5 de outubro de 2007

A vara, do ponto de vista de Deus

"Um dos obstáculos à disciplina é o pensamento humanista.
A vara veio de Deus.
Foi ele quem ordenou que os pais batessem nos filhos como uma expressão do seu amor por eles."
(...)
"A correia, embora seja flexível, não é tão eficaz quanto a vara, e também pode machucar a criança."
(...)
"Deus forneceu aos pais o lugar ideal para ministrar as varadas - o traseiro da criança.
É um lugar que não oferece perigos, porque é bem recheado, mas mesmo assim bastante sensível."

Sinistro, não?
Agora até aposto que estão a pensar que este extraordinário texto foi retirado de algum documento do tempo da inquisição...
Mas infelizmente não!
Este texto incrível foi escrito por um autor brasileiro em 1983!! (não, não me enganei, o segundo dígito é mesmo um nove!)

Caso estejam interessados, podem ler mais pormenores aqui.

12 comentários:

Amaral disse...

Só podia ser de um autor brasileiro!...
Desajustado e fora de si!
Talvez já tenha desejado apagar o que disse!!!...

arte por um canudo 2 disse...

E dizem-se pedagógicamente muito competentes.Eles é que precisavam de umas varadas. Bjs

aflores disse...

Eu levei algumas e não me fizeram mal nenhum...pelo contrário, aprendi que não se caça leões com fisga nem moscas com carabina.
:)

Didas disse...

É um visionário!... Mas pelo olho do tal traseiro...

PN disse...

Admirava-me se o texto fosse mais recente. Agora nos anos 80... nesse tempo ainda era comum os professores darem reguadas e terem uma vara para bater nos alunos quando davam uma resposta errada. Eu testemunhei isso, por isso não me choca que houvesse um senhor brasileiro a escrever esse tipo de coisas.

Carla Silva disse...

Não concordo deveras com este senhor - existem outros métodos mais adaptáveis como um castigo por exemplo.

José António disse...

Do que li ressalta uma única coisa positiva:
- Caso seja preciso bater, nunca se deve fazer isso com o coração.

De resto é tudo um disparate pegado e pegajoso. Bater com uma vara? Variações...
Interpor um objecto para demonstrar quem manda?
Asneira da grossa!

Graça disse...

Às vezes era mesmo preciso que existisse censura. Quando não há... arriscamo-nos a ver barbaridades assim publicadas!
Mas olha que tu também falhaste um bocadinho no título que deste ao teu texto - esse "ponto de vista" sobre a vara que apresentas não é o de Deus, mas o da criatura que resolveu falar em seu nome!
Boa semana! Beijinhos

Emiele disse...

Como disse a Graça, que lata espantosa falar do «ponto de vista de Deus», é o máximo!!!!
Depois, essa pedagogia da pancada, não é por ser há 10 anos , há 20 ou seja quando for, sabe-se perfeitamente o erro que é. Desculpe o AFlores, se a si não lhe fizeram mal, poderá falar por si, não pode falar por mais ninguém. E, na minha opinião se numa relação familiar se pode entender uma palmada e não diabolizar os pais que a dão, numa escola esse acto é inaceitável.

peciscas disse...

Claro que ainda há muito quem pense assim.
Repara que na Inglaterra, ainda não foi há muito tempo que foram abolidos os castigos corporais nas escolas.
E já há vozes que advogam o seu regresso...

Formiguinha disse...

esse sr. não deve saber quem á Paulo Freire, de certeza!!!

António disse...

Viva a liberdade de expressão do pensamento!