14 de abril de 2004

Ao Jorge

Soube, no domingo de Páscoa, que tinha morrido um amigo meu de infância e adolescência. Daqueles amigos verdadeiros a quem, com as voltas que a vida (nos) dá acabamos por perder o contacto.
Estudámos juntos no antigo Ciclo Preparatório e ele acompanhava-me a casa. Depois seguia o seu caminho, de bicicleta, até casa dele, numa aldeia uns 4 Km mais à frente.
A vida não era fácil naquele tempo: as escolas eram longe e o transporte era a bicicleta! Mesmo assim foi sempre um bom aluno e licenciou-se em farmácia.
Aos domingos rumava com a minha mãe e irmã, à aldeia onde ele morava pois tínhamos lá muitos amigos.
Juntávamos então um grupo enorme e passávamos a tarde a jogar ao ringue ou a andar de bicicleta pelas aldeias vizinhas.
Nunca nos dava a fome porque todos conheciam todos e havia sempre alguém que nos franqueava o quintal com fruta à disposição...
Esse tempo de juventude despreocupada, livre, divertida e sem medos (como me parece que hoje já não existe), passou todo à minha frente como um filme enquanto a minha mãe me dava a notícia.
O Jorge tinha pouco mais de 40 anos e morreu de cancro.
Às vezes tenho mesmo de acreditar que o céu existe e que ele já arranjou por lá um grupo para jogar ao ringue e andar de bicicleta...

1 comentário:

SaltaPocinhas disse...

O Céu existe, e podes ter a certeza que o teu amigo está a olhar por ti lá em cima. Quando olhares as Estrelas e uma delas brilhar tanto que te parecer estar a sorrir, sente que é ele que olha por ti, e te manda um sorriso. Beijo Grande Enviado por meialua em abril 14, 2004 07:08 PM

....LINDO......MARAVILHOSO ....SEM MAIS COMENTÁRIOS... Enviado por dário em abril 14, 2004 07:32 PM

Pareces o "João Semana". Pena é que até as nossas aldeias vão perdendo a sua ruralidade. Olha, temos que ser pragámticos e ver todos, os mais diversos acontecimentos com esperança. De céu, a felicidade constroe-se, dia a dia cá na terra. Depois tudo será bom. Porque não uma visita a Theiard Chardin. Conviver com alguma obra dele, alimenta o espírito. Claro, a Igreja não gostou muito dele. Enviado por af em abril 14, 2004 08:06 PM

Uma homenagem assim com este sentimento, não deixa o Jorge morrer nunca, ele está lá, seja onde for a olhar por todos nós especialmente por aqueles amigos como tu. Enviado por Cetus em abril 14, 2004 09:08 PM

@@ MEIALUA: Obrigada pelas tuas palavras, eu também quero acreditar que existe... Beijinho Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 10:08 PM

@@ AF: Não sei quem é esse senhor de quem falas... Tens de me dar mais pormenores. Mas a vida nas aldeias era mesmo assim. Se exagerei foi por defeito e nunca por excesso. Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 10:10 PM

@@ CETUS: Espero que sim. Ele era uma boa pessoa. Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 10:11 PM

Oi. Sei que não é fácil passarmos pela morte de um amigo, apesar de ele até não ser daqueles que vias muitas vezes. Mas custa sempre... sei o que é isso. E tento acreditar no que a Meialua disse!... Beijinhos e força! Enviado por Tânia em abril 14, 2004 11:01 PM

E muitas vezes essas estrelas já não estão lá...mas nós ainda estamos a vê-las...no mundo abstracto e complexo dos sentimentos chamamos a isso recordação. Um beijinho da Xana Enviado por xana em abril 14, 2004 11:03 PM

Ai vai. Pierre Teilhard Chardin, jesuita,panteologista,biólogo e cientista. viveu entre 1881 e 1955. Chegou a ser excomungado pelo Papa Pio X. Foi o homem das teorias evolucionnistas, da origem do homem:tentava explicar o divino a partir da Ciência. (crime?)Algumas das sua obras, que podem baralhar os espíritos fracos:"Fenómeno do Homem","Tratado do Homem", "Cristo Evolutor",e "Noosfera", entre uma vasta obra. Enquanto vivo a Igreja não deixou publicar a sua obra. No "Google", pode-se consultar, alguma coisa. Enviado por af em abril 14, 2004 11:17 PM

