menos)
Foi decidido e fica aqui escrito como se fosse uma acta!

E nada mais havendo a tratar, dou por encerrado este post...

18 de outubro de 2004

De que cor és tu?

E eu não resisto a fazer estes testes, que são complicados porque são em inglês... Ainda percebo alguma palavra mal e lá altero o resultado!
Mas fiquei feliz porque não "deu" cor-de laranja!
Façam e digam alguma coisa!


Green



You are a very calm and contemplative person. Others are drawn to your peaceful, nurturing nature.




Find out your color at Quiz Me!


Página da Maria Rosa Colaço

Sobre a Maria Rosa Colaço recebi esta mensagem nos comentários e transcrevo-a para aqui ficando assim mais acessível a quem queira participar.

Amigos, Conhecidos e Desconhecidos
Fui aluno da Maria Rosa Colaço. Tomei a liberdade de organizar um blog em seu nome. Está ainda em construção mas desde já fica à disposição de quem queira contribuir para a sua memória.
Obrigado.
A Matos Rodrigues


A página criada para ela é ESTA. Visitem que vale bem a pena!

17 de outubro de 2004

Cirurgia LASIK

Atendendo ao apelo de uma pessoa que fez a cirurgia LASIK e que teve posteriores complicações, aqui ficam os contactos para que possam formar uma Associação.
Pode ser que assim os oftalmologistas que asseguram que esta forma de cirurgia é 100% segura, tenham mais cuidado ao informar os seus clientes dos riscos que correm.


É a cirurgia LASIK segura?

Os oftalmologistas que lhe aconselham esta forma de tratamento da miopia, da hipermatropia ou astigmatismo, informam-no correctamente acerca dos diversos riscos que corre, percentagens de insucesso e da irreversibilidade de certas complicações da visão que, em casos extremos, podem levar à sua perda?

Os casos mal sucedidos não têm tido divulgação, embora já exista um site, WWW.lasikdisaster.com, onde esse assunto é amplamente abordado.
Se conhecer alguém, em Portugal, para quem a cirurgia LASIK não tenha sido bem sucedida, contacte-nos através do telefone 966465734.
O objectivo é a criação de uma associação, a nível nacional, com vista a informar e divulgar os riscos inerentes a esta cirurgia, que, por enquanto as pessoas poderão desconhecer e não serem devidamente informadas quando optam por essa intervenção.

16 de outubro de 2004

Maria Rosa Colaço

Apenas hoje, por intermédio do blog do José Teixeira,
Paixão da Educação fiquei a saber que tinha morrido Maria Rosa Colaço.
"A criança e a vida" é um livro que tenho há quase trinta anos e nem me lembro como me veio parar às mãos. Lembro-me que chateava a minha tia, professora da "instrução primária", para ela me deixar fazer as mesmas perguntas aos alunos dela. E ia-as guardando num caderninho que se perdeu no tempo...
O que não se perdeu foi o "bichinho" que ficou dentro de mim e que, talvez mais inconsciente do que conscientemente me influenciou na escolha da minha profissão.
______________________

"Nunca morremos. E todos os dias somos outra coisa diferente porque todos os dias sonhamos"
Maria Rosa Colaço, "Espanta-pardais"

14 de outubro de 2004

Protecção Civil

AVISO Nº 237745/2004

A Protecção Civil adverte:

Se, por engano, o Ministério da Educação colocou algum professor em sua casa, é favor encaminhá-lo para o estabelecimento de ensino mais próximo.
É importante manter a calma e fazer de compta que é uma situação normal, para não provocar reacções, que podem ser violentas, no indivíduo em causa.
Obrigada

11 de outubro de 2004

(in) Justiças!

Hoje decidi-me a abordar um assunto polémico, depois de ontem, numa conversa com professores, ter descoberto, com alguma surpresa, que afinal a minha ideia não é assim tão peregrina!
Cá vai:
Eu acho que os professores, ao contrário do que acontece hoje em dia, não deviam ganhar todos o mesmo.
Eu explico melhor:
Um professor de Matemática, ou Português ou Ciências, etc. devia ganhar mais que os professores de EVT ou de Educação Física e afins.
Para estes o trabalho termina ali, no fim da aula, enquanto que para os outros o trabalho continuará, por muitas horas, em casa ou na escola a preparar aulas e a elaborar e corrigir testes... Já para não falar daquelas alturas em que há exames e mais exames para corrigir! Uns trabalham, outros andam pela escola! Se repararem bem, a maioria dos Conselhos Executivos tem professores de Educação Física. Porque será?
Claro que, para haver diferenciação nos salários também teria de ter havido antes nos cursos de formação: por que carga de água há-de demorar um professor de Trabalhos Manuais 5 anos a formar?? E de Educação Física?? E uma Educadora de Infância? E do primeiro ciclo?
E que dizer das licenciaturas que professores do 1.º ciclo e educadoras de infância andam por aí a comprar? (Perdão, tirar!)
E o que chateia mesmo é que no fim da "licenciatura" continuam a fazer exactamente o que faziam antes, sem tirar nem pôr, só com a diferença de que ganham mais que a colega da sala ao lado?
E os sindicatos vão-se (nos) vendendo por estes "direitos" que eles acham muito justos!! E as verdadeiras reivindicações, de escolas dignas, turmas com um número de alunos decente, um apoio a sério para crianças com problemas e não esta fantochada que hoje existe, ficaram onde? Por isto os sindicatos não lutam, e eu, depois de pensar um bocadito até talvez descubra o porquê! É que a maioria dos funcionários dos sindicatos também são professores que entretanto aproveitaram para tirar a sua licenciaturazita...Ah, e apesar de estarem a um balcão a atender pessoas e telefonemas ganham tanto como os que estão nas escolas a dar o litro, já para não falar nos professores (milhares) que andam por aí, de casa às costas. Realmente a vida custa!
Mas, como quase sempre, custa mais a uns que a outros!
__________________________

E pronto, aqui vos deixo um bom motivo de reflexão para início de semana!
E fico à espera de outras opiniões...

