Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2012

Uma fotografia por domingo (211)

Imagem
Azenha de Santa Cruz.

Rua Sésamo

Imagem
Que saudades desta revista!

Nas minhas arrumações de fim/início de ano, fui desencantar as minhas "Rua Sésamo" e resolvi levá-las para a escola...
Quer dizer, resolvi e "desarresolvi" logo de seguida, porque elas, apesar de terem quase 20 anos, continuam atuais, cheias de ideias giras para os mais pequenos: jogos, histórias, poemas, adivinhas, bandas desenhadas...
E lá vou eu ter de fazer "scaner" com algumas coisas, porque não me desfaço das minhas revistinhas.


Infelizmente, só acaba o que é bom!

Rapidinha de segunda

Justina, no leito de morte, decidiu confessar ao seu António:
"Toino, sabis? O nosso filho más velho nã é tê filho!"
O António, muito tranquilo, responde-lhe:
"Dêxa lá Justina, nã há nenhum problema... !"

Justina, muito intrigada com toda a calma do seu António, suplica-lhe:
"Escuta lá Toino!!! Vê se intendes! Estou a dezêr-te que o tê filho não é teu, homem de Deus!!"

E o António muito serenamente responde-lhe:

"Pois, pois... eu entendi, Justina."


"Ai, Jisus!! Por que raios então tu não estás zangado e ficas tãn tranquilo?"

Finalmente, o António responde:
"Pois... sabes Justina, que este filho tambêm não é tê filho!!!?"

Justina indignada rebate:
"Como não é mêu, homem de Deus?
Sê carreguê o infliz na minha barriga durante nove meses?!"

António responde:
"Justina, lembras-te quando tu estavas na maternidade me pediste para trocar o menino, queli estava todo cagado?
Pois bem... eu troquê-o por um limpinho que estava ao lado.&q…

Uma fotografia por domingo (210)

Imagem
Praia de Santa Cruz, Torres Vedras.

Amarradas à vida

A notícia das velhinhas que morreram amarradas a uma cama chocou muita gente.
Mas, para ver pessoas amarradas a camas, basta fazer uma visita  a qualquer hospital...
É horrível de se ver, mas deve ser ainda muito pior de viver.

A mim, o que me choca mesmo nestes casos, é continuarmos a insistir em ter pessoas muito idosas e irremediavelmente doentes, amarradas à vida.



Rapidinha de segunda

Um passageiro toca no ombro de um taxista para lhe fazer uma pergunta.

O taxista grita, perde o controlo do carro, quase choca com um camião, sobe o passeio e entra por uma montra dentro...

Por um momento não se ouve nada dentro do táxi até que finalmente o taxista diz:
- Olhe amigo, não volte a fazer isso nunca mais! Quase que me matou com o susto!

O passageiro pede desculpa e diz:

- Nunca pensei que fosse assustar-se tanto só porque lhe toquei no ombro!

Responde o taxista:

 - O que se passa é que hoje é o meu primeiro dia de trabalho como taxista.
- E o que é que fazia antes?
- Fui condutor de um carro funerário durante 25 anos'

Uma fotografia por domingo (209)

Imagem
Pôr-do-sol na Praia de Santa Cruz (Torres Vedras)
Estes gajos estão pelo menos 500 anos atrasados em relação ao resto dos povos do mundo.
E não me venham com conversas politicamente corretas: essa gente tem muito que evoluir antes de merecer o respeito do resto da humanidade!

O D. Afonso Henriques lá tinha as suas razões, ao não os gramar!

Relatório da OCDE

“Portugal investiu muito em dar mais tempo de estudo aos alunos”, disse o director adjunto para a Educação da OCDE, Andreas Schleicher. “Mas o aumento do número de alunos por turma piora o nível da educação e Portugal foi o que mais cresceu”, salientou, no entanto.

É uma pena que Nuno Crato, o Ministro da Educação não leia estes relatórios! Mas nem seria preciso ler: bastava alguma vez ter dado aulas, sem ser em anfiteatros para alunos do ensino superior!

Uma fotografia por domingo (208)

Imagem
Este gato-calendário foi a minha aquisição na Feira Medieval de Santa Maria da Feira.
É tão giro, não é?

Pedro Passos Coelho

Imagem
solidário com Cristiano Ronaldo!

Para que ele não seja o único triste no país, Pedro Passos Coelho resolve anunciar mais austeridade, momentos antes de começar o jogo de futebol...

Tão querido, não é?


Continuação do episódio anterior...

Na sequência do que escrevi antes, e como os cuscos são muitos, vou passar a explicar:

As mudanças foram (vão ser) grandes, mas não enooormes.
Vou fazer o mesmo trabalho que sempre fiz (que é o que gosto de fazer): dar aulas.

Só que, vou mudar de escola! Fico dentro do mesmo agrupamento, terei os mesmos colegas, mas muda o edifício.
De uma mini-escola, com 2 professoras e 30 alunos, vou passar para a sede do agrupamento, onde há turmas desde o 1.º ano (a minha!) até ao 9.º, montes de colegas, de funcionários, de salas, de confusão.

Por agora está tudo a correr bem, mas o impacto maior está quase a chegar: uma turma de 1.º ano - crianças de 5 e 6 anos - com 25 (vinte e cinco!) alunos. Vão ser 25 pares de olhos a olharem para mim e... muito pior, 25 boquinhas falantes. Ai, ai...

Se sobreviver venho cá contar como é.

A poucas horas

de encetar uma etapa diferente na minha vida profissional, há todo um nervoso miudinho...
As rotinas dão-me segurança, por isso sou avessa a mudanças.
No entanto, às vezes é preciso mudar, variar, testar capacidades...

Desejem-me sorte!