3 de março de 2015

Há uns tempos recebemos


cá em casa uma carta da Segurança Social a dizer que o meu marido lhes devia cerca de 2000 euros. E não ficam por aqui: logo no segundo parágrafo ameaçavam penhorar os nossos bens, caso não pagássemos.

Apesar de sabermos que não devíamos nada a ninguém, receber uma carta assim "simpática" é muito chato. Quando o meu marido se apresentou nos serviços com os comprovativos de que não lhes devia nada, confirmaram que era realmente verdade, que ficasse descansado.
Mas, à cautela, o meu marido exigiu-lhes que fizessem essa declaração por escrito, uma vez que a declaração de que devia dinheiro também tinha vindo por escrito.
Ao fim de muito tempo e de muita insistência, chegou a tal declaração.
Agora está arrumada em lugar muito seguro, mas estamos até a pensar em alugar um cofre num banco para a guardar, não vá o diabo tecê-las.

Por isso, nesta história Passos Coelho versus Segurança Social, venha o diabo e escolha o mais gatuno...

3 comentários:

Angel disse...

Uau! Afinal quem devia de verdade, deixaram 'escapar'! Eu tb ñ me acredito que ele ñ sabia de nada, estes anos tds ñ recebeu nenhuma carta e agora, feito 'bom samaritano' foi pagar de livre e espontânea vontade! Então, expliquem-me como se eu fosse muito burra: se já estava prescrito, pagou onde e como?! É que sei por experiência própria que uma pessoa 'normal' não pode chegar ao balcão da S.S e dizer que quer pagar € sem documentação comprovativa e uma referência e tudo o mais! Este país (e os que o fingem governar!) é de mais!

Carina disse...

Xiiiii que situação... O problema da segurança social é que as bases de dados parecem não funcionar lá muito bem. Por vezes não há cruzamento de dados e depois acontecem estas confusões que são super aborrecidas e transtornam imenso as pessoas.... Vºa lá que tudo acabou em bem* bisous

afigaro disse...

...mas foram notificados! Pois, vê-se logo são cidadãos de 2.ª. O que devia de ir para o tacho é de primeira.