26 de agosto de 2005

Férias! Férias! Férias!

Eu gosto de contrariar, por isso, agora que estão quase todos de regresso, é a minha vez de sair...
Amanhã, pela manhãzinha, partida para uma semana numa praia algarvia que espero, dada a altura do ano, esteja bem sossegadinha.
Sossegadinha até eu lá chegar, pois comigo vai a tribo toda e só nós chegamos e sobramos para encher uma praia (também sou um nadita exagerada, pronto...).
Na bagagem, além do habitual para férias de praia, vão baralhos de cartas, livros e um monte de "Sudoku" que tenho andado a coleccionar de revistas várias.
Portanto, se chover... campeonatos de Sudoku!

Como não estou a contar andar por aqui no dia 31 de Agosto, aproveito desde já para desejar a todos que por aqui passem um
FELIZ ANO NOVO!
(Confusos com a história do feliz ano novo?
Para quem não entender, pode ver AQUI que eu não vou andar a explicar isto todos os anos, omessa!)

E como na minha ausência não quero que vos falte nada, podem passear POR AQUI !
Mas atenção: é muito fácil entrar, mas muito complicado sair...
É também altamente contagioso aos outros membros da família!
Por isso se depois de entrarem, se esquecerem de ir trabalhar, de comer ou até de dormir, não me venham pedir responsabilidades...

(Agora vou ver se está tudo nas malas pela milésima vez...)

25 de agosto de 2005

Reformas, reformados, aposentações e ordenados...

Imaginem a situação: depois de uma vida a trabalhar, uma pessoa reforma-se (ou aposenta-se, que é uma palavra mais bonita).
Ninguém reclama nem ninguém põe em dúvida que essa pessoa tenha direito à sua reforma.
Depois três coisas podem acontecer (podem acontecer muitas mais, mas para não complicar esta prosa, fico-me pelas três):
1. ou essa pessoa arranja um grupo de amigos na mesma situação e vai para um banco de jardim jogar à sueca e nos intervalos toma umas pingas na tasca da esquina;
(isto se for pobre! Se for rico, vai para um clube, joga bridge - é o único nome de jogo chique que eu sei - e bebe uísque)
2. ou dedica-se finalmente a tempo inteiro a uma actividade qualquer que adora e que enquanto trabalhou foi apenas um hobbie;
3. ou... sente-se cheio de forças e vontade de trabalhar e arranja outro emprego.

Quando uma pessoa tem um emprego tem direito a receber o seu ordenado que deve ser igual ao das outras pessoas que fazem o mesmo trabalho, certo? Acho que aqui também não haverá discordâncias...

Então por que carga d'água quer o governo "cortar" a estas pessoas uma parte do ordenado ou uma parte da reforma?
Isto para mim é um atentado a dois direitos fundamentais: o direito à reforma e o direito a um ordenado...
Eu sei - todos sabemos - o que despoletou esta situação.
Porque não tem então o governo a coragem de ir ver, um a um, quem está a receber reformas principescas ao fim de meia dúzia de anos de trabalho?
E retirá-las!
E já agora aproveitavam a boleia e viam também quem recebe "indemnizações" por ser despedido de cargos políticos, e quem tem "caídos do céu" empregos de luxo só porque já foi ministro... mesmo sem habilitações e com passados obscuros.
Isso sim, seria um trabalho bem feito!
Mas tem dois senãos: dá trabalho e iria pôr em risco o futuro dos actuais políticos quando o tacho deles se acabar...

23 de agosto de 2005

O povo é sereno!

Há um senhor sindicalista (só podia), chamado Avelãs, que acerca das - atrasadas - colocações de professores, atira as seguintes pérolas no site Educare:

"Não há motivo para alarme. O atraso não é preocupante e neste momento ainda não se verifica agitação entre os professores. A maioria encontra-se a gozar o resto das férias e o calendário apontado pelo Ministério para a divulgação das listas está mais ou menos dentro das expectativas", afirmou o sindicalista, lembrando que "em concursos anteriores, nomeadamente no ano passado, a situação foi bem pior".

É verdade que os professores estão de férias!
Mesmo que quisessem interrompê-las para irem conhecer o novo local de trabalho, procurar casa e outras ninharias, não o poderiam fazer porque, simplesmente, não sabem ainda para onde irão!
Agora dizer que não há motivo para alarme, que o pessoal está todo calmamente a gozar as suas férias e não dão mostras de "agitação", valha-me Deus!
O que queria ele que os professores fizessem?
Que desatassem a gritar ou a matar gente?
Será que ele acredita mesmo que no dia 23 de Agosto, com perspectivas de ter de esperar até ao dia 31 (ou mais, nunca se sabe!) para saber se e onde estão colocados alguém pode estar descansado?
Será que ele não sabe que muitos professores, depois da colocação, vão ter ainda de procurar casa, de procurar amas, ou infantários, ou escolas para os filhos?
Das duas uma: ou não sabe, ou finge que não sabe.
Qualquer das situações é grave e preocupante, por sabermos que é um tipo destes que representa os professores...
Perante isto, deixo aqui a pergunta que já fiz uma vez e ninguém soube responder:
Para que raio servem os sindicatos?

