17 de abril de 2004

Poema

(quase) Toda a gente publica poemas e eu... népias.
Então hoje recebi um poema por mail e resolvi publicá-lo.
Não sei quem é o autor, mas não faz mal...
Fosse lá quem fosse tinha muita imaginação.
Espero que se divirtam tanto a lê-lo com eu me diverti!!

O CUME

No alto daquele cume
Plantei uma roseira
O vento no cume bate
A rosa no cume cheira.
Quando vem a chuva fina
Salpicos no cume caem
Formigas no cume entram
Abelhas do cume saem.
Quando cai a chuva grossa
A água do cume desce
O barro do cume escorre
O mato no cume cresce.
Quando cessa a chuva
No cume volta a alegria
Pois torna a brilhar de novo
O sol que no cume ardia!

4 comentários:

SaltaPocinhas disse...

Sua bregeira!...não coloques aqui nada do "conjunto António Mafra"... Enviado por af em abril 17, 2004 12:47 PM

lololol, fiquei baralhada com tantos "cume" lololol, ta giro... deu p me rir um pouco... ;o) Enviado por meialua em abril 17, 2004 01:43 PM

hahahahah adorei. Sabias que há um gajo que canta um fado vadio com este poema. É genial o poema... Enviado por analfabeto em abril 17, 2004 03:30 PM

LOLOl Tá engraçado, estive a rir um cadinho, mas tenho de concordar é cume a mais... Um beijo doce Enviado por MissLadyMystery em abril 17, 2004 03:38 PM

lololololol Bjinhos Enviado por Formiguinha em abril 17, 2004 07:19 PM

@@ AF: ai é desses? Ainda bem pois eu gosto deles! Obrigada por desvendares o mistério do autor! Enviado por salta-pocinhas em abril 17, 2004 09:45 PM
@@ MEIALUA: Era mesmo para rir... Enviado por salta-pocinhas em abril 17, 2004 09:46 PM

@@ ANALFABETO: Não, nunca ouvi isto cantado!! Mas está muito bem imaginado! Enviado por salta-pocinhas em abril 17, 2004 09:47 PM

@@ MISSLADY: Achas cume a mais?? Mas as montanhas têm cume... que queres?? :-) Enviado por salta-pocinhas em abril 17, 2004 09:49 PM

eheheheheh .... o que eu me ri (li alto para soar melhor) ahahahahah ... AI AI ALANTEJANO //Tava eu a tirar moncos .. lá da cana do nariz .. anquanto fazia uma mija .. assim tipo chafariz .. // Tinha a bexiga tã chêia .. que fiquê lá uma hora .. quando me assomê em volta .. tinha ido tudo embora .. // Sacudi o coiso e tal .. enquanto coçava a bilha .. de tal manêra atascado .. que o entalê na braguilha .. // tirê as botas do lodo .. que fizera na mijada .. sacudi tamém as calças .. sempre com ela entalada .. // pedi ajuda à Ti micas .. que cerca dali morava .. mas depilou-me os tomates .. a força com que a puxava .. // ensanguentado na dita .. fui aos tombos pelo monti .. vomitando quasi as tripas .. nã sêi se queres que te conti .. // como comera dôs pães de quilo .. e um garrafão p'rajudar a empurrare .. na admira que tivesse .. três horas a vomitare .. // Detê-me na palha fresca .. para ver se descansava .. enterrê-me logo em bosta .. de uma vaca que passava .. // E foi assim que essa tarde .. conheci um caracole .. os dois deitados na palha .. com os cornos a secare ao sole .. // porque esta vida é tão dura .. por aqui p'lo Alentêjo .. dêxa cá dormire um pôco .. vamos soltando um bocêjo Enviado por grilinha em abril 18, 2004 01:03 AM

......ENGRAÇADO COMO ME DIVERTI AO LER Á 2ª. .... DEPOIS DA INSISTENCIA DA MINHA AMIGA ,.... LI E "CANTEI" SÓ PRA MIM,....E CHEGUEI Á FELIZ CONCLUSÃO DE QUANTO É BOM TER UM CU.ME ASSIM .. Enviado por dario em abril 18, 2004 01:25 AM

@@ GRILINHA: Ainda bem que gostaste!! Eu também me fartei de rir quando li e por isso publiquei.Não é nenhuma obra de arte mas faz rir que às vezes é mesmo só o que é preciso... O teu também me fez rir... tens de o "mandari ao Zei" Enviado por salta-pocinhas em abril 18, 2004 01:45 AM

@@ DARIO: Ainda bem que te divertiste! A intenção era mesmo essa! Enviado por salta-pocinhas em abril 18, 2004 01:46 AM

Olha que não é do António Mafra.Já chegou ao Brasil!Quando eu tinha para aí uns 10 anos, já o "ensaiador" do rancho da minha terra,"As lavadeiras" (parece que estão em crise!) fazia umas bricandeiras com esses mesmos versos. E o Homem tinha para aí 70 anos. Conclusão deve ser versos centenários. Dái, alguém falou num "fadinho vadio" Enviado por af em abril 18, 2004 09:06 AM

@@ AF: Eu sei. Também já tinha ouvido estes versos há muito tempo!! Enviado por salta-pocinhas em abril 19, 2004 07:54 PM

Hoje no serviço, foi um fartote de "cume" a cheirar a rosas. Enviado por af em abril 20, 2004 07:17 PM

Anónimo disse...

Enjoyed a lot!
How women can cause impotence in men Cod liver oil to lower high cholesterol telmisartan und tadalafil http://www.wireless-headset-for-ps2.info/Headphones.html Tadalafil generic cialis what&aposs the difference Yahoo audio conferencing plugin microsoft windows media about lipitor chevrolet blazer How to get your penis bigger naturally Vacation coupons order easy tadalafil tadalafil levitra http://www.webcams5.info/people_have_group_sex.html Parental movie control reviews tadalafil count online 97 acura cl Marketing online information online 9 alarm car k

Anónimo disse...

Quem compôs esse poema foi Vinicus de Moraes, para mostrar como as pessoas podem distorcer ou entender errado as coisas apenas trocando algumas palavras ou a ordem delas.
Experimente trocar a palavra cume por morro, ou montanha... fica completamente diferente.
Legal né...

Anónimo disse...

O Autor é o grande Manuel Alegre.
Cumprimentos!