2 de fevereiro de 2010

Só gostava de saber...

de quê (ou de quem) falará o Mário Crespo quando se junta com os amigos num restaurante.
Será que nunca diz mal de ninguém?
Será que Mário Crespo é o único português que não aproveita um momento de relax para praticar o desporto nacional que mais adeptos tem, ou seja, a má língua?

Maravilha de país este, onde os únicos problemas são, ou o "Mário Crespo", ou então "os acontecimentos do túnel da luz"!

(quanto ao facto de o jornalista em questão estar prestes a publicar um livro - com as suas crónicas! - é lógico que é apenas mera coincidência).

5 comentários:

Shakti disse...

pois...apenas mera...

bj

Há.dias.assim disse...

Quando ele escreveu a sua cónica "O Palhaço" pensei logo que seria por pouco tempo...
Mas tb podes ter razão e ser uma mera coincidência.

samnio disse...

o país tem muito mais do que se preocupar do que este caso.
preocupar com a economia, com a segurança, com a saúde, enfim...

http://palavrassemjeito.blogspot.com

aflores disse...

Não há problema nenhum EU estar num restaurante com um grupo de amigos/Bloggers, e a "cortar na casaca" da Saltapocinhas...No problem! :)
~
O problema é se no meu lugar estiver o nosso Primeiro :o) que devia dar o exemplo de boas maneiras e costumes :)

Claro que depois temos a coincidência de "eu" ir lançar um novo livro, blá blá blá, coisa e tal.

Mas que esperar de um País, que coloca no primeiro canal da "sua" (NOSSA!!) televisão, numa hora que eles chamam "prime", num programa a que chamam GRANDE ENTREVISTA, um ...palhaço (!), analfabeto, que para além de tar dado uns pontapés numa bola, passeou a sua máscara por algumas (duvidosas) passagens de modelo, participou em "festas" e agora se converteu a uma religião...

Eu pergunto: Que valor e referências, tem "aquela coisa" para ser entrevistado?

E assim vai Portugal

(olha que é brincadeira minha quando disse que estava a cortar na casaca da Saltapocinhas)

:)))

Emiele disse...

Plenamente de acordo!
(estive bastante tempo sem visitar blogs e agora tenho de vir por aqui abaixo...)
Para além das coincidências todas, parece que quando um grupo de amigos sejam eles quem foram conversarem a uma mesa de jantar nunca se podem esquecer de que na mesa mais próxima pode estar um espião. Não tenho pachorra, sou franca!
Qianto às «entrevistas» já passo por parva quando me dizem que vão entrevistar A ou B e eu «QUEM?????» na maior inocência. É que a maior parte dos opinion-maker, a minha não fazem, que nem os conheço!