9 de outubro de 2004

Para rir... (será?)

Durante uma visita a um asilo de loucos, Bush pergunta ao director qual é o critério para definir se um paciente está curado ou não.
- Bem - diz o director - nós enchemos uma banheira e oferecemos uma colher de chá e uma chávena e dizemos para ele esvaziar a banheira.
- Entendi, diz Bush, uma pessoa normal escolhe a chávena, que é maior.
- Não - responde o director - uma pessoa normal tira a tampa do ralo...

8 de outubro de 2004

Curiosidades da Idade Média

Curioso mesmo!! Aposto que não sabiam algumas!

Naquele tempo a maioria das pessoas casavam no mês de Junho (início do Verão) porque, como tomavam o primeiro banho do ano em Maio, em Junho o cheiro ainda estava mais ou menos...
Entretanto, como já começavam a exalar alguns "odores", as noivas tinham o costume de carregar bouquets de flores junto ao corpo, para disfarçar.
Daí temos em Maio o "mês das noivas" e a origem do bouquet.

Os banhos eram tomados numa única tina, enorme, cheia de água quente.
O chefe da família tinha o privilégio do primeiro banho na água limpa.
Depois,sem trocar a água vinham os outros homens da casa por ordem de idade, as mulheres, também por idade e, por fim, as crianças.
Os bebés eram os últimos a tomar banho.
Quando chegava a vez deles, a água da tina já estava tão suja que era possível perder um bebé lá dentro.
É por isso que existe a expressão em inglês "don't throw the baby out with the bath water", ou seja, literalmente "não deite fora o bebé juntamente com a água do banho", que hoje usamos para os mais apressadinhos...

Os telhados das casas não tinham forro e as madeiras que os sustentavam eram o melhor lugar para os animais se aquecerem: cães, gatos e outros animais de pequeno porte como ratos e besouros.
Quando chovia, começavam as goteiras...os animais pulavam para o chão.
Assim, a nossa expressão "está a chover a cântaros" tem o seu equivalente em inglês em "it's raining cats and dogs".
Para não sujar as camas, inventaram uma espécie de cobertura, que se transformou no dossel.

Aqueles que tinham dinheiro, possuíam "loiça" de estanho.
Certos tipos de alimentos como o tomate, oxidavam o material, o que fazia com que muita gente morresse envenenada(os hábitos higiénicos da época não eram lá grande coisa)...
Daí que durante muito tempo o tomate foi considerado como venenoso.

Os copos de estanho eram usados para beber cerveja ou uísque.
Essa combinação, por vezes, deixava o indivíduo "k.o."(numa espécie de narcolepsia induzida pela bebida alcoólica e pelo óxido de estanho).
Quem passasse pela rua pensava que o fulano estava morto, recolhia o corpo e preparava o enterro.
O "defunto" era então colocado sobre a mesa da cozinha por alguns dias (DIAS?!) e a família ficava em volta, em vigília, comendo, bebendo e esperando para ver se o morto acordava ou não.
Daí surgiu a vigília do caixão ou velório, que em inglês se diz Wake, de "acordar".

A Inglaterra é um país pequeno, e nunca houve espaço suficiente para enterrar todos os mortos.
Então, os caixões eram abertos, os ossos retirados e encaminhados ao ossário e o túmulo era utilizado para outro infeliz.
Por vezes, ao abrir os caixões, percebiam que havia arranhões nas tampas, do lado de dentro, o que indicava que aquele morto, na verdade, tinha sido enterrado vivo.
Assim, surgiu a ideia de, ao fechar os caixões, amarrar uma tira no pulso do defunto, tira essa que passava por um buraco no caixão e ficava presa a um sino.
Após o enterro, alguém ficava de plantão ao lado do túmulo durante uns dias.
Se o indivíduo acordasse, o movimento do braço faria o sino tocar.
Assim, ele seria "saved by the bell", ou "salvo pelo gongo", como usamos hoje.

(recebido por mail)

1 de outubro de 2004

Ponte

Com tanta água que este (des)governo tem metido vai haver pontes à fartazana!!

30 de setembro de 2004

Dedicada aos políticos...

Um dia, o Senhor chamou Noé da Silva e ordenou-lhe:
"Dentro de seis meses, farei chover ininterruptamente durante 40 dias e 40 noites, até que todo o Portugal seja coberto pelas águas. Os maus serão destruídos, mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal. Vai e constrói uma arca de madeira". No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu. Noé da Silva chorava, ajoelhado no quintal de sua casa, quando ouviu a voz do Senhor soar, furiosa, entre as nuvens:
-"Onde está a arca, Noé?"
- "Perdoe-me, Senhor" - suplicou o homem. "Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas. Primeiro tentei obter uma licença da Câmara Municipal, mas para isto, além das altas taxas para obter o alvará, pediram-me ainda uma contribuição para a campanha da reeleição do Presidente da Câmara.
Como precisava de dinheiro, fui aos bancos e não consegui empréstimos,mesmo aceitando aquelas taxas de juros. Afinal, nem teriam mesmo como me cobrar depois do dilúvio. Depois veio o Corpo de Bombeiros e exigiu um sistema de prevenção de incêndios e alguma ajuda para a compra de uns Helicópteros, mas consegui contornar, subornando um funcionário. Começaram então os problemas com a extracção da madeira, nas áreas ardidas. Eu disse que eram ordens "Suas" mas eles só queriam saber se eu tinha "projecto de reflorestamento" e um tal de "plano de manejo". Neste meio tempo, a Quercus, descobriu também uns casais de animais guardados no meu quintal. Além da pesada multa, o fiscal falou em "prisão inafiançável" e acabei por ter de matar o fiscal,pois para este crime a lei é mais branda. Quando resolvi começar a obra, apareceu a Fiscalização que me multou porque eu não tinha um engenheiro naval responsável pela construção. Depois, apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse os seus marceneiros que ficaram desempregados com este Governo e com garantia de emprego por um ano. Veio em seguida as Finanças, acusando-me em "sinais exteriores de riqueza" e também me multou. Finalmente, quando a Secretaria de Meio Ambiente pediu o "Relatório de Impacto Ambiental" sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa de Portugal. Aí quiseram me internar num hospital psiquiátrico!"
Noé da Silva terminou o relato chorando mas notou que o céu clareava.
- "Senhor, então não vais mais destruir Portugal?"
- "Não!" - respondeu a voz entre as nuvens - "Pelo que ouvi de ti, Noé, cheguei tarde! Alguém já se encarregou de fazer isso!"

