1 de fevereiro de 2007

(sem) música!

Imaginam uma aula de música para crianças, já cansadas de um dia inteiro de aulas,... sem música?
Sem música de espécie nenhuma, apenas "teoria da música" e biografias de compositores.
E, nem depois de se falar dum compositar dá direito a ouvir a música dele...

São estes os prolongamentos que temos!!

14 comentários:

nena disse...

A ideia não é ter as crianças ocupadas e a não incomodarem os pais?

Importa o que estão a fazer ou a aprender?

José António disse...

A nena deu tanto na mouche que nem vale a pena acrescentar mais.

Hindy disse...

Que coisa mais descabida!

Beijo "hindyado"! :o)

Paula disse...

É só para reforçar a ideia da "nena". É isso mesmo, ocupação PLENA total e completa.

Didas disse...

Até eu dava uma aula de música melhor que isso!

Emiele disse...

(escrevi ontem por duas vezes um comentário enoooorme, e por duas vezes não entrou; fiquei zangada e não voltei cá… vamos ver se ainda me lembro do que disse)
Comecei por ficar admirada quando encontrei miúdos do 5º e 6º ano cuja disciplina com que embirravam mais era a Educação Musical. Fiquei parva das primeiras vezes e cada vez mais admirada quando a cena se repetia. Na minha inocência, a Música era um momento agradável de um currículo que podia ser pesado. Todos os miúdos gostam de música desde bebés. Ainda nem falam bem e já cantarolam algumas coisas. Quando são mais crescidos sabem montes de cantigas e têm preferências por bandas e coisas assim. Portanto para um professor de música a via estava aberta, era só aproveitar esta apetência e orientar num sentido mais organizado.
Mas, não senhor, por um desvio estranho, achavam que dariam mais dignidade à sua área se tornassem aquela disciplina num «cadeirão» pesado e sério que afugentava mesmo os miúdos que à partida estavam vocacionados.
Vejo agora que esse desvio vai até crianças mais novinhas. Que parvoíce tão grande! Desculpai-lhes Senhor, que eles não sabem o que fazem!!! (talvez uma ‘reciclagem’ com o António Vitorino de Almeida que tornava a música uma brincadeira…?)

PN disse...

Ai que tristeza tão grande! Se eu sabia que isso era assim tinha dito que sim quando me perguntaram se eu tinha alguma formação musical para poder dar aulas de música ao 1.º ciclo. A educação musical era uma das minhas disciplinas favoritas no 2.º ciclo. Também aprendia coisas sobre compositores e às vezes não se ouvia nada deles, mas nunca mais me esqueci do célebre "Pedro e o Lobo". Pergunta: essa metodologia foi imposta ou é da responsabilidade do professor que está a dar aulas aos teus meninos?

Carla Silva disse...

Calculo que estas aulas de música sejam para crianças do 1º ciclo - pois, depois de um dia de aulas não deve ser muito cativante uma aula de música, e ainda para mais sem música...
Beijinhos e um bom fim-de-semana.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Salta Pocinhas:

Numa palavra... lamentável.

Aguardo a tua importante opinião no que diz respeito ao último artigo colocado no Estados Gerais. Pode ser que eu esteja a analisar mal a situação e assim poderei corrigi-la.

Bjs,

Quintanilha disse...

E Porquê?
Importa saber o porquê!

Zé (do beco) disse...

Conheço um professor de educação física que já deu aulas de música e uma professora de história a dar português, por isso já nada me espanta.
Como dizem os alentejanos: desde que vi um porco andar de bicicleta...

anokas disse...

eheheeh
isso era como uma aula de informática sem computadores!!!
não dá!!! num há "cundições" carago :)
bjokas da anokas ;)

SaltaPocinhas disse...

Infelizmente, a nena, a Paula, a Didas e o José estão cheios de razão!
A Emiele também...
Infelizmente a música no 2º ciclo parece que é uma grande seca. E no 1.º ainda está a ser pior. As crianças detestam e esta aula ainda tem "clientes" porque a seguir vem o inglês ou o desporto...
Quintanilhanão te sei responder.
A planificação parece-me que está na net, mas também sei que as aulas dos prolongamentos variam muito de escola para escola.
Por outro lado, que se pode exigir a pessoas que estão a trabalhar de borla desde setembro???

nena disse...

Deixem-me acrescentar algo ao que o Zé (do beco) disse.

Uma professora de história dar português é habitual, dada a forma como é feita a distribuição de serviço no 2º ciclo. Há três grupos que podem dar português (têm habilitação para isso): o de português, o de inglês e o de história (e geografia). A qualquer professor de um destes grupos podem ser dadas turmas de português.

No grupo das ciências+matemática (é só um, no 2º ciclo) também se passam coisas interessantes: há professores com formação na área da economia, por exemplo, a dar ciências da natureza!
Quanto á matemática, são tantos os cursos que permitem o ensino desta, que nem vale a pena comentar!