7 de dezembro de 2004

Mário Soares



Parabéns!
Mário Soares completou hoje a bela idade de 80 anos, com uma lucidez e perspicácia que muitos com metade da sua idade não têm...
É um homem exemplar e foi um político que, embora não tendo agradado a todos, agradou a uma enorme maioria. Talvez esse consenso se deva à honestidade que este homem pôs em tudo o que fez.

7 comentários:

polittikus disse...

Parabéns BOchechas... espero chegar bà idade dele com a mesma lucidez...

Anónimo disse...

Não terá sido só uma questão de honestidade. Digamos que Soares sempre foi um homem de convicções fortes e que soube transmitir ao povo essas convicções ao povo de uma maneira simples. E transmitir algo complexo de uma maneira simples, é muito difícil. Não é certamente perfeito, muito longe disso. Mas quem quer a perfeição? Eu desconfio sempre da perfeição.
Li o teu texto sobre a Língua Portuguesa, Achei muito engraçado. Apoio a maior parte os conselhos. Mas continuarei a dizer, «evitá-la-ei» até morrer, se o contexto o exigir, dentro ou fora do blogue. Beijocas. (ops! Escrevi uma frase com uma única palavra! E ainda por cima estou a usar parênteses no final do meu comentário!) ;-)
(Nor - Eu e os Outros - http://nadaesperes.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

Ah, um conselho que te esqueceste de dar: reler sempre o que se escreve. Uma releitura corrige muitas falhas comom por exemplo a repetição de «ao povo» no meu comentário anterior! - Nor

lique disse...

Já lhe dei parabéns num outro blog. E agora dou-lhe aqui também. Embora haja muita coisa em que não concordo com ele, tenho que reconhecer a sua enorme importância para a democracia em Portugal. Beijinhos

Anónimo disse...

Espectro #999 diz ...

E daí talvez não. Honestidade é uma palavra bastante difícil de detectar na sua componente física e moral.
Saltapocinhas, espero que, isto se não te importares muito, venhas ver as novidades que tenho para te mostrar em Delírios Ascii.
E são tantas. Espero que com um breve olhar possas ver aquilo que imaginei dar-vos em bytes.
Beijocas e inté.

Abulafia disse...

O que dana a direita e a esquerda-socrática (chamemos-lhe assim, pode ser?) é que Soares não foi capaz de envelhecer à sombra do seu passado e do epíteto que havia conquistado - "o presidente dos portugueses".

Num primeiro acto, voltando à vida política activa para ser cabeça de lista às europeias; depois, não se inibindo de criticar todo o espectro político português, à esquerda e à direita - tanto arrasou Santana, como hoje foi incapaz de dizer bem de Sócrates.

Confesso: não sou um fã de Soares. Mas reconheço-lhe garra e destreza política, conciliando a "parra e a uva" - não é só basófias e pose. Ou seja, tem de sobra tudo o que falta, globabalmente, à generalidade das gerações de políticos que o sucederam.

Por isso sim: Soares acaba por ser fixe. E o resto que se lixe.

Anónimo disse...

Quanta ingenuidada, minha cara amiga... quanta ingenuidade!...