(recebida por mail)

29 de setembro de 2004

Algures no Pólo Norte

A minha eficiente Sopeira, sempre preocupada com a sua patroa, enviou-me este mail que poderá explicar algumas colocações mal paradas!!
Depois de tanto desastre, só nos resta mesmo rir, pois chorar não resolve nada!

polonorte.jpg

28 de setembro de 2004

Páginas amarelas

Até que enfim um anúncio publicitário que não insulta a nossa inteligência, que me faz rir à gargalhada de cada vez que o vejo, e que não é machista apesar de se servir da imagem duma mulher linda como a Juliana Paes...
O meu marido tem outra opinião, mas a parte que eu adoro mesmo é a do rapaz (quem será ele?) que faz um papelão, principalmente quando, depois de ter arrancado as páginas onde constavam os mecânicos, chega à porta, vira a cara para o lado e faz um ar compungindo ao dizer: "mecânicos não há..."
Imperdível, este anúncio!

26 de setembro de 2004

Sócrates

O Sócrates ganhou as eleições do Partido Socialista.
Ora ainda bem, já que ele é um homem jeitoso e um homem jeitoso fica sempre bem em qualquer lado, seja governo ou oposição!
E depois, quando ele chegar a primeiro ministro é ver o pessoal da Europa todo embasbacado!
Sim, pois já é tempo de acabar com o mito do "cromo" português: metro e meio de altura, feio como o caraças e com um farfalhudo bigode!

23 de setembro de 2004

Ministério da Educação

Querem saber como está o ambiente no Ministério da Educação?
É só clicar AQUI!
Estamos feitos! (um eufemismo para quem, como eu, não diz palavrões!!)

22 de setembro de 2004

Dia Europeu sem quê??

... Sem carros? Pelo menos aqui na cidade de Aveiro,não passa de uma fantochada para inglês ver!
Senão vejamos: os três principais parques de estacionamento da cidade estão... no centro da cidade! Precisamente na zona que está fechada ao trânsito! Dá para acreditar? E não há alternativas, pois não há parques de estacionamento à volta da cidade! São todos lá bem no meio para obrigar as pessoas a levarem os carros até ao centro, todos os dias. Autocarros para a cidade? De hora a hora, se viverem num sítio jeitoso, e a preços exorbitantes!

Depois há ainda as BUGAS (bicicletas de utilização gratuita) que são poucas, fracas e não há na cidade vias para ciclistas, a não ser uma "mini via" na parte central da avenida. Chegando ao fim da avenida, desenrasquem-se pelo meio dos carros!

Mas há mais: temos as praias a uns escassos 10 quilómetros, distância ideal par uns passeiozitos de domingo. Até há uma parte de percurso para ciclistas, mas o problema está precisamente aí: uma parte, uma minúscula parte! Para se entrar na pista de ciclistas é preciso primeiro entrar pela saída do IP 5 (contra a mão, é claro). Não é engano nem sono, é mesmo assim!!
Se sobreviverem a esta parte do percurso têm depois uns escassos quilómetros de estrada para ciclistas, mas ao aproximaram-se da ponte da Gafanha têm de sair dessa estrada e fazer rali por ruas, ruelas e travessas até entrar novamente no caminho das praias na velhinha ponte da Barra. Aqui também é aconselhável que os crentes vão pedalando e rezando pois a ponte tem três faixas, mas nenhuma é para ciclistas!

E depois têm a lata de aderir a "dias sem carros"!!
Não seria melhor deixarem-se de folclores e criarem as infra-estruturas que permitissem às pessoas deixar o carro fora da cidade todos os dias?
Valha-me Deus!

20 de setembro de 2004

Calendas gregas...

São 15 horas e 38 minutos do dia 20 de Setembro...
A minha escola continua a meio gás, pois só há duas professoras e faltam outras duas. Já não sabemos o que dizer às pessoas, até parece que a culpa desta situação é nossa!!
A P. está numa situação chata: a partir de amanhã vai "tomar conta" da turma que foi dela durante TRÊS anos, mas nada lhe garante que continue dela este ano. Como se explica isto a uma criança?

Entretanto os (des)governantes continuam a dizer que não é nada de alarmante, pois o atraso é de apenas quatro dias... Esses broncos não sabem que o ano lectivo se iniciou no dia 1? E que desde esse dia se deveria estar a trabalhar mas não se está porque a equipa não está completa? E que há escolas onde ainda não há NINGUÉM colocado??

Como se isto não bastasse ainda temos de aturar presidentes de junta prepotentes que, quando lhes pedimos para mandar consertar uma fechadura, reagem como se a fechadura fosse na nossa casa e não na escola onde andam os filhos do povo que o elegeu!

