27 de novembro de 2013

Aberrações

Ainda não me tinha pronunciado acerca dos exames dos professores contratados, porque sempre achei que a ideia, de tão estúpida que é, nunca fosse avante (e ainda tenho esperança de que não vá).

Como exemplo deixo-vos o caso da A., professora há uma dúzia de anos e que nunca passou de contratada. No tempo da avaliação inventada pela "falecida Milú" (e estes aberrantes exames também foram ideia dela), a A. pediu aulas assistidas (como era contratada acreditava que uma boa nota lhe seria proveitosa em próximos concursos) e teve uma vez nota de "excelente" e outra vez "muito bom".
Muito antes disso, antes de ter começado a trabalhar, fez um curso de 5 anos na exigente Universidade de Aveiro e um estágio profissional no Liceu José Estevão, também em Aveiro.

E agora... agora tem de fazer um exame para provar que é competente? (e continuar desempregada?)
Mas esta gente está no seu perfeito juízo?


PS:
E tinha esquecido a cereja no topo do bolo: é preciso pagar 20€!
Parece pouco? É dirigido a pessoas sem emprego.
Ah, são mais de 40 000 pessoas, e como diria o outro, é só fazer a conta!

18 de novembro de 2013

Rapidinha de segunda

Um marinheiro e um pirata encontram-se num bar e começam a contar as suas aventuras.
O marinheiro nota que o pirata tem uma perna de pau, um gancho no lugar de uma mão e um tapa-olho.
Curioso, pergunta:
-Por que tens essa perna de pau?

O pirata explica:
- Quando abordávamos um navio para saqueá-lo, a minha perna escorregou pela borda e foi esmagada pelo encontro dos dois navios.
- Uau! Que história! Mas, e o gancho no lugar da mão? Também foi esmagada entre os barcos?
- Não, o gancho foi outra história. Nós estávamos abordando um navio mercante e, enquanto lutávamos com a tripulação, fui cercado por quatro marinheiros.
Consegui matar três mas o quarto cortou-me a mão.

- Caramba! Incrível! E o tapa-olho?
- Bem, diz o pirata, fui olhar para o alto do mastro e uma gaivota fez cocô no meu olho.
- E você perdeu o olho só por causa do cocô da gaivota?

- Era meu primeiro dia com o gancho...

17 de novembro de 2013

4 de novembro de 2013

Rapidinha de segunda

O Joãozinho chega a casa e entrega ao pai o recibo mensal escolar.
-Meu Deus! Estudar neste colégio é mesmo caro.
- E olha Pai, eu sou o que menos estuda da minha turma!

1 de novembro de 2013

Ansiosamente à espera do Telejornal...


De certeza que é hoje que vai acabar a crise, vai haver mercados (?) para todos, vão repor o ordenado que nos tiraram roubaram.

Devia ser feriado e fomos todos trabalhar.
Nunca, em toda a minha vida de trabalho, tinha escrito no quadro a data "1 de novembro"!
O colossal lucro que o governo teve hoje, deve ter sido suficiente para que tudo volte a entrar nos eixos, não?

A sério que não entendo estas medidas idiotas.
Este feriado proporcionaria a alguns um fim de semana prolongado. Uns, mais dados à religião, iriam visitar a família viva e morta.
Outros iriam aproveitar para uma pausa fora de casa.

Tantos uns como outros viajariam, ficariam hospedados fora de casa, comeriam em restaurantes, visitariam museus...
Se isto não é lucro para o país, não sei o que será.