26 de janeiro de 2010

Os suspeitos do costume

O Orçamento está (ou estava, mudei de canal) a sair aos bochechos, mas pelo que se vai sabendo, a culpa do (mau) estado das finanças é todinha desses criminosos que dão pelo nome genérico de FP.

Que se pode fazer então?
A pena de morte foi abolida, na cadeia não caberia tanta gente...
Que problema!
Há uma solução, um pouco demorada mas eficaz a longo prazo: deixá-los morrer à fome, ou fazer-lhes a vida tão negra, tão negra, até que eles acabem por desistir e se dediquem, sei lá, talvez à cultura da batata...

2 comentários:

aflores disse...

A FP cá de casa, diz (e muito bem), não se importar nada que não lhe aumentem o ordenado (como milhares de outros trabalhadores), SE...os políticos e trabalhadores da administração central, também não fossem aumentados.
Claro...ela queria...QUERIA!! mas não é isso que se passa na realidade e nós sabemos muito bem isso.
Depois, paga o justo pelo pecador...pois em assembleia anual, solicitei aumento à patroa e qual a resposta que ela deu? Exactamente..."não sou aumentada, também não tens direito a aumento"
Pimba!
Acho que vou fazer greve.

ameixa seca disse...

Só gostava de saber porque é que uns FP são filhos da mãe e outros são FdP!?
É que os deputados, ministros e etc também são funcionários públicos não são? E não se consta que os ordenados deles fiquem congelados.