Logo à noite a ministra vai falar. Estou ansiosa para ouvir o que ela tem para dizer, mas tenho a certeza que vai ser uma enorme desilusão... Sou mesmo masoquista!!

18 de setembro de 2004

Breve explicação do capitalismo

CAPITALISMO IDEAL
Você tem duas vacas.
Vende uma e compra um touro.
Eles se multiplicam, e a economia cresce.
Você vende o rebanho
e aposenta-se... rico!

CAPITALISMO AMERICANO
Você tem duas vacas.
Vende uma e força a outra a produzir
leite de quatro vacas.
Fica surpreso quando ela morre.

CAPITALISMO FRANCÊS
Você tem duas vacas.
Entra em greve porque quer três.

CAPITALISMO CANADIANO
Você tem duas vacas.
Usa o modelo do capitalismo americano.
As vacas morrem.
Você acusa o proteccionismo brasileiro e adopta medidas
proteccionistas para ter as três vacas do capitalismo
francês.

CAPITALISMO JAPONÊS
Você tem duas vacas, né?
Redesenha-as para que tenham
um décimo do tamanho de uma
vaca normal e produzam 20 vezes mais leite.
Depois cria desenhos de vacas chamados
Vaquimon e os vende para o mundo inteiro.

CAPITALISMO ITALIANO
Você tem duas vacas.
Uma delas é sua mãe (a sua!), a outra
é sua sogra, maledetto!!!

CAPITALISMO BRITÂNICO
Você tem duas vacas.
As duas são loucas.

CAPITALISMO HOLANDÊS
Você tem duas vacas.
Elas vivem juntas, não gostam
de touros e tudo bem.

CAPITALISMO ALEMÃO
Você tem duas vacas.
Elas produzem leite pontual e regularmente, segundo
padrões de quantidade,
horário estudado, elaborado e previamente estabelecido,
de forma precisa e lucrativa.
Mas o que você queria mesmo era criar porcos.

CAPITALISMO RUSSO
Você tem duas vacas.
Conta-as e vê que tem cinco.
Conta de novo e vê que tem 42.
Conta de novo e vê que tem 12 vacas.
Você pára de contar e abre
outra garrafa de vodca.

CAPITALISMO SUÍÇO
Você tem 500 vacas, mas
nenhuma é sua.
Você cobra para guardar a vaca dos outros.

CAPITALISMO ESPANHOL
Você tem muito orgulho
de ter duas vacas.

CAPITALISMO PORTUGUÊS
Você tem duas vacas...
E reclama porque seu
rebanho não cresce...

CAPITALISMO CHINÊS
Você tem duas vacas e 300
pessoas tirando leite delas.
Você se gaba muito de ter
pleno emprego e uma alta produtividade.
E prende o activista que divulgou os números.

CAPITALISMO HINDU
Você tem duas vacas.
Ai, de quem tocar nelas.

CAPITALISMO ARGENTINO
Você tem duas vacas.
Você se esforça para ensinar as
vacas a mugirem em inglês...
As vacas morrem.
Você entrega a carne delas para
o churrasco de fim de ano ao FMI.

CAPITALISMO BRASILEIRO
Você tem duas vacas.
Uma delas é roubada.
O governo cria a CCPV -
Contribuição Compulsória pela posse de Vaca.
Um fiscal vem e lhe autua, porque embora você
tenha recolhido correctamente a CCPV,
o valor era pelo número
de vacas presumidas e não pelo de vacas reais.
A Receita Federal, por meio de dados também
presumidos do seu consumo de leite, queijo,
sapatos de couro, botões,
presume que você tenha 200 vacas e, para se livrar da
encrenca, você dá a vaca restante para o fiscal deixar
por isso mesmo...

Depois desta explicação alguém ainda precisa de ler o Marx?? Aquele calhamaço tãããão chato!!

Este post é dedicado à Inconformada. Não faço ideia porquê, talvez ela saiba!!

17 de setembro de 2004

Desejos em promoção

Após uns dias de ausência devido às habilidades do SAPO, a FadaMagrinha voltou em força...
Transcrevo o post dela. Depois é só irem à Varinha Mágica e escolherem um desejo!!
Boas escolhas!!

«Comprei uma varinha nova e além disso a lista de “desejos” abaixo indicada está em promoção: (peça um e leve com três!)

- Uma reforma de 18 mil euros a começar já amanhã (é rápido);
- Um bilhete para acompanhar o nosso 1º ao próximo concerto da Madonna;
- Uma surra em todos os incompetentes que habitam na DGRHE e respectivo ministério;
- Uma explicação sucinta do que é uma “RECLAMAÇÃO HIERÁRQUICA” ao mísero docente;
- Isenção da Taxa Moderadora, numa qualquer intervenção cirúrgica, num hospital público, que se deverá realizar lá para meados de 2200.
- Aumento do salário “minúsculo” nacional em dois cêntimos (apenas se aplica a agregados familiares com mais de 15 filhos);
- Oferta de emprego como Assessor de Ministro (requisitos mínimos: Loura, vinte e poucos anos, olhos azuis) salário de 3500 euros mensais.
- Todas as anteriores, com excepção da primeira...pensam que sou rica não???! (A segunda pode ser, desde que ele pague!?)
Por hoje é tudo...espero que os vosso desejos se realizem.

