24 de outubro de 2007

Plano Nacional de Leitura

A ministra da educação está contente com os resultados do PNL.
Isabel Alçada também.

À Isabel Alçada eu compreendo: afinal quase todos os livros dela constam da lista dos "eleitos"...
Será só coincidência?

Quanto a mim, nunca precisei de plano nenhum para ler aos alunos, para lhes incutir o gosto pelos livros ou incentivar a leitura.
Mas, se houver nem que seja só um professor que o faça por causa do PNL, já valerá a pena a sua existência!

Por outro lado, enquanto os livros infantis custarem o balúrdio que custam, não haverá, fora da escola, plano que nos valha!

8 comentários:

Rita Inácio disse...

O meu gosto pela leitura surgiu com uma coisa que penso que deixou de existir!
A biblioteca itenerate da Gulbenkian..., que ia à minha terrinha emprestar livros!
Pena que deixou de aparecer,..., e nem recolheram os últimos livros...

Rita Inácio disse...

itinerante... ups

snowgaze disse...

Eu li centenas (pelo menos) de livros enquanto era miúda que eram emprestados pela biblioteca - ao início, a itinerante da Gulbenkian, mais tarde a biblioteca municipal a cuja colecção foram acrescentados livros da Gulbenkian. O preço dos livros não é desculpa...

josé palmeiro disse...

Pois é verdade, as "Bibliotecas Itinerantes", da Fundação Calouste Gulbenkian, acabaram MESMO!
Os espólios, incluindo aluns dos veículos, foram oferecidos às autarquias que se comprometeram continuar o processo. Acrescento que o projecto inicial, ninca seria cumprido, uma vez que, entregue a uma autarquia,seria só por ela utilizada e nunca noutros territórios. Logo a abrangência foi substâncialmente diminuida. Depois, muitas delas, não sobreviveram , muito tempo e são poucas as que ainda funcionam.
Quanto ao teu escrito, Raposinha, concordo inteiramente com o que lá dizes. É muito bom ter os livros vendidos, antes de publicados, assim é fácil ser escritor e sobretudo, lucrativo.

Didas disse...

Não acredito nada nesse PNL. Nada!

Fábula disse...

as crianças de hoje lêem?!! estou pasma... e eu que pensava que não saíam de frente do computador... :p

SaltaPocinhas disse...

Rita: como disse o zé, as bibliotecas da gulbenkian desapareceram mas ficaram as municipais (algumas).

à minha escola vêm 2 vezes por mês para as crianças requisitarem livros. o problema é que são os mesmos há anos, velhíssimos e nada de novidades!

snow: o preço dos livros faz com que a maior parte das crianças não tenham livros em casa, ou então só têm livros muito fracos que normalmente são baratos.
eu sei do que falo pois ando a tentar fazer a minha biblioteca infantil e esses livros são mais caros que os para adultos!

didas: idem aspas!

fábula: lêem e muito.
o local mais concorrido da minha sala é o cantinho da biblioteca!

josé palmeiro disse...

Raposinha, no tempo em que eu tentava fomentar o gosto pela leitura, duma forma mais activa, tinha colegas teus, com os quais protoculava um sistema que consistia em deixar na escola uma ou duas caixas de livros, conforme a quantidade de alunos a que se destinavam, e eram eles que dinamizavam, por mês, esse tão lindo acto. Esta modalidade destinava-se às primeiras classes, anos agora. Conjuntamente com os livros ficava material de expediente, como fichas de inscrição e requisições para os livros, para que pudessem aprender as mecânicas do acto. Era das acções, mais gratificantes, que me aconteceram.
Desculpa-me o desabafo, mas tinha que o fazer.