"salta-pocinhas", há dias encontrei, cá no meu burgo "O Romance da Raposa" naquela edição bem antiga que se estudava no liceu (lembraste?) a 5 euros;. Claro comprie logo 3!...mas a minha com rascunhos de estudante "tá" bem guardadinha. Essa só irá para os filhotes, quando for espólio. Enviado por af em abril 14, 2004 11:24 PM

@@ AF: Compraste três a contar também comigo? É que eu não tenho esse livro, só na biblioteca da escola... Quanto ao senhor Chardin, isso de baralhar os espíritos fracos é um aviso para eu não ler ou um incentivo para ler?? ;-) Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 11:35 PM

@@ XANA: E também se vive de recordações, não é?? Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 11:36 PM

@@ TÂNIA: É precisamente por nunca mais nos termos visto que me custou mais percebes? Nem cheguei a saber que ele estava doente! Obrigada. Beijinho. Agora não dá mas depois vou visitar o teu gatinho com a lã... qualquer dia roubo-to!! Enviado por salta-pocinhas em abril 14, 2004 11:39 PM

Completamente arrepiada acredito que o teu amigo esteja a ler o teu post e muito feliz. Aos 40 anos tb bati á porta de S. Pedro e ele disse-me que ainda não era a minha hora. Já ando por cá há 6 anos com a certeza de que um dia voltarei a fazer aquele caminho silencioso e iluminado (foi o que eu vi durante uma noite inteira). O que valeu foi a enfermeira ter muito trabalho nessa noite e não desligou o meu ventilador como lhe tinham recomendado os colegas de turno. Na manhã seguinte eu dei sinais de vida e ..... cá estou. Enviado por rilinha em abril 14, 2004 11:40 PM

Pois, o Teilhard, não se lê. É um autor para se mastigar, de vez em quando. Já no seu tempo, andou anos de luz, à frente de muitos humanos. Com ele ou semelhantes dou caminhadas curtas, não vá ter que modificar alguma coisa enraizada no meu espírito, há muito. Vou ver se consigo arranjar "o Romance". Não sei bem com é que a "patroa" fez a distribuição. Enviado por af em abril 15, 2004 12:02 AM

Já entendi a tristeza do teu dia... mas contra a morte nada há a fazer, para além de recordar com carinho... Enviado por floreca em abril 15, 2004 12:56 AM

Podes ter a certeza que o teu amigo está a olhar por ti e por todas as pessoas que gostavam e acreditavam nele...eu sei porque a minha tia também lá está, e de lá cuida das filhas e do marido, e de todas as pessoas que acreditavam nela e que a amavam, a minha tia, tal como o teu amigo, vão continuar vivos, pelo menos, até que a ultima pessoa que gostava deles se juntar a eles...digo isto porque sei que a minha tia vai continuar para sempre nos nossos pequenos corações...só me resta acrescentar, a eles os dois, até ao nosso reencontro no reino dos céus... http://divagando.blogs.sapo.pt Enviado por Unforgivable_sinner em abril 15, 2004 12:57 AM

é sempre triste quando perdemos alguem de quem gostamos,e uma boa maneira de não sofrer muito é achar que essa pessoa está num lugar lindo,e que está viva pois acompanha-nos dentro de nós sempre,graça Enviado por graça em abril 15, 2004 12:58 AM

@@ GRILINHA: Fizeste-me arrepiar TODA... xiça!!! Um dia hás-de contar-me essa história! Enviado por salta-pocinhas em abril 15, 2004 01:28 AM

@@ FLORECA: Eu sei, obrigada pela força. Enviado por salta-pocinhas em abril 15, 2004 01:30 AM

@@ U_SINNER: Gostava de ter essa fé toda! Infelizmente não tenho, mas vou esforçar-me! Enviado por salta-pocinhas em abril 15, 2004 01:33 AM

@@ GRAÇA: É sem dúvida uma boa táctica, vou tentar pensar assim. Enviado por salta-pocinhas em abril 15, 2004 01:36 AM