21 de outubro de 2006

Cada cavadela, cada minhoca

Ainda andam por aí os últimos ecos da infeliz campanha das crianças e do avião que cai e já há outra publicidade igualmente infeliz...

Desta vez o tema é o abandono escolar e aparecem umas crianças com uma voz muito infeliz que dizem "eu vou ser o último arqueólogo português", "eu vou ser a última investigadora portuguesa", "eu vou ser o último matemático português..." etc...
Isto é que o que se chama uma campanha optimista!
O abandono escolar é um tema sério demais para ser assim publicitado!
Devia antes ser combatido, com campanhas sérias que, por exemplo, incentivem os jovens que não gostam do estudo demasiado teórico ( e há muitos!) a desviarem o caminho para áreas mais práticas.
E abrir cursos tecnológicos com fartura e diversidade!

14 comentários:

Formiguinha disse...

Totalmente de acordo!

bell disse...

Ainda não vi essa campanha, mas parece-me deprimente.

Ines disse...

A campanha do avião choca, mas fez-me algum sentido.
Agora esta... que já ouvi na rádio... nem a percebi muito bem à primeira. E termina com qualquer coisa como - empresários pelo combate ao abandono escolar, não é?

O criativo que contrataram não foi lá muito feliz...

floreca disse...

As outras áreas... só depois dos 16 anos!
Até lá, fartam-se da escola. Quando chegam a essa idade querem é ir trabalhar.
Enquanto não for possível encaminhar mais cedo os miúdos para áreas mais práticas, que já existem, o abandono vai continuar.

Polarito disse...

Insisto na tecla de que o mais importante será sempre a formação dada em casa, pelos pais/avós/amigos/etc que ditará no futuro a maior ou menor capacidade que a criança/jovem apresenta de discernir o melhor caminho a seguir...as campanhas publicitárias, per si, não me parecem de todo suficientes.

mfc disse...

Tudo isto ainda são consequências da extinção do ensino técnico dos nossos tempos(mais dos meus tempos que dos teus...).

luis manuel disse...

Se acredito em milagres ...? Sim !
Agora chamar "milagres" áquilo que faz parte das obrigações de todos nós ... (todos nós, porque apesar de existir um Estado e um Governo, somos NÓS que estamos na berlinda) já é pedir muito.
Quero com isto dizer, que o relatório dos acontecimentos, devia dar a conhecer um processo anormal :
- rápida construção da cozinha e todas as demais infraestuturas necessárias ao bom funcionamento e consequente bom acolhimento dos alunos na(s) escola(s);
- entusiasmo dos professores com a sua carreira de serviço público;
- reconhecimento dos pais e encarregados de educação pela existência de um serviço que forma, educa e valoriza os filhos;
- alegre vivência de alunos na(s) escola(s).
Isto seria um milagre ?? Não ! Está nas nossas mãos...
Porquê anormal ? Porque as necessidades básicas não são satisfeitas em tempo útil, os professores têm e sofrem avanços e recuos na sua carreira, porque os pais querem é ter oportunidade para apertar o "gasganete" áquela(e) professor que não trata bem os meninos, porque os alunos não se convencem definitivamente que a escola é um espaço de e para o seu futuro. ( e por aí adiante...)
Qual o espanto ??? Afinal, era um prédio em Nova Iorque !!! Querias que falassem de quê ? De umas quantas barracas de refugiados que voaram ao vento, deixando ainda pior os excluidos que lá se julgavam abrigados ?
Não perdendo de vista duras realidades, seria bom olhar e dar esse devido valor ao nosso país "desconhecido". É bem díficil , não estamos sós e não podemos olhar apenas para o nosso umbigo, mas valorizando o que de bom conseguimos fazer e encarando o futuro com optimismo, estaremos a dar passos concretos para conseguir algo de bom.
... eu não li, reconheço que a imagem mais rápida a chegar é essa, e são mesmo necessários os esclarecimentos.
Isso é que era bom !!! só temos escolha para "aumentar" não para "diminuir". E isto não será só no preço. Talvez seja uma verdade é que não somos muito poupadinhos...
Esta ainda não vi. Realmente sempre fiquei incomodado com essa publicidade das crianças no avião. Admito que se tratem de mensagens com forte conponente e direcção psicológica...

Um abraço para casa, beijinhos para ti.
E, espero pelo ralatório, breve, da conclusão da obra.

Arte por um Canudo 2 disse...

Não vi mas pelo que dizes temos cá cada publicidade que é de bradar aos céus.Muita gente fala sobre educação desconhecendo realmente o que se passa.Agora essa parece-me tb ser demais..Bjs

Professorinha disse...

Típico dos Portugueses: sempre pessimistas. Mas que campanha é aquela, acham realmente que os alunos vão ver aquilo e pensar: ah, já não vou desistir de estudar!!

Obrigada pela visita e comentário ao meu blog.

Beijos

Carla Silva disse...

Ainda não vi essa campanha, mas não me parece de todo interessante.
Concordo contigo quando dizes que deveriam ser criados cursos tecnológicos com vertente prática.
Beijinhos e uma boa semana.

Hindy disse...

Agora voltei de vez! ;o)
Um beijinho "hindyado"!

Por mim Próprio disse...

Eu acho que os cursos técnico-profissionais são realmente a ideia mais inteligente a expandir em Portugal. Afinal, com o processo de Bolonha, quer as Licensiaturas, quer os cursos profissionais, acabam por ter praticamente a mesma durãção...

xicoxperto disse...

Isso dava um certo trabalho. Fazer doutores sem vontade nem emprego, é mais fácil.

Emiéle disse...

Excelente, Saltapocinhas. Sabes que tinha pensado pegar nesse anúncio, mas agora fiz um copy/paste do teu post!!!
Bem, não exactamente, mas quase. É que para comentário ficava muito grande e como de qualquer modo queria tocar no caso!