18 de setembro de 2015

A rapariga que roubava livros

A história começa em 1938, numa cidade alemã, perto de Munique chamada Molching. As personagens vivem, na sua maioria, na Rua Himmel (ironicamente, himmel significa céu...).
A personagem principal é uma menina, a Liesel, que é acolhida por um casal, a resmungona Rosa e o simpático Hans, o acordeonista.
Há ainda o vizinho e melhor amigo de Liesl, o Rudy.
Mais tarde aparecerá Max, o judeu que irá viver na cave da família.

Liesel adora livros e o primeiro que conseguiu foi uma mistura de roubado/achado. 
A partir daí irá roubar mais alguns...

A narradora desta história é... a Morte (o que torna este livro bastante original e cheio de ironia, ou não fosse a senhora morte uma "pessoa" com um humor bem negro, como convém).

Penso que foi a primeira vez que li um livro sobre a segunda guerra mundial (e já li muitos) em que as personagens principais são alemãs.
E, apesar de serem alemãs, são queridas (e queridos).

O livro está cheio de recados e achegas da narradora.
Deixo aqui um exemplo de um deles:


UMA PEQUENA NOTA RELEVANTE
Tenho visto ao longo dos anos tantos jovens 
que pensam estar a correr para outros jovens.
Não estão.
Estão a correr para mim.

1 comentário:

cereja disse...

Obrigada pela recomendação.
Deve ser muito interessante, vou ver se o leio.