22 de agosto de 2005

A caça é um desporto?

Segundo o JN, abriu ontem a época de caça.
Época de caça?
Mas não bastará aos pobres dos bichos terem de ter sobrevivido à seca e aos incêndios para terem ainda (os poucos que restaram) de sobreviver aos caçadores?
Que me desculpem os que aqui vêm e gostam desse "desporto", mas eu abomino, sou completa e radicalmente contra e pronto!...

Quem gosta de carne vai ao talho ou faz criação de animais em casa...
Deixem a caça para os povos que ainda vivem naturalmente dela!
Ou então, se a paixão pela caça é assim tão forte, podiam emigrar para um desses locais onde ainda se come só o que se caça ou pesca...
Não é uma boa ideia?

Quanto aos que querem ficar por aqui e gostam de adrenalina, porque não vão caçar incêndios?

19 de agosto de 2005

Falta de chá

Eu cá aprendi de pequenina (e continuo a transmitir aos mais pequenos) algumas que eram - e acho que ainda são - regras de educação.
Então, quando falamos com outra pessoa devemos:
- tirar os óculos escuros
- tirar as mãos dos bolsos
- tirar o chapéu

Quando o nosso PR recebeu os famosos U2, eu reparei que o Bono trazia óculos escuros, esteve sempre com as mãos nos bolsos e continuou a usar aquele ridículo chapéu à cowboy...

Na minha terra isto chama-se "falta de chá"!
Será que pela Irlanda os costumes são diferentes?
Ou será que os tipos, só porque são famosos, acham-se no direito de se comportarem como labregos?

(E agora faço figas para que o Artur não leia isto, porque da maneira que ele é fã dos gajos ainda corta relações comigo!!)

18 de agosto de 2005

O não post

Hoje não escrevo!
Acordei tarde (quase ao meio dia!!) porque me deitei às 3 da manhã e não conseguia adormecer...
...tudo por causa dum tal de Hannibal!

Na praia, não se podia estar por causa do vento;
apesar de já saber em que escola fico, não sei quem será o resto da equipa porque as colocações nunca mais saem;
continuo desterrada no sótão porque a placa-de-não-sei-quê do meu computador lá de baixo se avariou (desde o dia 8), está dentro da garantia, mas nem assim resolvem o problema e eu não posso ver o meu email;

Por estes motivos todos, hoje não escrevo!
(E agora vou ver o CSI Miami que deve estar a começar).
Uff!

17 de agosto de 2005

Eu não queria, mas lá terá de ser!

Juro que não queria falar de política nas férias.
Muito menos de política educativa: é que estes assuntos chegam para estragar as férias de qualquer um...
Mas, a menos que deixe de ver televisão, de ouvir rádio, de comprar jornais ou revistas, é impossível não saber das coisas e depois é mais impossível ainda ficar impávida e serena como se não fosse nada comigo...
Não vou entrar em grandes conversas, vou limitar-me a transcrever duas frases da Visão desta semana, acerca do inglês no 1.º ciclo:

"Apesar de existirem muitos professores dos quadros do ministério com horário zero - com ordenado mas sem carga lectiva atribuida - o ministério optou por não utilizar estes recursos humanos."
"A medida foi tomada para ensinar crianças, não foi para arranjar empregos aos professores de inglês"

Ora digam-me lá se esta gente não está toda doida?!
Ou serei eu??

(E agora vou ver o "Hannibal" para ver se descontraio com um filme alegre!)

16 de agosto de 2005

Ondas

De tarde voltei à praia e hoje foi a minha vez de gozar o mar em vez de ser gozada por ele...
Devíamos tratar as ondas e os problemas da mesma maneira:
afinal, quando olhadas de frente e encaradas sem medo, não são tão enormes como pareciam, nem tão perigosas...
Basta um pequeno saltinho para serem vencidas e sabe tão bem!
Já se lhes voltamos as costas e fugimos, levamos uns belos tombos, rebolamos na areia (ou na vida), perdemos o norte.

Com as ondas já aprendi, agora já só falta com tudo o resto!

