7 de setembro de 2004

O tal barco...

Apesar de ter quase prometido a mim própria não o fazer, vou ter mesmo de dizer o que penso sobre o "barco do aborto".
Mas primeiro vou arranjar aqui uma espécie de bunker para me enfiar depois de publicar...

(já está...)

É que a minha opinião vai de encontro à de quase todas que tenho lido por aqui...
Por uma vez eu concordo com o Paulo Portas (espero que esta custosa afirmação não me provoque nenhuma alergia) e até acho que ele fez bem em proibir a entrada do barco!
Senão vejamos: o mar é nosso, não é? E em Portugal é proibido o aborto (e sobre isto nada digo...), não é? Então não podemos deixar entrar cá um barco que vem fazer uma coisa que para nós é proibida...
Simples, não??
Assim como não deixaríamos entrar um barco onde as pessoas pudessem entrar para consumir drogas, ou um barco com uma forca para matar assassinos, porque também são coisas proibidas por cá.
__________________________________

Moral da história:
Esta história não tem moral...

O que faz falta é as pessoas dialogarem e chegarem a um consenso, pois as coisas não podem ficar como estão, com mulheres a arriscar a vida em abortos clandestinos, por um lado, e por outro uma cambada de sanguessugas a encherem-se de dinheiro à custa da desgraça alheia...
Quando será que teremos um governo que pegue neste assunto e o resolva com a dignidade que merece??
_________________________________

Hoje li que há crianças que ficam abandonadas em hospitais: umas porque os pais são tão pobres que não as podem tratar, outras são abandonadas no período de férias dos "pais"!!!
(Mas a que propósito me fui lembrar deste assunto agora??)

9 comentários:

polittikus disse...

E porque motivo proibe as pessoas de ir ao barco??? O suposto "crime" não é realizado em território nacional... ou é? O juiz hoje manhã disse q sim, logo eu sou burro e prefiro ficar calado...

Anónimo disse...

cá estou cá estou e gostei desta nova casa:) vou tentar não a perder de vista:) um beijinho! **** (marília das tintas;)

SaltaPocinhas disse...

@@ POLLITIKUS: essa do território nacional tem que se lhe diga. O barco pode não ser, mas o mar onde ele navega é, portanto nós é que mandamos... Se entrar um estrangeiro em tua casa, continua a ser estrangeiro mas as regras és tu que ditas... Quanto à história do tribunal ouvi agora às 18 horas na rádio. Ainda não tinha ouvido notícias hoje, não fui influenciada por nada, dei apenas a minha opinião.

afigaro disse...

E se aquela gente viesse de Autocarro, a pé ou de carroça? E o que acontece às mulheres que têm dinheiro para ir à vizinha Espanha e Inglaterra, abortar. Das outras não falo.Serâo excluidas da sociedade? Ah! estamos já, numa sociedade de excluídos! Esquecia-me.Da
arrogância nasce uma sociedade desigual. Não vivéssemos nós com um poder oliogárquico. Finalmente, venham muitos debates: ninguém arreda pé das suas convicções. Reina e reinará a hipocrisia.
Já pregava Frei Tomás:"olhem para o que ele diz e não para o que faz".

SaltaPocinhas disse...

@@@ AFIGARO: "Deste a volta" ao texto para o lado que te convinha...
Eu limitei-me a dar a minha opinião acerca da entrada ou não do barco. Somos ou não somos donos das nossas águas territoriais? Ou somos um país onde não há nenhuma autoridade e entra cá quem quer? Foi só disto que eu falei... O resto dá pano para mangas, nem sequer expressei a minha opinião, porque o assunto que para aqui chamei não era esse!

inconformada disse...

Ora bem... eu até podia tentar dar-lhe razão, mas o "Sr." Paulo Portas se tem ficado quieto tinha feito melhor figura - para ele é claro.
O barco acostava, calma e serenamente. A polémica que se levantou - quanto a mim ainda bem, porque é bom abanar-se estes espíritos adormecidos :-) - tinha sido evitada: o aparato era perfeitamente dispensável. Se a lei fosse quebrada, actuavam. Não concordo com a lei, como sabes. Mas - e onde estavam quase 50% dos eleitores portugueses no dia do referendo ? - as leis são para se cumprir. Sem excepções (o que também não se passa neste país...). E uma das funções dos nossos governantes é exactamente fazer cumprir as leis.
A pedofilia é um crime - e acho que ninguém discorda - gravíssimo e os presumíveis inocentes/culpados andam à solta porque não estão a quebrar nenhuma lei. Quanto a mim, o dito barco também é inocente até prova em contrário.
Esta manifestação de "donzela ofendida" ainda sem ter sido penetrada é simplesmente ridícula. Marinha de Guerra para travar meia dúzia de mulheres, armadas com um gabinete de ginecologia e comprimidos que se vendem livremente em Portugal ?? Se um dia - longe vá o agouro - formos invadidos por um exército o que fazemos ? E se o barco ainda não se tiver ido embora ? Como temos imensos meios, devem andar a correr de um lado para o outro...
Tu desculpa-me minha querida, mas por este prisma a situação é hilariante.
Um beijo enorme

Anónimo disse...

rafapaim do filosofia barata: a soluçao nao deve vir de fora... deve ser encontrada aqui dentro!!!

Azenhas disse...

Olá salta-pocinhas! Tens direito à tua opinião, mas deixo-te a minha. Não deveria ser proibido o barco entrar pois nada seria feito cá. Eu penso que o efeito pretendido era mesmo relançar o debate e esse, amiga, como vimos aqui no teu cantinho, foi amplamente atingido!! Helás..touché sr Portas! continuo no sapo, mas abri uma delegação no blogspot...

citrika disse...

Eu, supotamente, estou aqui para defender a minha mãe!!!
Mas já não sei se o devo fazer...

Para lhe dar a minha palavra de alento, tive de ler todos os artigos da Sra Salta-pocinhas até meio de Agosto, à procura do artigo-polémica. E só depois de perguntar 1000 vezes "o que raio se passa com o meu computador que não me mostra o blog inteiro?" é que cheguei à conclusão de que havia uma possibilidade do tal artigo estar no outro blog!

OK´! Lá cheguei a este blog!
Foram 10 minutos para descobrir onde é que clicava para escrever o comentário... e, quando descobri, apareceu-me um quadrado a dizer "SIGN IN"!!!
Como não poidia sign in porque não estava inscrita, lá tive de me inscrever e... adivinhem!!! ... agora tenho um blog!!!! Chama-se Ácido Cítrico... mas o endereço teve de ficar como Citrato, por motivos que ultrapassam o meu entendimento!

Eu só queria defender a minha mãezinha, e agora tenho um blog! Não se faz!

Relativamente à Salta Pocinhas, na altura em que o POVO PORTUGUÊS teve a oportunidade de fazer alguma coisa relativamente à lei absurda do aborto, ela fez! Levantou-se cedo da cama e foi votar no dito referendo ... coisa que 50% das pessoas não fez (e, talvez, algumas delas estejam agora em manifestações!).

Relativamente ao Sr. Portas, ele lá deve ter os seus motivos... só é difícil entender quais...

Mas ele não é mau de todo para o país:
Até pôs os polícias a andarem de calções nas praias... claro que, para isto, ele também lá deve ter tido os seus motivos!