24 de setembro de 2007

Com os azeites...

...estou eu hoje.
Foi um daqueles dias que custaram a passar, em que tudo custou a fazer.
Ainda bem que está quase a acabar!
Por isso não fiquei impávida e serena quando ouvi na TV a notícia das seringas nas prisões.

Não é proibido o uso de droga nas cadeias?
Então para que precisam eles das seringas?
Não entendo! Hoje estou mesmo burra!

Também me chateiam todas as mordomias que são dadas aos drogados toxicodependentes.
Haverá alguma "doença" tão apoiada como esta?
Não esqueço que foram os primeiros a ter seringas distribuídas gratuitamente.
Só muito depois os diabéticos tiveram o mesmo direito!

Os CAT estavam (e ainda devem estar) muito bem apetrechados, tanto de pessoal qualificado como de computadores, que faltavam noutros lados.
(Não havia computadores nem psicólogos nas escolas, por exemplo!)

Eu sei que não é politicamente correcto falar mal dos drogados toxicodependentes.
Mas nada como estar com os azeites para desopilar o que me vai na alma.

7 comentários:

talica disse...

gostei de ler o teu blog.
se quiseres falar comigo, ou trocar impressôes eu estou aqui.
oblogdatalica blogspot.com

Amaral disse...

Vim hoje ler-te e encontrei-te "com os azeites"...
Que pena!...
Nada melhor que um "bom estado de espirito" para se emitir uma opiniao... Nem que ela possa ser "politicamente incorrecta" para algumas pessoas!...

Eskisito disse...

Como eu concordo contigo neste aspecto...o facilitismo prolifera neste país.
Beijos

José António disse...

O coisa não difere muito da velha história: É proibido mas faz-se. E como se faz constitui um perigo para a saúde pública. Esse perigo valerá como forte argumento para gastar o papel.
PS: Espero que ã ASAE não vá a caminho de ti para confirmar se está algum adulterado.

ticopei disse...

Absolutamente de acordo! Foi precisamente a pergunta que fiz, ao comentar com o meu marido: Mas como é que estes gajos têm o produto estando presos? Afinal o nosso dinheiro anda a servir para pagar os salários de senhores que em vez de vigiar estão lá a fazer o quê? distribuir senhas para os toxicodependentes irem levantar seringas à vez?

vinte e dois disse...

O que eu vejo de mais preocupante nessa história é que a qualquer momento uma seringa pode virar arma... quem se atreve a enfrentar uma seringa quando a pessoa que a segura grita: "Esta seringa está infectada com o vírus da sida". E a técnica tradicional de alguns assaltantes de rua e não me admirava nada que passasse a ser uma arma de fuga contra os guardas prisionais..

M&M disse...

e é tão bom termos estas nossas assoalhadas para gritar o que nos vai na alma.
: )