30 de março de 2012

Telejornal

Tem sido divertido assistir ultimamente ao Telejornal, principalmente quando é apresentado pelo José Rodrigues dos Santos.
E tudo por causa daquela coisa (não sei como se chama), que mede as audiências das televisões.
Pelo que ouço, a RTP está cheia de razão quando se queixa dos resultados de audiências que lhe atribuem. (será que a prevista privatização tem alguma coisa a ver com isto?)
Mas o que é mesmo giro é ouvir o jornalista a repetir, todos os dias, que a empresa GFK ganhou um concurso apesar de ter sido a última classificada no mesmo...
Filmes!

27 de março de 2012

Patriotismo

Não ligo nada a futebol, mas sempre que há jogos em que se confrontam jogadores portugueses e estrangeiros, eu torço pelos portugueses.

Por isso, hoje, depois de ver a constituição das equipas, é claro que estou a torcer pelo Chelsea!

26 de março de 2012

Rapidinha de segunda (xlix)

Conversa entre marido e mulher:



- Ó Maria, não me sinto bens dos....
- Dos quê, Manel?
- Dos órgãos...
- Ah, Manel e porque não vais ao médico?
- Tenho vergonha...
- Vergonha??!! Ó homem chegas lá e dizes que estás doente dos deputados, ele vai entender...


O Manel foi ao médico, entra no consultório, explica-lhe a situação, é medicado volta para casa.
Tempos depois a Maria vai a passear na rua quando o médico a cumprimenta:
- Então dona Maria, bom dia!
- Bom dia senhor doutor.
- Então, conte-me lá como vão os deputados do senhor Manel?
- Oh senhor doutor, os deputados estão bem... agora o primeiro ministro é que nunca mais levantou a cabeça!


25 de março de 2012

23 de março de 2012

Ele há com cada maluco!

Li num jornal a "notícia" de que uma mulher americana (só podia ser americana!), está a tentar entrar no Guiness como "a mulher mais gorda do mundo".

Nesta saudável e interessante "tarefa" tem a preciosa ajuda do seu dedicado marido - cozinheiro de profissão - que lhe cozinha pratos hiper calóricos.

Eu não sei se ela vai conseguir entrar no Guiness como a mulher mais gorda do mundo, mas já devia lá figurar como "a mais estúpida do mundo e arredores".



 
(imagem da net)

18 de março de 2012

14 de março de 2012

Donas de casa desesperadas...

... pelo fim da série.
É verdade, a minha sérire preferida está na última temporada, sniif.
É (foi) a melhor série de todos os tempos!

Apesar dos pesares, o fim da série é o que de melhor lhe podia acontecer, já que a imaginação tem limites.
E, nesta última temporada, já se nota um certo desgaste: o tema central gira à volta dos remorsos que as quatro amigas sentem por terem ajudado a esconder um crime, enterrando o cadáver.
Numa série em que os crimes foram vários e isso nunca lhes fez nenhuma impressão, estes remorsos tardios são assim meio rebuscados...



Mas, seja como for, continua a ser a série que mais me fascina.

12 de março de 2012

Rapidinha de segunda (xlviii)

(esta é verdadeiramente rapidinha...)


A Micas para a vizinha:

"O meu marido aqui não ganhava um corno.

Emigrou...ganhou logo dois!"

11 de março de 2012

Uma fotografia por domingo (189)


Esta ponte em ruínas, sobre um dos muitos braços da Ria de Aveiro, fica em Vagos.
Foi substituída por uma ponte nova, que nem se nota que é ponte. Esta era muito mais gira!

5 de março de 2012

Rapidinha de segunda (xlvii)

Depois de passar a noite com a amante, o tipo entra em casa e percebe que está com um arranhão na cara. Ao ver o gato estendido no sofá, tem a brilhante ideia de dar um piparote no bichano, que solta um  desesperado "miaaaauuuuu!!!

A mulher acorda assustada e pergunta:
- Que barulho foi esse?
- Foi o estupor do gato! - responde o marido, fazendo uma cena - Entrei em casa e ele atirou-se a mim, arranhou-me!

- É verdade! - concorda a mulher - Este gato está impossível! Olha só o chupão que ele me deu no pescoço!

4 de março de 2012

Uma fotografia por domingo (188)


Mais uma foto da viagem a Castro Laboreiro.
Esta mostra uma parte das muralhas do castelo, que está muito arruinado.
E quase arruinada estava eu, depois de tão grande caminhada (mais escalada que caminhada) para lá chegar.

2 de março de 2012

D. Maria Adelaide de Bragança

morreu na semana passada, com 100 anos de idade.
Vi a notícia a passar discretamente em rodapé no noticiário. Nem uma palavra sobre esta senhora.
Também não a conheceria se não tivesse acabado de ler, há uns dias, o livro "A infanta rebelde" - a sua biografia - da autoria de Raquel Ochoa.

D.  Maria Adelaide de Bragança, neta do rei D. Miguel I, nasceu na Áustria, onde os pais viviam exilados.
Teve uma vida aventurosa que atravessou duas guerras mundiais.
Na segunda guerra mundial escapou, por um triz, a ser fuzilada pela Gestapo...


A vida desta senhora dava um excelente filme. Pena que não seja aproveitada.