7 de novembro de 2007

Ensino mesmo, mesmo, mesmo especial!


Hoje apresentou-se na minha escola uma professora que devia ser do Ensino Especial.
Estas professoras são normalmente especializadas neste tipo de ensino, uma vez que as crianças "diferentes" precisam de um apoio e de um ensino também ele diferenciado.
Há técnicas de ensino e de abordagem das matérias diferentes daquelas que são usadas pelos professores do currículo normal.

Daí o meu espanto quando a nova colega diz que é professora de EVT do 2.º ciclo, que de ensino especial nada percebe e nem sabe como ali foi parar!

E é assim que o ensino, dito especial, é tratado.
(e é assim que os professores são tratados

A Floreca deixou-me o link para uma notícia sobre este tema.Aqui.

11 comentários:

floreca disse...

Eu tenho duas colegas do secundário que foram colocadas nessa situação, uma na pré e outra no 1º ciclo.
Sem qualquer tipo de formação, experiência ou seja o que for.
Não me parece que seja esta a forma de tratar nem as crianças nem as professoras, mas é a realidade.
Pelos vistos foram bastantes mais: http://dn.sapo.pt/2007/11/03/sociedade/professores_formacao_apoiar_deficien.html

floreca disse...

http://dn.sapo.pt/2007/11/03/sociedade/professores_formacao_apoiar_deficien.html

pedro disse...

Aqui no meu agrupamento temos uma professora do 3º ciclo a trabalhar com TODOS os alunos NEE desde o Jardim de infância até ao 3º ciclo.
O trabalho que até há 2 anos era feito por 3 colegas (uma educadora, uma professora do 1º ciclo e outra do 2º ciclo) agora é feito por 1 professora. A sorte é que nós (os 2 profs. do apoio sócio educativo) vamos dando uma ajudinha...

José António disse...

Teimaram em não abrir mais lugares de quadro na educação especial e o que conseguiram foi poupar uns euros. É fixe!

Fábula disse...

não percebo que sistema é este e porque raio não nos unimos todos para o mudar... :(

mixtu disse...

e é assim que está o país...

abrazo europeo

Emiele disse...

É um escândalo.
Para mim é uma situação que brada aos céus. Como alguém aqui disse é apenas um modo de poupar dinheiro, e o resto que se lixe!

Didas disse...

Vocês não percebem nada disso. Esse é o chamado ensino especial de corrida.

aflores disse...

Ou seja...uma enfermeira a fazer um transplante cardíaco???

Eskisito disse...

Por muito boa intenção que elea tenha, nunca terá as características para exercer bem a profissão. Mas na condição das coisas, como eu concordo com a colocação.
Beijos

Anónimo disse...

o que me preocupa são de facto os professores especializados que continuam a dar mais do mesmo..e, isto porque parece que já não chega os alunos com NE educativas terem azar (na maioria das vezes) com os pais, depois com os professores e tudo isto só porque nasceram cá!
pedro o problema não se situa nos Prof.s especializados nem no nível de ensino...mas no que se considera individuo com NEE!e, principalmente na gestão de recursos - de mal a sei lá!