Atenciosamente, a Fada.....magrinha»

16 de setembro de 2004

Começaram (?) as aulas

Apesar de estar na escola desde o passado dia 1, hoje é que as coisas começaram a sério!
Para estreia, orientar uma reunião de pais.
Uma sala cheia de gente faladora, às vezes apetecia mandar um berro ou bater na mesa como se faz com os garotos! (que se portam muito melhor que as mamãs e os papás!).
Com os nervos esqueci-me de apresentar o colega do ensino especial e acho que essa foi a única gaffe. Resumindo: sobrevivi!
Para efeitos de estatística a minha escola vai figurar no rol das que "abriram" a tempo e horas... mas só para inglês ver já que, num corpo docente que devia ser de quatro, estamos colocadas apenas duas! Claro que há os tais "recursos" (os professores que aguardam colocação, passaram a chamar-se recursos!). Mas, até as pessoas da aldeia e sem grande formação académica entendem (ao contrário da ministra e afins) que é uma violência tanto para as professoras como para os alunos pegar numa turma sem saber se depois vai ficar com ela! Ou pior ainda as que têm a certeza que não ficam porque concorreram para outra escola.
_________________________

Não sei porquê, acordei com uma canção que cantava em miúda a martelar-me os ouvidos. Acho que era um hino da Mocidade Portuguesa e rezava assim: "lá vamos cantando e rindo, levados, levados sim..." (eu cantava "lavados"! Devia ser por achar mais importante estar lavado que ser levado...)
_______________________

Acabei de ouvir na rádio que a senhora ministra, ao contrário de todos os ministros anteriores, não se dignou sair hoje do seu gabinete para visitar nenhuma escola...
Qual terá sido o motivo?? (um doce a quem adivinhar ou der o melhor palpite!!)

15 de setembro de 2004

"Querido papá"

Ontem ouvi atentamente o nosso ministro das finanças e concluí que o homem tem toda a razão... Governar o país é como governar uma casa. Só que, como disse, e bem, um sindicalista (não sei quem foi, gastei a minha quota de atenção com o senhor ministro!) os "donos de casa" desta história são uns reles pois dão tudo a uns filhos e nada a outros!

Como deu a entender o iluminado senhor ministro quem não deixa este país progredir é essa corja de malfeitores que dá pelo estranho nome de "função pública"!
Eu concordo plenamente!!!
Alguém me sabe dizer para que servem professores, médicos, enfermeiros, cientistas (esses então, blhaaac), bombeiros, juízes, administração pública, etc.,etc., a não ser para levar o país à ruína?
Experimentem acabar com essa praga e verão: sem professores deixa de haver problemas de colocações no início do ano lectivo, os pais deixam de se queixar do dinheiro que gastam em livros e material escolar, essas inutilidades!
E se acabarem os médicos? Acabam as listas de espera nos hospitais, essa ingrata gentinha do povo deixará de se queixar por estarem paralíticos há anos à espera duma operação a umas quaisquer articulações!!
E não será que acabando os bombeiros se acabam também os fogos?
E se fecharem os tribunais ninguém mais se queixará de injustiças!

______________________________

Ontem ouvi o ministro porque estava a jantar, não tinha o comando da televisão por perto e tive preguiça de me levantar...
Aquele ar paternalista ("olhem para mim, sou tão bonzinho!"), aquela maneira de falar como se quem o estivesse a ouvir fossem criancinhas de 3 anos irritou-me de tal maneira que a certa altura venci a preguiça, peguei no comando e mudei para a 2!
Se fosse assim tão fácil mudar de ministro...

13 de setembro de 2004

Socorro, Sou Sogra !!

Ontem fui a um casamento...
Deve haver quem se lembre de eu andar toda aflita a procurar um vestido chique, lá pelos princípios de Julho! Era para ir ao casamento de ontem!
Não estaria tão preocupada com o vestido se a noiva não fosse uma pessoa muito especial: tratou-se do casamento da minha filhota!

A igreja estava linda (obrigada aos noivos que se casaram de manhã e que a enfeitaram tão bem!!) e a cerimónia, simples mas personalizada, foi muito bonita também.

Depois das assinaturas, das fotos e dos cumprimentos, lá por volta das 17 horas, rumámos à quinta onde ia decorrer o banquete.
Não se pôde desfrutar completamente do jardim e do bonito espaço envolvente porque entretanto, e com a ajuda dos "perdidos" na viagem, começou a anoitecer e o tempo a arrefecer...

A festa foi linda e os noivos estavam felizes.

Um dia eles virão aqui terminar esta história com um "e fomos felizes para sempre"!

É "só" o que lhes desejo!!
(ah, e também desejo não ser chamada de "sogra"! Ouviste menino A.?)

PS: O bendito vestido é bonito! (Ou será que diziam que eu estava linda só para não ficar triste por ser sogra, hummm?)

11 de setembro de 2004

Na escola...

Hoje estou sem tempo e sem inspiração, mas como não quero que vos falte nada, aqui fica esta delícia:

Numa escola da Idade da Pedra, a professora distribui um pedaço de pedra, um martelinho e um cinzel para cada aluno, e começa a fazer um ditado :
- O rei...
Pléc, pléc, pléc - todos gravam uma coroa
- ...é forte...
Pléc, pléc, pléc - todos gravam um leão.
- ...é viril...
Pléc, pléc... - todos os alunos param e ficam pensativos
De repente, a voz de Joãozinho Pedregulho, quebra o silêncio :
- Professora, viril escreve-se com um ou dois tomates?

10 de setembro de 2004

Filhota defende mamãe

Pela primeira vez, resolvi publicar aqui um comentário... Claro que não tem nada a ver com o facto da autora ser a minha filhota que, FINALMENTE, resolveu fazer uma visita comentada ao blog de mamãe!!
_______________________

Eu, supostamente, estou aqui para defender a minha mãe!!!
Mas já não sei se o devo fazer...

Para lhe dar a minha palavra de alento, tive de ler todos os artigos da Sra Salta-pocinhas até meio de Agosto, à procura do artigo-polémica. E só depois de perguntar 1000 vezes "o que raio se passa com o meu computador que não me mostra o blog inteiro?" é que cheguei à conclusão de que havia uma possibilidade do tal artigo estar no outro blog!

