Hoje no programa da Júlia Pinheiro

mostraram a entrevista à fulana a quem desapareceu o filho bebé na Madeira.
Claro que o Hernâni Carvalho e o psicólogo do programa disseram logo que tinham desconfiado da rapariga pela sua postura, pela maneira como se referia ao filho e etecetera e tal.
Agora é fácil, não é?

Mas não era aí que eu queria chegar.
Se eu fosse a Júlia Pinheiro só ficava feliz se pudesse chegar ao pé da menina e pregar-lhe um valente par de estalos!

Comentários

mlu disse…
E era um bom serviço, sim senhora! Será que ela regula bem da cabeça?
É um acto tão contra natura que até se duvida da sanidade mental da autora!

Um abraço.

Mensagens populares deste blogue

O vagalume e o sapo

O respeito

Fábula moderna