14 de março de 2012

Donas de casa desesperadas...

... pelo fim da série.
É verdade, a minha sérire preferida está na última temporada, sniif.
É (foi) a melhor série de todos os tempos!

Apesar dos pesares, o fim da série é o que de melhor lhe podia acontecer, já que a imaginação tem limites.
E, nesta última temporada, já se nota um certo desgaste: o tema central gira à volta dos remorsos que as quatro amigas sentem por terem ajudado a esconder um crime, enterrando o cadáver.
Numa série em que os crimes foram vários e isso nunca lhes fez nenhuma impressão, estes remorsos tardios são assim meio rebuscados...



Mas, seja como for, continua a ser a série que mais me fascina.

6 comentários:

pé-de-cereja disse...

Apoiado!
Mas há outras bastante boas. O Irmãos e irmãs também acabou, mas há mais giras.
Eu gosto imenso das séries inglesas, quase todas. Há uma de crimes passada numa aldeia inglesa (que é da foxlife ou fox e cujo nome certo não sei agora) com um ambiente giríssimo. Apetece-me logo viver ali, mesmo com os crimes!!!

mlu disse...

Não a segui muito e por isso nunca apanhei o "fio condutor", mas às vezes diverti-me com elas!

Angel disse...

Eu tb sempre gostei e seguia na sic, dps acabaram! Agora ando a rever na sic mulher... Então a tal última temporada passa em q canal??? Deve ser na fox life ou algo assim, canal q ñ tenho... snif... oh well, espero p ver noutro canal... Bjinhos!

mfc disse...

Comigo é mais SicNotícias!

aflores disse...

Confesso que nunca consegui gostar da série. Não sei explicar o porquê... não gosto.

Tudo de bom

:)

tulipa disse...

...
Vim
deliciei-me
com as donas de casa desesperadas!

Há umas semanas atrás visitou-me
e disse desconhecer
aquela estação arqueológica...
ora bem,
o meu post de hoje é sobre outra zona arqueológica,
por isso vim convidá-la a espreitar.

HOJE
...
Meu post é sobre
MIRÓBRIGA
uma visita que fiz,
no sábado passado e adorei.

Achas que apenas 2 horas ao computador (ordens médicas) chega para eu fazer as pesquisas que faço?
...
o meu blog tem a função de INFORMAR
- PARTILHAR INFORMAÇÃO
que além de servir aos outros, também é muito bom para mim,
vou sempre APRENDENDO ALGO MAIS.
É isso que eu gosto de fazer:
aprender até morrer!
...

A Oeste, desenvolve-se uma faixa costeira, plana até ao mar.

Região húmida, dada a proximidade do Oceano, pode considerar-se como uma zona muito fértil do ponto de vista agrícola,
permitindo também o desenvolvimento da fruticultura, comprovada arqueologicamente em Miróbriga desde a ocupação romana.

Hoje reduzida no Sudoeste alentejano, a produção de azeite bem como a vinícola parece ter sido também abundante no período romano, tendo-se mantido durante a Idade Média e a Época Moderna.

Embora sejam apenas conhecidos alguns vestígios de casas agrícolas na área circundante a Miróbriga, em Alvalade do Sado,
a aproximadamente 20 km,
conhecem-se várias dessas explorações, as uillae, que deveriam pertencer a um conjunto mais vasto de pólos de exploração agro-pecuária, em íntima relação com a grande bacia hidrográfica do Sado.

A teia de relações entre Miróbriga e Sines, a Oeste;
entre Miróbriga e as povoações a Norte (Salacia, Caetobriga?); entre Miróbriga e o Sul
(Ilha do Pessegueiro, Porto Covo, Vila Nova de Milfontes e Odemira) e ainda entre Miróbriga e as zonas do interior, deveria ter-se fortalecido com a dominação latina.