OK! Lá cheguei a este blog!
Foram 10 minutos para descobrir onde é que clicava para escrever o comentário... e, quando descobri, apareceu-me um quadrado a dizer "SIGN IN"!!!
Como não podia "sign in" porque não estava inscrita, lá tive de me inscrever e... adivinhem!!! ... agora tenho um blog!!!! Chama-se Ácido Cítrico... mas o endereço teve de ficar como Citrato, por motivos que ultrapassam o meu entendimento!

Eu só queria defender a minha mãezinha, e agora tenho um blog! Não se faz!

Relativamente à Salta Pocinhas, na altura em que o POVO PORTUGUÊS teve a oportunidade de fazer alguma coisa relativamente à lei absurda do aborto, ela fez! Levantou-se cedo da cama e foi votar no dito referendo ... coisa que 50% das pessoas não fez (e, talvez, algumas delas estejam agora em manifestações!).

Relativamente ao Sr. Portas, ele lá deve ter os seus motivos... só é difícil entender quais...

Mas ele não é mau de todo para o país:
Até pôs os polícias a andarem de calções nas praias... claro que, para isto, ele também lá deve ter tido os seus motivos!

Citrika

8 de setembro de 2004

O país do faz de conta

«A escola, por enquanto sem alunos, sacode o torpor das férias.
Encontros e reencontros, olhares que se cruzam, recuperam-se algumas ideias pendentes.
Há uma vaga conformista, um encolher de ombros, palavras para quê?
Ninguém duvida que a opinião pública será fustigada com a contra-informação. Tudo correrá conforme previsto, as aulas começarão no dia agendado, os alunos serão bem recebidos e guardados nas escolas.
O país do faz de conta parece ansiar por escolas a fingir

Palavras do Miguel, que subscrevo completamente...
_______________________________

Hoje apareceu na minha escola um senhor para transferir o filho. Disse ele (sic) "a mãe abandonou-o".
Por esse motivo transferiu o garoto para a minha escola porque mora lá perto (antes, o garoto vivia com a mãe).
Uma colega pergunta-lhe então: " e a menina?".
Resposta dele: "Essa, a ela, deu-a a um casal"

7 de setembro de 2004

O tal barco...

Apesar de ter quase prometido a mim própria não o fazer, vou ter mesmo de dizer o que penso sobre o "barco do aborto".
Mas primeiro vou arranjar aqui uma espécie de bunker para me enfiar depois de publicar...

(já está...)

É que a minha opinião vai de encontro à de quase todas que tenho lido por aqui...
Por uma vez eu concordo com o Paulo Portas (espero que esta custosa afirmação não me provoque nenhuma alergia) e até acho que ele fez bem em proibir a entrada do barco!
Senão vejamos: o mar é nosso, não é? E em Portugal é proibido o aborto (e sobre isto nada digo...), não é? Então não podemos deixar entrar cá um barco que vem fazer uma coisa que para nós é proibida...
Simples, não??
Assim como não deixaríamos entrar um barco onde as pessoas pudessem entrar para consumir drogas, ou um barco com uma forca para matar assassinos, porque também são coisas proibidas por cá.
__________________________________

Moral da história:
Esta história não tem moral...

O que faz falta é as pessoas dialogarem e chegarem a um consenso, pois as coisas não podem ficar como estão, com mulheres a arriscar a vida em abortos clandestinos, por um lado, e por outro uma cambada de sanguessugas a encherem-se de dinheiro à custa da desgraça alheia...
Quando será que teremos um governo que pegue neste assunto e o resolva com a dignidade que merece??
_________________________________

Hoje li que há crianças que ficam abandonadas em hospitais: umas porque os pais são tão pobres que não as podem tratar, outras são abandonadas no período de férias dos "pais"!!!
(Mas a que propósito me fui lembrar deste assunto agora??)

6 de setembro de 2004

Dedicado às cuscas!!

Queridas cuscas:
A festa foi boa. Foi um "ajuntamento" de família muito giro pois havia lá familiares (especialmente os meus tios avós) que eu não via há muito tempo. Já ficou apalavrada a próxima, a dos 100 anos!
Também serviu para pôr a conversa em dia com os primos, pois apesar de eles não morarem muito longe - Vale de Cambra fica a cerca de 50 km daqui - é raro encontrarmo-nos. Estas vidas complicadas de hoje em dia roubam-nos aquele tempo de conversa só pelo prazer de conversar que antigamente existia... Prometemos todos fazer um esforço para nos encontrarmos mais vezes, vamos lá a ver se conseguimos cumprir.
Se o meu computador me deixar gravar as fotos e se depois as souber publicar aqui, dou-vos uma fatia de bolo! (Bolo virtual é óptimo porque não engorda!!).
______________________

Como se não tivesse bastado a manhã e a tarde, à noite fui a outra festa, ihihihih!!
No domingo estive (quase)em repouso porque hoje já foi dia de trabalho (blhaaaaaaaaac!!)

4 de setembro de 2004

A Fada Magrinha

Varinha Mágica é o nome dum novo blog assinado pela Fada Magrinha.
Toca a visitar que ela está no início e precisa duma forcinha. Depois, como escreve bem, o resto vem por acréscimo...
Tudo a visitar a Fada Magrinha.
_______________________________

Não sei se o problema é do meu computador se é do SAPO, mas não consigo comentar em nenhum blog. Aparece uma mensagem a dizer que não defini o modelo, blá, blá, blá...
É só para dizer que, embora não comente, vos tenho lido.
Hoje (pois já passa da meia-noite), é que não devo ter tempo para estas coisas, pois vou para a FESTA!!
Depois conto como foi!

3 de setembro de 2004

Parabéns avó Guida!

