13 de maio de 2010

Paradoxos

Recebi esta interessante mensagem por mail, hoje mesmo, e resolvi publicar, já que o que eu estava a escrever acerca das novidades de hoje era impublicável...


"Nós falamos demais,
amamos raramente,
odiamos frequentemente.
Nós bebemos demais,
gastamos sem critérios.
Conduzimos rápido demais,
ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados,
lemos muito pouco, vemos TV demais,
perdemos tempo demais em relações virtuais,
e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos os nossos bens,
mas reduzimos os nossos valores.
Aprendemos a sobreviver,
mas não a viver;
adicionamos anos à nossa vida
e não vida aos nossos anos.
Fomos à Lua e voltámos,
mas temos dificuldade em cruzar a
rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço,
mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores,
mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
mas não o nosso preconceito;
escrevemos mais,
mas aprendemos menos;
planeamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a apressar
e não a esperar.
Construímos mais computadores
para armazenar mais
informação,
produzir mais cópias do que nunca,
mas verdadeiramente comunicamos cada vez menos.

Estamos na era do 'fast-food'
e da digestão lenta;

do homem grande, de carácter pequeno;
lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos,
vários divórcios,
casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas,
fraldas e moral descartáveis,
das rapidinhas, dos cérebros ocos
e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrina e
muito pouco na dispensa.

Lembre-se de passar tempo com as
pessoas que ama, pois elas
não estarão aqui para sempre.

Lembre-se dar um abraço carinhoso
aos seus pais, a um amigo,
pois não lhe custa um cêntimo sequer.

Lembre-se de dizer "eu amo-te" à sua
companheira e às pessoas que ama,
mas, em primeiro lugar, ame-se a si mesmo.

Um beijo e um abraço curam a dor,
quando vêm de lá de dentro.


Por isso, valorize a sua família,
os seus amores, os seus amigos,
a pessoa que ama
e aquelas que estão
sempre ao seu lado."

12 comentários:

mlu disse...

Eu nem queria tanto! Um pouco do que aqui se diz já faria toda a diferença!
É uma belíssima mensagem, obrigada por a partilhares!

Abraço!

(peço licença para "imaginar" qq. coisinha do teu impublicável escrito!!! Deixa lá, isto dá + paz)

Isadora disse...

Salvo uma ou outra pequena exceção, o texto reflete de forma clara como vivemos hoje. É importante estarmos atentos para que possamos promover mudanças.
Um beijo

polittikus disse...

a vida de cada um vale o que vale... Nem mais nem menos.

Há.dias.assim disse...

Já conhecia, mas estava esquecido e hoje soube-me bem lê-lo.bjs

Angel disse...

Uau! Estou inspiradíssima p tomar uma decisão q tenho andado a adiar :) Bjinhos e bom fds.

ameixa seca disse...

Profundo e verdadeiro :)

Carla Silva disse...

São destas verdades que muitas vezes não gostamos de ouvir ou ler, mas necessitámos delas.
Muito obrigada pela partilha.
Beijinhos.

xunandinha disse...

Muito bonito e puro.
É sem dúvida o que se passa nos dias de hoje.
Era bom que se refletice nestas sábias chamadas de atenção.
Beijinhos

José António disse...

Ah! Isto é muito bom...

José António disse...

Posso "roubar"?

Olga disse...

Muito bonito e verdadeiro. Vou já fazer algumas destas coisas!

Alam Arezi disse...

Conhece George Carlin, o autor da mensagem?

Era um humorista norte americano, ateu convicto, que foi processado inúmeras vezes por diversas instituições e até mesmo pelo governo norte americano.
(Se não acredita, digite o nome dele no YOUTUBE).

Eu sou um enorme fã dele, pois sigo sua ideologia - mas acredito que você, sem querer querendo, admirou um personagem morto e enterrado da história da humanidade (que fez muita diferença).

Pesquise um pouco antes de publicar um email que recebestes - a não ser que não te importe importar ideologias de diversas misturas; deitar-se para dormir e rezar um pai nosso depois da publicação de um texto do Carlin.

É apenas uma dica. O espaço é seu.

A.A>