15 de setembro de 2004

"Querido papá"

Ontem ouvi atentamente o nosso ministro das finanças e concluí que o homem tem toda a razão... Governar o país é como governar uma casa. Só que, como disse, e bem, um sindicalista (não sei quem foi, gastei a minha quota de atenção com o senhor ministro!) os "donos de casa" desta história são uns reles pois dão tudo a uns filhos e nada a outros!

Como deu a entender o iluminado senhor ministro quem não deixa este país progredir é essa corja de malfeitores que dá pelo estranho nome de "função pública"!
Eu concordo plenamente!!!
Alguém me sabe dizer para que servem professores, médicos, enfermeiros, cientistas (esses então, blhaaac), bombeiros, juízes, administração pública, etc.,etc., a não ser para levar o país à ruína?
Experimentem acabar com essa praga e verão: sem professores deixa de haver problemas de colocações no início do ano lectivo, os pais deixam de se queixar do dinheiro que gastam em livros e material escolar, essas inutilidades!
E se acabarem os médicos? Acabam as listas de espera nos hospitais, essa ingrata gentinha do povo deixará de se queixar por estarem paralíticos há anos à espera duma operação a umas quaisquer articulações!!
E não será que acabando os bombeiros se acabam também os fogos?
E se fecharem os tribunais ninguém mais se queixará de injustiças!

______________________________

Ontem ouvi o ministro porque estava a jantar, não tinha o comando da televisão por perto e tive preguiça de me levantar...
Aquele ar paternalista ("olhem para mim, sou tão bonzinho!"), aquela maneira de falar como se quem o estivesse a ouvir fossem criancinhas de 3 anos irritou-me de tal maneira que a certa altura venci a preguiça, peguei no comando e mudei para a 2!
Se fosse assim tão fácil mudar de ministro...

12 comentários:

fernanda dias disse...

Também te fez lembrar as conversas em familia? Beijo

polittikus disse...

Que Deus me perdoe esta blásfémia, mas por vezes chago a pensar que seria bom existir uma associação do tipo ETA em Portugal...

Anónimo disse...

Tá visto que vamos continuar a dar dinheiro aos chulos. Infelizmente como dizia Boccage Portugal é um bordel.
Barão da Tróia
http://barao_da_troia.blogsopt.com

inconformada disse...

Se arranjares um comando desses avisas ?
(please, please, please)
Beijo

afigaro disse...

Alguém disse conversas em família?...pior do que isso. Com o outro sabíamos com aquilo que se podia contar. Falsas promessas, misturadas com repressão. Com este?... a cena segue dentro de momentos!Ops!

Anónimo disse...

Realmente isto de um fulano, que não nos é nada... a governar a nossa casa... é o que eu digo... Ditadura democrática...

Partilhas

O Turista disse...

Realmente foi de morrer a rir... lindo... aquele ar paternal... as palavras sábias... o sorrir... só faltava ter levado a familia dele para mostrar "como se deve poupar!!"
lolll
Não percebi realmente a utilidade da declaração, mas está bem!
Bjs e vai passando em http://turistar.blogspot.com
:)

MWoman disse...

Mas eu vou arranjar um comando desses! Oh, se vou!!! A seguir ao ministro das finanças, vão os outros todos!;)Beijos

inconformada disse...

Porquê ???
Estava a contar contigo :-)
Deixei um link para umas notas ao desafio no fim do post. Vá... anda lá !! :-)
Beijo grande

Urtiga Benenosa disse...

Lindo canto, finalmente vou por o teu link no frasco novo. Besitos

Arselio Martins disse...

Se este ministro fosse personagem de uma fábula qualquer, podia aceitar fazer parte da tla família de que ele tanto fala. Assim não me apetece, embora ele pague bem ao ramo da família conhecido por Mira Amaral. Mas eu nem quero ser bem pago, eu quero é que me digam se é verdade que eu sou da mesma família e se for quero ajuda para um divórcio... litigioso.

Miguel FM disse...

Nota para o polittikus...

Algo como a ETA é absurdamente escusado... quando o problema foi/é as pessoas terem votado neles (não nos que lá estão agora, mas numa m**** idêntica).

Espero que não haja pessoas ignorantes em Portugal em número suficiente para que tenham sequer alguma força no parlamento nas próxmas eleições.

Até aceito desculpas (dos que votaram neles) de que foram enganados pela campanha deles... mas depois disto não há mais desculpas. Quem votar neles, para mim, é um pefeito anormal/ignorante/idiota... ou então deve ser filho de algum deles...