Hoje faz anos a minha avó materna. Ela não se deve importar que eu lhe revele a idade: 90 anos.
E amanhã, para festejar os anos dela, organizou uma festa para cerca de 40 pessoas (irmãos, irmãs, cunhados e cunhadas, os filhos, os netos e os bisnetos). Mas não pensem que é daquelas festas que às vezes os filhos organizam para os pais aparecerem na televisão!
Ela é que faz questão da festa, organizou-a, e é a que está mais ansiosa para que ela aconteça. Aliás, esta festa já ficou marcada na festa de aniversário dos seus 80 anos. Disse ela: "Daqui a dez anos, quando eu fizer 90 anos, estão todos convidados para outra festa". E pronto, ela manda, nós obedecemos!
Eu também faço anos hoje (metade dos da minha avó...), e como não há duas sem três, a minha irmã (copiona!) também resolveu nascer no "nosso" dia!
É uma festa de aniversário com três aniversariantes!


brinde.jpg


Como não o posso fazer de outra forma, aqui fica um brinde "virtual" mas muito sentido!
Tchim, tchim, saúde!

2 de setembro de 2004

Uma fábula

Um dia, numa expedição, o cachorrinho começa a brincar de caçar mariposas e quando se dá conta já está muito longe do grupo do safari. Nisto vê bem perto uma pantera correndo em sua direcção.
Ao perceber que a pantera vai devorá-lo, pensa rápido no que fazer.
Vê os ossos de um animal morto e coloca-se a mordê-los. Então, quando a pantera está a ponto de atacá-lo, o cachorrinho diz:"Ah, que delicia esta pantera que acabo de comer!"
A pantera pára bruscamente e sai apavorada correndo do cachorrinho e pensando: "Que cachorro bravo! Por pouco não me come a mim também!"
Um macaco que estava trepado numa árvore perto e que havia visto a cena, sai correndo atrás da pantera para lhe contar como ela foi enganada pelo cachorro.
O macaco alcança a pantera e conta-lhe toda a história. Então, a pantera furiosa diz:
- "Cachorro maldito! Vai me pagar! Agora vamos ver quem come a quem!"
- "Depressa!" Disse o macaco. "Vamos alcança-lo!"
E saem correndo para buscar o cachorrinho.
O cachorrinho vê que a pantera vem atrás dele de novo e desta vez traz o macaco montado nas suas costas."Ah, macaco desgraçado! O que faço agora?", pensou o cachorrinho.
Ao invés de sair correndo, ele fica de costas como se não estivesse vendo nada, e quando a pantera está a ponto de atacá-lo de novo, o cachorrinho diz:"Maldito macaco preguiçoso! Faz meia hora que eu o mandei trazer-me outra pantera e ele ainda não voltou!"

"Em momentos de crise, a imaginação é mais importante que o conhecimento." Albert Einstein

1 de setembro de 2004

Ano novo cheio de novidades!

Posso dizer que comecei bem o meu "ano novo"!
Então não é que, depois de 23 anos de saltimbanca, fiquei efectiva??
E fui logo ficar efectiva na que tem sido a minha escola já há sete anos, a primeira escola que pus na lista!
Finalmente, ao fim destes anos todos, sou "dona" do meu lugar, e só saio de lá se ou quando quiser, não correndo o risco de ser escorraçada por alguém com mais tempo de serviço que eu!
Dêem-me os parabéns, que eu mereço!
Só não me peçam para pagar o jantar que a fila já é tão grande que é desta que vou à falência.
Mas como é por uma boa causa, nem me importo!

31 de agosto de 2004

Feliz Ano Novo!

Não, não estou tolinha nem tenho páginas a menos no calendário...
É que para mim o dia 31 de Agosto é mesmo o último dia do ano. E o 1º de Setembro é dia de Ano Novo...
Acabam as férias, começa o novo ano lectivo, fazem-se as últimas colheitas e deixa-se a terra virgem! É nesta altura que eu faço a minha "lista de intenções" para o novo ano, que renovo o guarda roupa (isto é, troco as calças de ganga azuis claras pelas azuis escuras...), compro cadernos a cheirar a novo para estrear- hummm- canetas novas, arrumo estantes, arquivo o que já não é preciso e deixo as pastas vazias para encher com o que aí vem. A lenha já está empilhada (aquele dia na madeira...) e pronta para quando o frio chegar... Há muito que fazer nesta altura para preparar a entrada do novo ano!

E alguém me sabe dizer que diferença há entre o 31 de Dezembro e o 1.º de Janeiro?? Portanto, aqui ficam os meus votos de um novo ano cheio de coisas boas para todos!!

29 de agosto de 2004

Gestão por objectivos

Era uma vez uma aldeia onde viviam dois homens
que tinham o mesmo nome:Joaquim Gonçalves.
Um era sacerdote e o outro, taxista. Quis o destino que morressem no mesmo dia.
Quando chegaram ao céu, São Pedro esperava-os.
- O teu nome ?
- Joaquim Gonçalves.
- És o sacerdote ?
- Não, o taxista.
São Pedro consulta as suas notas e diz:
- Bom, ganhaste o paraíso.
Levas esta túnica com fios de ouro e este ceptro
de platina com incrustações de rubis. Podes entrar.
- O teu nome ?
- Joaquim Gonçalves.
- És o sacerdote ?
- Sim, sou eu mesmo.- Muito bem, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e este ceptro de ferro. O sacerdote diz:
- Desculpe, mas deve haver engano.
Eu sou o Joaquim Gonçalves, o sacerdote!
- Sim, meu filho, ganhaste o paraíso.
Levas esta bata de linho e...
- Não pode ser! Eu conheço o outro senhor.
Era taxista, vivia na minha aldeia e era um desastre!
Subia os passeios, batia com o carro todos os dias,
conduzia pessimamente e assustava as pessoas.
Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais.
E quanto a mim, passei 75 anos pregando
todos os domingos na paróquia.
Como é que ele recebe a túnica com fios de ouro e eu.....isto ?
- Não é nenhum engano - diz São Pedro.
Aqui no céu, estamos a fazer uma gestão mais profissional, como a que vocês fazem lá na Terra.
- Não entendo!.
- Eu explico. Agora orientamo-nos por objectivos. É assim: durante os últimos anos, cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam. E cada vez que ele conduzia o táxi, as pessoas começavam a rezar.

