11 de novembro de 2004

Lenda de S. Martinho



Antes de baptizado e convertido ao Cristianismo, S. Martinho foi na mocidade soldado das legiões do Imperador Juliano.
Certo dia, sob o vendaval e a neve, equipado e armado, montado a cavalo, Martinho viu um mendigo semi-nu, tiritando de frio, estendendo para ele a sua pobre mão ossuda e gelada.
O Santo parou o cavalo, tomou com caridade a mão desse abandonado e, em seguida, tomou da espada, cortou pelo meio a sua capa de agasalho, deu metade dela a esse miserável peregrino e, envolto na outra metade, sacudiu a rédea e prosseguiu através da tormenta, do vento e da neve.
Subitamente, porém, no caminho do soldado, a tempestade desfez-se, amainou o tufão e a geada, o céu descobriu instantaneamente, como por encanto, a sua profundidade límpida e azul, e um sol acariciante e resplandecente inundou a terra de alegria e vestiu de luz e calor esse cavaleiro caridoso.
Deus, reconhecido, para que não se apagasse da memória dos homens a notícia deste acto de bondade, praticado por um dos seus eleitos, dispôs que em cada ano, na mesma época em que S. Martinho se desfez da metade da capa, por alguns dias se interrompesse o Inverno, cessasse o frio, sorrisse o céu e a terra, e um calor saudasse a natureza, sempre insensível à vontade dos homens, em memória daquele que, em certo dia, humilde soldado, trotando a sós por um caminho, desafiou e venceu a fúria insuperável dos elementos.

Lenda copiada daqui

5 comentários:

lique disse...

Sempre saborosa de ler e coberta de significado esta Lenda de S. Martinho. Quanto à tua pergunta, falo de Vermoim, freguesia do concelho da Maia. Beijinhos

darkman disse...

parabens, contribuiste para a minha cultura... n conhecia o assunto tao "a fundo".*

Santos Passos disse...

Será que foi com ele que os políticos brasileiros aprenderam? Aqui funciona assim: em véspera de eleição, o político distribui, por exemplo, sapatos. Mas só o pé esquerdo. Depois da eleição garantida, dá o pé direito. Usa-se também dentadura: primeiro a parte de cima, depois a de baixo.
Commo o santo deu metade da manta...

Alexandre Mota disse...

Nunca percebi o sentido do 'Verão de S. Martinho', agora compreendo. Obrigado.
Faço colecção de textos que acho interessante (http://transcrever.blogspot.com/), este já é o segundo que "roubo" ao Fábulas, espero que não se importe.

inconformada disse...

Hummm... vou-te roubar esta lenda para a minha colecção. :-)
Beijo