12 de outubro de 2011


Deve ser da velhice, mas, nesta altura da minha vida, dou mais valor ao tempo que ao dinheiro.
O dinheiro tem-me chegado sempre e até consigo que sobre algum. 
Já o tempo... uma desgraça: esvai-se não sei por onde!

Por isso, assusta-me mais ouvir falar em "trabalhar mais horas" do que ouvir falar de cortes em subsídios, ou em salários congelados.

A humanidade devia evoluir para se trabalhar cada vez menos horas e haver cada vez mais tempo de lazer (inventaram-se tantas máquinas para quê?), mas estamos - infelizmente - a assistir ao oposto!

:(


7 comentários:

mixtu disse...

eu tenho muito tempo...
e o dinheiro... não o consigo gastar... dizem que é tambem por ser poupado...

jajaja

abrazo serrano

mlu disse...

Não será, propriamente, da velhice mas eu acho que a idade tem influência nisso porque um dia é cada vez mais uma fracção menor dos nossos dias todos de vida. Se o dinheiro é pouco (vai chegando!), o tempo "voa", também porque já não podemos correr como aos 20 ou 30. O que é preciso é boa disposição, apesar de tudo!
Bom fim de semana

Um abraço

mfc disse...

Não podia concordar mais!!
O Tempo foge-me,...

aflores disse...

Tempo tenho muito, dinheiro nem o vejo.

Mas, como sou bom gestor, tento transformar o tempo em dinheiro. Vou sonhando que sou rico e que consigo mandar para a prisão um magote de ladrões...os mesmos que me roubaram todo o dinheiro que tinha (e ás vezes, a vontade de viver).

Desculpa o desabafo.

Tudo de bom

Bom fim de semana.

pé-de-cereja disse...

Minha querida Saltapocinhas, eu acho que actualmente nem uma coisa nem outra!!! Tens toda a razão, o tempo parece passar muito mais depressa do que quando eu era criança, mas até o meu filho diz que o tempo passa a correr!
Mas o dinheiro anda muuuito caro. Já nem sonhava que me aumentassem como a inflação ,as ao menos não me tirem aquilo que tenho - é o que está a acontecer. Vou ganhar MENOS. E gastar MAIS. E dantes brincavam comigo por ser muito poupadinha, nem imagino os que o não são!

xunandinha disse...

Bom eu nunca me importei de trabalhar, quando estava no ativo quase todos os dias dava hora e meia das duas que tinha para o almoço e não recebia mais por isso, hoje faço voluntariado e se for preciso faço todo o dia, acho muito mais grave o meu marido já ser reformado e ter uma reforma acima dos 1ooo,ooeuros com o agregado familiar a seu cargo(4 pessoas) 2 filhos a estudar mas como era funcionário publico, leva com impostos, iva, congelamento de pensão, suspensão de abono de familia, e subsidio de férias e décimo terceiro mês cortado em 2012/13 e metade do subsidio de natal deste ano retirado em 2011, e eu pergunto porque? foi o meu marido que nunca recebeu subsidio nenhum de auxilio do estado que colocou o Pais nesta situação?Foram os professores, médicos, funcionários do estado que levaram o Pais a este estado? não mas são sempre os primeiros a levar na cabeça, se lhes pedisse para trabalhar mais meia hora eles de certeza que nem olhariam para trás, o problema é que o governo NÃO LHES PERGUNTA, RESOLVE POR ELES.

bEIJINHOS

Há.dias.assim disse...

o pior é que isso não vai aumentar a produtividade.