Resultados! Percebeste? Gestão por Objectivos!
__________________________________

Não sei se isto se aplica a todos, mas no campo da educação vem mesmo a calhar!!

28 de agosto de 2004

Vida de cão

Anda para aí uma polémica acerca dum cão que participa numa série da TVI, "O Inspector Max".
Já recebi vários mails e li posts em blogs a denunciar maus tratos por parte do indivíduo que treina os cães (incluindo o que entra na série).
Hoje na TV Mais vinha um artigo sobre o assunto, com depoimentos dos donos do cão e do tal "treinador".
Claro que cada um puxa a brasa à sua sardinha e ficamos sem saber quem fala verdade e quem está a mentir, uma vez que é impossível ambas as partes estarem a falar verdade.
O tal senhor Garrido pode até maltratar os cães, mas pareceu-me que os donos do cão que entra lá na tal série estavam mais preocupados com o facto do cão ter sido "despedido" do que com os eventuais maus tratos... Não tenho conhecimento dos factos para saber quem tem razão, mas uma coisa eu sei: jamais deixaria um cão meu ser "treinado" para participar fosse no que fosse.
Mas há pessoas que para verem os seus cães serem "estrelas de TV" ( ou os filhos, tanto faz...) são capazes de os sujeitar às maiores barbaridades!

27 de agosto de 2004

Má língua

Ontem ou anteontem passou no rodapé do telejornal uma notícia acerca dos casamentos homossexuais na América. Parece que não há concordância entre o Bush e o seu vice. Não sei quem é a favor ou quem é contra, isso não interessa para o caso... O que interessa é que finalmente, há alguma coisa em que estamos mais avançados que os gringos! É que em Portugal há muito tempo que esses casamentos existem! Se não, como se explica que o (ou a?) Castelo Branco seja casado? E o Cláudio Ramos também é casado. Até esteve grávido e já tem um filhote!
Depois há um tal de Zé Maria que está com problemas psicológicos... Qual é o espanto?? Isso não era condição sine qua non para entrar no programa de televisão onde ele entrou?
Pronto, hoje apeteceu-me ser má língua...Ainda estou de férias (por um triz...) e tenho tido muito tempo para ler revistas cor-de-rosa. E tenho aprendido cada coisa!!

Obrigada!!

Estou toda vaidosa e quero agradecer aqui a todos e a todas que visitam este meu cantinho. Não sei se é bom ou mau estar no top! A sensação é gira, mas a responsabilidade também aumenta. E isto tinha de acontecer logo agora que me chateei com o sapo?? Será chantagem emocional? Estou a escrever isto e às tantas vou publicar noutro lado! Assim fico com remorsos de o abandonar... Mas que raio! A lista aí do lado esquerdo aumenta a olhos vistos e torna-se impossível visitar toda a gente todos os dias. Por isso decidi deixar de responder aos comentários e dedicar esse tempo a retribuir as visitas. Mais uma vez, obrigada a todos! Agora vou imprimir a página do top antes que o meu blog desapareça de lá!!

25 de agosto de 2004

29 regras para bem escrever português


Atendendo à dificuldade que a maioria das pessoas tem em escrever ( e isso nota-se bastante nalguns blogs!) aqui deixo, completamente de borla, estes importantes ensinamentos:
1. Deve evitar ao máx. a utiliz. de abrev., etc.
2. É desnecessário fazer uma opção superlativa quanto ao estilo e empregar de um estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de um excessivo esmero a raiar o exibicionismo narcisístico.
3. Anule aliterações altamente abusivas., o mais possivel!
4. não esqueça as maiúsculas no inicio das frases.
5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.
6. O uso de parêntesis (mesmo quando for relevante) é desnecessário.
7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.
8. Evite o emprego de gíria, bué, mesmo que pareça nice, tá fixe?
9. Palavras de baixo calão podem transformar o seu texto numa merda.
10. Nunca generalize: generalizar, é um erro em todas as situações.
11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.
12. Não abuse das citações. Como costuma dizer um amigo meu: "Quem cita os outros não tem ideias próprias".
13. Frases incompletas podem causar
14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez, ou por outras palavras, não repita a mesma ideia várias vezes.
15. Seja mais ou menos específico.
16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!
17. A voz passiva deve ser evitada.
18. Utilize a pontuação correctamente o ponto e a vírgula especialmente será que já ninguém sabe utilizar o ponto de interrogação
19. Quem precisa de perguntas retóricas?
20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.
21. Exagerar é cem milhões de vezes pior do que a moderação.
22. Evite mesóclises. Repita comigo: "mesóclises: evitá-las-ei!"
23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.
24. Não abuse das exclamações! Nunca! O seu texto fica horrível!
25. Evite frases exageradamente longas, pois estas dificultam a compreensão da ideia nelas contida, e, por conterem mais que uma ideia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçam desta forma, o pobre leitor a separá-la nos seus diversos componentes, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.
26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língúaa portuguêza.
27. Seja incisivo e coerente, ou não.
28. Não fique escrevendo no gerúndio. Você vai deixando seu texto pobre -ausando ambiguidade - e esquisito, ficando com a sensação de que as coisas ainda estão acontecendo.
29. Outra barbaridade que você deve evitar é usar muitas expressões que acabem por denunciar a região onde tu moras, carago!