15 de agosto de 2005

Tenho literalmente

a mioleira derretida...
Estou no sótão, que com este tempo se devia chamar "fornalha".
Fica tudo tão lento que nem as letras aparecem quando teclo.
Hoje andei a arrumar as revistas "Visão" (centenas delas).
Uma de Agosto de 2000 tinha um título na capa: "Portugal a arder"
Não sei para que continuo a gastar dinheiro em revistas: comprava-as durante um ano e depois ia lendo sempre as mesmas...
Já que as notícias se repetem, é que não vale mesmo a pena!

(raisparta o computador que até a apagar é lento, ufa!!)

De manhã fui à praia...
Demorei mais de uma hora a fazer cerca de 8 Km!
Burra, burra, burra, que estou farta de saber que aos domingos e feriados não se deve sair de casa. Principalmente se os domingos e os feriados coincidirem com o mês de Agosto!
Mas valeu a viagem pelo banho de mar, o primeiro deste ano.
Como destemida nadadora que sou, às tantas assustei-me com uma onda das grandes e em vez de ir ao encontro dela tentei fugir para a praia.
Resultado: uma aparatosa queda para gáudio daquela fauna que vai à praia só para apreciar os intrépidos banhistas...
Como se isso não bastasse para deixar o meu ego (e o resto do corpo também) de rastos, quando me estava a levantar veio outra onda e lá tornei a cair.
E ainda repeti a cena mais uma vez, porque, como diz o ditado, não há duas sem três!
(E se por acaso esta cena foi presenciada por alguém que lê este blog, é favor NÃO se pronunciar...)
Que vergonha! :-/

14 de agosto de 2005

Vitória...

... consegui desocupar uma gaveta inteirinha!
Iupiiiiiiii!
(Agora só faltam umas vinte. Isto sem contar com as estantes!)
Vou até à cozinha comer um gelado: eu mereço!!

13 de agosto de 2005

Ainda (e sempre...) os papéis!

Para aqueles que já esfregavam as mãos de contentes a pensar que eu estava de férias e não chateava por uns tempos tenho a dizer que não, que ainda ando por aqui... Estou de férias mas estou em casa. Isso não significa descanso, significa apenas mudar de actividade.
Descanso a sério só no fim do mês com uma semanita fora de casa!

Não tenho aparecido porque a minha net sem fios resolveu fazer greve e, para aceder à net tenho de vir ao velhinho e desactualizado computador do sótão. Perco-me aqui porque este está vazio, tenho tudo no outro.
Além disso, de cada vez que carrego numa tecla as letras demoram a aparecer no monitor! Haja paciência!

Vou ocupando o meu tempo a fazer arrumações: tenho andado a vasculhar os meus papéis, que é apesar de tudo, uma tarefa de que gosto :-)
O meu maior problema é que, por mais voltas que dê, não consigo deitar nada fora! E então tento arrumar tudo mais acamadinho para caberem ainda mais papéis, mais livros, mais revistas (não deito nenhuma fora...), mais desenhos oferecidos pelos meninos...

Pronto, eu sei que não tenho cura, que hei-de fazer?
(Aceito sugestões, menos mudar-me para um T0, que essa é a que o meu marido diz que me curava de vez!)

7 de agosto de 2005

OLÁ? Adeus! :-(

Estou chateada...
Eu que até nem sou muito influenciada pela publicidade! (Embora de vez em quando lá caia na tentação de comprar um produto de limpeza milagroso que limpa tudo sozinho para acabar por descobrir que afinal não é como aparece na TV, mas adiante...)
Mas gosto de ver publicidade, pronto, e há anuncios que eu adoro.
Um deles era aquele da OLÁ com os três geladinhos a cantar:

Oh não, não me deixes assim
Triste só e abandonaaaado
Gelaaaaaaado!

Agora os gajos da OLÁ borraram a escrita toda ao fazer a publicidade com aquele calhau-bronco-trengo-gigolo algarvio.
A comer gelados e a falar inglês...
Ca nojo!

Por mim, quem vai ficar a ganhar é a Nestlé...
Não como mais "olás" este Verão!
(e se eu sou - ou melhor, era! - uma boa cliente!)

5 de agosto de 2005

Ele há cada cromo!

No Correio da Manhã vem a notícia daquele agente da PSP que se suicidou, com todos os pormenores, mesmo os que só interessam à família, como é costume naquele jornal.
Mas pronto, até aí a coisa passa.
O pior é que as notícias estão abertas a comentários, alguns verdadeiramente hilariantes, não fosse o acontecimento tão trágico.
De todos, não resisti a copiar este, tal e qual:

«Tenho 39 anos, sou stressado, tenho problemas de saúde as quais pago quase na totalidade, vivo numa casa em ruínas, pago as minhas despesas, tenho um empréstimo bancário para pagar, ganho zero euros por mês, porque trabalho por conta própria, e o que ganho é para pagar caixa, IVA, IRC, electricidade, prestação do banco, telefone, aos colaboradores, gasolina e outras despesas da empresa.Reforma aos 65»

Agora as minhas dúvidas:
Stressado...
Será uma nova profissão?
Pago as minhas despesas...
E era suposto serem pagas por quem?
Ganho zero euros por mês porque trabalho por conta própria...
(Como disse?????)

