20 de janeiro de 2010

Politicamente incorrecta é o que me apetece ser

... quando ouço coisas como, por exemplo, que os trabalhadores portugueses são dos mais mal pagos da Europa e os que mais horas trabalham.
(um trabalhador europeu ganha o dobro de um trabalhador português!)


... quando sei de pessoas que, apesar de trabalharem, não ganham o suficiente para viver com dignidade.


... quando conheço gente que recebe o RSI há mais de 10 anos, sem nenhuma contrapartida da sua parte, antes pelo contrário.
E esse dinheiro faz tanta falta à sua sobrevivência que uns vão tomar o pequeno almoço à pastelaria, outros compram um cão por 250 euros!!


... quando hoje ouvi queixas de traficantes de droga que estão detidas numa esquadra onde "não têm o mínimo de condições".
E os polícias que lá trabalham? Que condições têm?

Ufa!
Pronto, desabafei...

10 comentários:

Marliborges disse...

É verdade amiga, essas situações paradoxais mexem mesmo com a gente! Fico pensando, como é que a gente consegue ver e ELES não? Ou não querem ver? Muito bom o desabafo, assino embaixo. Beijo grande.

Marliborges disse...

Amiga, (respondo agora teu comentário no meu post da feijoada)Sim, fiz o teste e confirmei, pois duvidava que a laranja tivesse aquele "poder"!

aflores disse...

Há muito que me deixei de preocupar em ser "politicamente correcto".
Não tenho é a tua coragem para desabafar...quando me apetece.

Tudo de bom;)

kika disse...

E sê-o enquanto podes,eu colaboro!
Começamos a ficar fartos dos pézinhos de lã!

Shakti disse...

é bem verdade...

bj e obrigada

ameixa seca disse...

Desabafar faz bem, engolir sapos é que não :)

Romy disse...

Concordo plenamente.
Se quem fica no desemprego e fez os seus descontos tem limite de tempo para receber o subsídio de desemprego.
Se for chamado tem de aceitar seja o que for, senão..., lá se vai o dinheirito!
Porque será que as regras para quem recebe o RSI não são as mesmas?
Pronto, também já desabafei!!!

maria mar disse...

E muito bem desabafado! Eu nao diria melhor, até pq tds nós conhecemos casos destes, e outros parecidos. Continuando o politicamente (in)correcto, também as assistentes sociais nao estao para se chatear muito, diga-se em abono da verdade. Elas sim, têm obrigação de acabar com estas situações de abuso, tirando a esses e dando aos que realmente precisam, em vez de assobiarem para o lado.

José António disse...

É caso para dizer: Quem nada tem para fazer, compra um cão!
Então... é a equidadezinha.

Rui disse...

Já nem a "incorrecção politica" é aquilo que era! Eu, nunca fui dado a "essas coisas" mas começo a gostar de expressões como: "Revolução Popular", "Poder ao Povo", "Do Povo, pelo Povo e para o Povo" e no entanto, ainda acredito que a classe politica não é toda corrupta e corruptível, egoísta, falsa e mentirosa. Daqui resultam dois problemas: não sei onde anda, o que pensa (se pensa) ou o que é o "Povo" e não conheço os tais políticos que seriam a excepção.
Estou farto desta serenidade popular que tudo permite e de quem pensa que protesto e falta de civilidade são uma e a mesma coisa.
Ainda um dia venho para a rua atirar pedras já que as palavras não arranham inconsciências.

Estiquei-me um pedaço... peço desculpa.
Saudações:
R. V.