6 de julho de 2011

FP, essa malandragem que até goza férias!

A notícia é retumbante: Segurança Social de Vagos fechada, porque os funcionários (ora digam lá se não pensam logo numa multidão deles) estão de férias.

Depois, vai-se ler melhor a notícia num jornal local e afinal, como só lá trabalham duas pessoas, das quais uma já estava de férias, quando a outra adoeceu o estaminé teve de fechar...

Neste caso as pessoas têm Ílhavo mesmo ali ao lado, onde podem tratar de assuntos que sejam mesmo inadiáveis, mas estas notícias saem bem, afinal continuamos a querer arranjar bodes expiatórios para a crise do país e os FP são sempre os que estão mais à mão!

(sem deixar de referir que a segurança social deve ser dos serviços que pior funcionam e que devia levar uma varridela de cima a baixo...)

8 comentários:

Angel disse...

Na mh opinião, há má gestão. Há q haver planos para qd coisas deste tipo acontecem. Ou então avisar c alguma antecedência ou assim. Isso do 3º funcionário estar doente ñ sabia, só ouvi a notícia de relance na Sic, e ninguém tem culpa de adoecer, mas acho q se podem tomar medidas p minimizar o prejuízo, digo eu...

mfc disse...

A notícia tal qual saíu de manhã na rádio era incrível... e depois afinal há justificação!!!
Que raio de mania de agitarem as pessoas sem razão!!

xunandinha disse...

O que faz é reduzirem cada vez mais o pessoal nuns sitios, noutros existe pessoal a mais,está é tudo mal gerido eu acho, beijinhos

mlu disse...

Penso que é uma questão de gerir bem os recursos humanos mas os media, muitas vezes, querem é ver "o circo a arder"!

Um abraço

maria mar disse...

Há que distrair o pessoal com noticias irrelevantes, para nao nos apercebermos de outras mais importantes.
De qualquer forma, fica provada a má gestao da SS. O que fazem as chefias para nao resolver esta situaçao? também estao de ferias????

pé-de-cereja disse...

1º Como disse o mfc, maria do mar, e a miu, os media adoram dar relevo a estas notícias apresentando apenas um lado para escandalizar.
2º a xunandinha tem montes de razão. Sei por experiência própria que a tal lei de saírem 2 e entrar 1 vem a dar nisto - uma redução geométrica dos trabalhadores que não se podem multiplicar para tudo.
Por outro lado, numa situação em que existem apenas 2 funcionários, é evidente que devia estar previsto uma situação destas. No caso (só sei o que aqui se diz) seria o próprio chefe a ocupar o lugar de atendimento. Tinha a vantagem de ver as dificuldades no terreno.

pé-de-cereja disse...

Ainda cá volto para acrescentar uma coisa (na linha do título deste post)
Há dias, falando com um jovem, ele diz-me convictamente que queria muito era um trabalho no Estado para ter férias. Fiquei admiradíssima, e quis saber mais. Ele acreditava que SÓ esses é que tinham direito a férias. Acabou por perceber que as pessoas que ele conhecia não 'tinham férias', porque trabalhavam a recibo verde e só recebiam quando trabalhavam... Se estivessem numa empresa tinham férias como toda a gente.

Luís Maia disse...

Perante a certeza da inevitabilidade duma Europa federalista recomendo que se comece desde já a considerar a hipótese de exigir um referendo nacional para repor o regime monárquico em Portugal.

Simbolicamente na figura do rei estaria representada a independência nacional perdida nos meandros desse tal federalismo,e assim seria uma forma de nos recordarmos que Portugal tem quase 900 anos

Além disso sairá mais barato por certo pois vejamos que por incrivel que pareça o Orçamento da Presidência da República Portuguesa é de 20,7 milhões de euros.

O orçamento da Casa Real espanhola é de 8,9 milhões.

Vou iniciar um movimento de blogs, pela exigência dum referendo pela restauração monárquica.