20 de julho de 2012

Suplementos infantis

Hoje, a arrumar os "papéis de fim de ano", tinha algumas revistas para guardar ou deitar fora.
Claro que as guardei todas, já que a maior parte são suplementos infantis, daqueles que vinham nos jornais de domingo, e que, não sei porquê, deixaram de existir.

Primeiro acabou o "Correio de domingo" (suplemento do Correio da Manhã), uma revista interessantíssima, onde o meu amigo José Abrantes publicava as suas BD.
Há uns meses acabou a "Terra do Nunca" (suplemento da Notícias Magazine), outra revista infantil interessantíssima.

Será que os donos dos jornais sabem que os leitores se fazem de pequeninos e que se "aprenderem" a interessar-se por jornais desde tenra idade serão eles os futuros compradores?
Parece-me que não sabem!

6 comentários:

xunandinha disse...

É mesmo acabam com tudo o que interessa,ainda por cima,beijinhos

pé-de-cereja disse...

É uma bola-de-neve: quanto menos fazem menos procura há, e como há menos procura fazem menos, etc, etc...
As pesquisas que mandam fazer devem dizer-lhes que os miúdos não lêem jornais de papel, é tudo virtual :)) e pronto, desistem de publicar.

mfc disse...

Eles são de vistas curtas... só pensam no imediato!

Beijos,

mlu disse...

Há muuuuitos anos, o jornal "O Século" trazia um suplemento infantil, o Pim Pam Pum, que eu adorava ler! Nem sei se é por isso que ainda agora prefiro os jornais em papel. O lucro imediato matou muitas coisas boas, mas não pensam nisso! É pena.

Bom fim de semana.

rouxinol de Bernardim disse...

Há que pensar a longo prazo...

aflores disse...

Saber sabem. Mas, as políticas dos números exigem outras atitudes.