E a minha última dúvida:
Com estes condicionalismos todos, como terá este senhor acesso à internet?

4 de agosto de 2005

Quinta-feira de cinzas

A meio da tarde o Sol desapareceu atrás duma nuvem de fumo, apesar de se manter um calor sufocante.
De repente ficou quase noite.
As cinzas caíam em todo o lado, incluindo dentro de casa através das frestas das janelas...
Aviões a passar, sirenes de ambulâncias, a sirene dos bombeiros...
E no entanto não havia fogos por aqui perto.
Se aqui era assim, imagino como seria para os que estavam próximos!

Por sua vez, os jornalistas em lugar de se limitarem às imagens, só por si completamente chocantes, continuam a perseguir pessoas em pânico e a tentar uma entrevista... Deplorável!
Depois vêm dizer que os ingleses sim senhor, portam-se muito bem em situações extremas...
Será que são os ingleses? Ou serão os jornalistas ingleses que, ao contrário dos portugueses respeitam a dor e a intimidade das pessoas?
Haverá alguém no mundo que fique impávido e sereno ao ver todos os bens que conseguiu juntar ao longo de uma vida inteira serem consumidos pelo fogo? Seja português, inglês, chinês, marroquino...?

Até quando irá continuar o país a arder, os culpados impunes, e esta revolta que sinto de não poder fazer nada?

3 de agosto de 2005

Limpezas no sótão e música...

Depois de ter passado mais tempo no caminho casa/praia/casa do que na praia propriamente dita, vinguei-me num pastel de nata do Café Atlântida - os melhores do mundo!
Quando cheguei a casa tinha um e-mail da São com ESTE LINK cheio de música...
Curtam!
(algumas não se conseguem ouvir por "falta de autorização" ou lá o que é...
Espero não ir presa por publicar isto.)

Tal como o Varela de Freitas também andei a arrumar papéis no meu sótão...
Encontrei um monte de bloquinhos às flores com frases que eu copiava sabe Deus donde! São centenas delas! Por isso, nos próximos tempos vão levar com muitas citações, que eu não tenho coragem de deitar os meus caderninhos fora sem as copiar!
  • Frase do dia:
« O amor à liberdade é o amor ao próximo; o amor ao poder é o amor a nós próprios.»
William Hazlitt (?)

2 de agosto de 2005

Preocupações...

Estou preocupada com esta história do Mário Soares candidato a Presidente...
É que se o Sócrates descobre que se pode trabalhar até aos 91, estamos todos lixados (com ph de farmácia!)...

Outro assunto que está a preocupar a minha estouvada cabecinha é a notícia de que uma empresa de construção é "dona" dos jogadores do Benfica!
Se bem que eles têm um bom corpinho para trabalhar nas obras!
E quando isso acontecer vai ser a vingança do mulherio: em vez de ouvirem piropos de trolhas, são elas que os mandam!
Boa, boa!

Adenda ao post anterior:
A aldeia chama-se Póvoa Dão. É perto de Santar (concelho de Nelas).
Chegando a Santar ou a Canas de Senhorim é só seguir as placas ou perguntar a alguém. O caminho é fraco mas vale bem a pena!

1 de agosto de 2005

Uma ideia luminosa...

Numa altura em que tanto se fala em aldeias desertificadas, com os velhos a ficarem lá sózinhos, dá gosto ver uma coisa assim: uma aldeia, comprada não sei por quem, que restaurou e/ou reconstruiu as casas.
Muitas estão vendidas, outras ainda estão à venda.
Mas, mesmo sem ter casa lá, há um restaurante espantoso e, para quem gosta, passeios pedestres e banhos no rio Dão.
A piscina e os campos de ténis são só para usufruto dos "condóminos" da aldeia.



Ontem à tardinha lanchei aqui, neste belo lugar...



Quem adora esplanadas de praia, cheias de gente e confusão, a apanhar com o fumo dos escapes dos automóveis enquanto come, é porque nunca esteve numa como esta!


Ainda há muitas casas à venda...
Quem se tenta?
Eu, por passar a informação sinto-me paga com um convite para um fim-de-semana de vez em quando...

Além das esplanadas, há este belo restaurante (é lindo mesmo, a fotógrafa é que não estava muito inspirada!)


Uma dica: o Rio Dão passa por lá...