22 de outubro de 2011

Kadhafi

Um ditador do piorio, o homem não era "flor que se cheire"(embora ainda há pouco tempo tenha sido recebido em Portugal com todas as mordomias e todo o respeito pelas suas loucuras extravagâncias).

Apesar de tudo, era escusado terem feito este circo nojento com a sua morte.
Fazer da morte um espetáculo não devia ser permitido...
Por isso muitas vezes acho que a censura na televisão não seria tão descabida como pode parecer à primeira vista.
Quando os jornalistas não têm discernimento, haja alguém que o tenha por eles.

5 comentários:

xunandinha disse...

Concordo! não era pera doce ,mas é desumano e um horror, passar as imagens de um ser humano a suplicar pela sua vida e depois de morto ser exibido como se de um troféu se tratasse,um horror mesmo. beijinhos

Há.dias.assim disse...

De acordo contigo.
Há que dignificar a morte.
Para além de que as imagens assim divulgadas levam a vinganças e mais conflito.

mlu disse...

O homem podia sempre ser julgado, não?
Maior que a indignidade da sua morte é a indignidade de quem faz dela um circo e a passa e repassa nos "media"! À falta de bom senso junta-se a falta de humanidade, por mais que eu ache que o povo líbio tenha razão.

Boa semana

Angel disse...

E continuam a ver o noticiário?...

maria mar disse...

Uma vergonha. Vai também servindo de alienaçao para nos indignarmos com o mal dos outros e esquecermos o nosso.
:(