Gato Fedorento

Era o meu, quando cheguei a casa.
Quando vim almoçar já não se podia estar ao pé dele e teve de ser escorraçado lá para fora.

Quando cheguei a casa ao final da tarde, não queria deixá-lo ficar mais tempo lá fora, por isso, tive de partir para medidas mais radicais e resolvi dar-lhe um banho.
Haviam de ver a cara de infeliz que ele tinha! Infeliz e confuso, como quem pensa "mas eu confio tanto nesta gaja e ela faz-me isto?"

Depois amuou e nem me deixava chegar perto.
Passado um bocado, lá reconsiderou e saltou para o meu colo.
Quando finalmente parou de tremer, começou a ronronar e lá tive eu o meu gatinho de volta.
E a cheirar tãããão bem!

Comentários

Xekim disse…
Olá amiga..

Mais um fim de semana e mais um desejo para que corra bem.

Beijinhos.
Há.dias.assim disse…
Adoro os meus gatos!
ameixa seca disse…
A cheirar mal mas a quê? O meu anda lá fora e nunca me apareceu a cheirar mal. Deus o livre :)
jorge morgado disse…
Gostei do teu Blog...continua.
Emiele disse…
Isso de dar banho a um gato é uma façanha. Os cães ainda se submetem, mas um gato....?! Que coragem!
Rui disse…
É sempre uma aventura única dar banho a um gato.
Segundo o "meu" veterinário a questão é que os gatos investem imenso tempo, energia e paciência a tratar do pelo e a impregná-lo com o seu próprio odor. Ao dar-lhes banho destruímos parte desse trabalho. Ele também diz que é apenas uma teoria, mas para mim é a que faz mais sentido. O mais interessante é a capacidade que têm de perdoar depressa.
São magníficos!

Mensagens populares deste blogue

O vagalume e o sapo

O respeito

Fábula moderna