18 de dezembro de 2007

Provincianismos

"É verdade, sou um provinciano, fiz-me sem pedir nada a ninguém. Não tenho aliados entre os grandes pensadores portugueses e a aristocracia de esquerda".

José Sócrates, "Libération", 17-12-2007

Neste país de saloios há quem não perdoe que uma pessoa com origens pouco aristocratas alcance lugares de destaque e poder...
Basta ouvir as críticas que são feitas a Cavaco Silva: não são dirigidas - como deviam ser - à sua política, mas sim às suas humildes origens.

7 comentários:

O Micróbio II disse...

UM FELIZ NATAL!! :-)

peciscas disse...

Cá por mim, o provincianismo nada tem a ver com o berço, mas sim com as ideias.
Tão provinciano é o Socrates como o Portas ou o Santana Lopes.
Aliás, o Eça sabia bem disso quando criou muitas das suas personagens.

José António disse...

O provincianismo irrita as elites, mas não tenhamos dúvidas: as elites têm muito mais poder que os políticos todos juntos. Hoje, como antes, manda o dinheiro.

Eskisito disse...

Eu acho que o maior defeito do Sócrates não é esse...mas se calhar, sou mesmo só eu...

Didas disse...

A minha avó, por exemplo, era peixeira. Logo, eu devia chegar a ministra. No mínimo. Tá mal!

SaltaPocinhas disse...

ainda és novinha didas, ainda vais a tempo!
não "desmoreças"!!

Mo disse...

vinha dizer o q o peciscas disse... de facto tou com o peciscas o cu n tem nada a ver com as calças

mudando de assunto, se o socrates e o cavaco n tiveram ajudas para subir isso deve ser piada de natal, subir em politica é o paradigma das "ajudas"