8 de setembro de 2009

Será pandemia?

Nos meus caminhos para a minha escola ou para o meu agrupamento passo por diversas escolas.
Todas andam em obras!
E andam em obras agora, com as aulas prestes a começar.

Com as obras das outras escolas posso eu bem.
O meu problema são as obras na minha, com uma reunião de pais marcada para quinta-feira, dia 10, e sem um único local livre.

Andam lá homens a pintar as paredes das salas, outros a pôr um lambrim de madeira e hão-de vir outros arranjar o chão.

Os móveis, os quadros, os placards, os livros, as mesas, as cadeiras e o computador, estão amontoados no meio das salas, é impossível sequer chegar lá perto.

É um facto que a escola estava a precisar de obras, mas não poderiam ter sido feitas em Julho e Agosto?
Ou será que o facto de as eleições estarem à porta tem algo a ver com isso?
É que nos meses de férias não haveria testemunhas e agora há uma carrada delas!

8 comentários:

mfc disse...

... se calhar até tem!!

Angel disse...

Pois, sou da mm opinião...

ameixa seca disse...

É mesmo isso, precisam de testemunhas :) Cambada de intrujões!

Bea disse...

Olha, nós por cá, com uma escola deitada abaixo, era suposto já ter para onde ir... mas nem um contentor está colocado até ao dia de hoje!
a mim disseram-me "não stressea"
bjs

entremares disse...

Alegra-te se te disser que para a semana na minha escola vamos todos "estrear" contentores?

E aquele barulho dos martelos pneumáticos a mandar paredes abaixo bruuum-bruum-brummm... que melodia, que ambiente acolhedor... ah, não há nada como obras...

Depois te conto. Primeiro ainda vou ali ver se tomo uns calmantes que só de pensar nisto... faz mal à saúde...

Beijos.
Rolando

Shakti disse...

Estas eleições parecem que têm um pozinho qualquer mágico...

bj

maria mar disse...

Essa coisa é geral...ao menos de 4 em 4 anos valham-nos as santas eleiçoes. Sempre ha mais emprego nestes tempos proximos.O barulho e poeiras é que nao ajudam, mas...
p'ra melhor está bem, está bem...lalala...

Didas disse...

Não, não tem nada a ver com as eleições. A questão é muito simples e é a seguinte: Os concursos são uma coisa tão complicada que atrasa sempre. Isto para não contar com as vezes em que se abrem e ficam desertos e é preciso abrir outra vez, que nem sei se foi o caso. Resumindo, aquilo não é só telefonar aos senhores e mandá-los fazer as obras. E não estou a desculpar ninguém nem ninguém me encomendou o sermão. Mas sei que é sempre esta nóia.