1 de março de 2011

Políticos nojentos - parte 2

Agora é a vez da política internacional:
Um dia, Khadafi era um herói, um líder incontestado do seu país.
As suas maluqueiras eram vistas como excentricidades e ninguém as criticava.

Eu percebo que a diplomacia internacional não pode ignorar completamente um país(e ainda mais em relação a este, que tem petróleo).

Mas é preciso serem amigos quase íntimos? De visitar tendas e assistir a festas?

Todos nós, na nossa vida, nos relacionamos com pessoas de quem não gostamos lá muito, mas se são colegas ou não as podemos evitar, temos mesmo de o fazer.
Chama-se a isso diplomacia e é necessária para não andarmos todos à batatada...

Mas vamos convidá-las para nossa casa, ou aceitar os seus convites?
Isso chamar-se-ia hipocrisia, essa caraterística tão querida dos políticos.

5 comentários:

raisuna adimar disse...

é isso mesmo portugueses fora de Angola não podemos pactuar com dita dores

e das outras ditas duras todas

repatriamento dos portugas da venezuela já

mfc disse...

À falta de melhor... chamam-lhe "real politik"!!

aflores disse...

Blaaaaaaaac :(:(

Indigesto, muito indigesto...após muita coisa boa;):)

Tudo de bom.

mlu disse...

Pois é, a hipocrisia a funcionar! Por que razão não se pronunciam agora? Todos (incluindo eles) sabemos!

Abraço.

Maluxa disse...

Assino em baixo!!!
...
Milu *