25 de setembro de 2005

Ainda os ciganos

Tantos comentários fazem-me voltar ao assunto.
Eu tenho alunos ciganos desde há 8 anos.
Começaram por ser dois e pertenciam à minha turma.
Depois o seu número foi aumentando todos os anos.
(se há uma coisa que eles fazem bem é reproduzir-se)
Chegámos a ter mais de vinte.
Este ano temos, num universo de 70 alunos e 4 turmas, 15 alunos ciganos.

Nunca houve problemas de maior com eles a não ser com os de uma família. Esses roubam: roubam dinheiro às professoras, material aos colegas, leite...o que calha.
De resto, são de uma maneira geral obedientes e educados e relacionam-se bem com os outros colegas.
Já tivemos um caso ou outro mais problemático, mas problemas acontecem com todos, não é exclusivo deles...

O maior problema com eles é que, como não aprendem, andam na escola primária até aos 14 ou 15 anos, misturados com crianças de 5 e 6 anos...
Eles não aprendem por dois motivos essenciais: faltam imenso às aulas e não estudam nem se interessam minimamente pela escola.
Para eles a escola termina na hora de saída e só pensam nela no dia seguinte, se não faltarem. Alguns nem se dão ao trabalho de levar a mochila para casa!

O que me chateia nesta história toda é que os pais recebem o rendimento mínimo e a única obrigação que lhes é imposta é mandarem os filhos à escola...
Eles não mandam e pensam que alguém os repreende por isso?
Nem pensar!
NUNCA ninguém me telefonou ou escreveu a perguntar se eles eram assíduos ou não! Nunquinha!
Os pais de alguns também andam na escola à noite.
Só que aqui acontece um mistério: eles eram analfabetos há oito anos atrás e continuam analfabetos!
Alguns nem o nome aprenderam ainda a assinar...
Francamente não sei que raio de escola frequentam eles!

Na minha opinião eles deviam ser obrigados a optar: ou recebem rendimento e cumprem as regras impostas, ou querem continuar com a vida que sempre tiveram e não recebem nada... Como disse alguém nos comentários, não podemos impôr a nossa maneira de viver a quem não a quer...
Ok, não impomos e não pagamos!

Porque eu fico pior que estragada quando vejo esta gente receber de rendimento mínimo mais do que a maioria dos pais e mães dos meus alunos recebem de ordenado a trabalhar em fábricas das 8 às 18!
E depois ainda têm, automaticamente, subsídio da Câmara para livros e material...
Os pais das outras crianças para terem direito ao mesmo subsídio, têm uma lista de papéis para tratar que enche uma folha A4.
Muitos desistem de pedir, pois o tempo que perderiam nos empregos a tratar de tantos assuntos não compensaria...

Resumindo e concluindo: o problema não está nos ciganos, está em quem os quis integrar mais ou menos à força e agora não tem coragem de desatar este nó!

14 comentários:

Amaral disse...

Nos parágrafos finais, chegaste ao cerne da questão. O problema não está nos ciganos, nos ucranianos ou nos chineses. O problema está nos dirigentes que norteiam as medidas que adoptam para remendar este País. Nestes tempos conturbados que atravessamos, há montanhas de decisões que não resolvem os fins em vista. Parece que escasseiam, a cada ano, dirigentes isentos e íntegros. Escasseiam mentalidades adequadas aos tempos de hoje. Escasseiam alternativas credíveis, escasseiam mentes abertas às mudanças que o planeta urgentemente reclama...

ML disse...

Este post e o debaixo, ambos "politicamente incorrectos" trazem à luz algumas verdades que saltam à vista. Aqui o Amaral diz, e com razão, que «o problema está nos dirigentes que norteiam as medidas que adoptam para remendar este País». Tem toda a razão. e quando se dá o RMG tinha-se a obrigação ética de vigiar se as regras que implicam recebê-lo estão a ser cumpridas. Mas isto é uma bola de neve dofícil de travar. Eu conheço algumas técnicas que trabalham com o RMG (ou RSI como se queira ) e a verdade é que têm MEDO de retirar essa prestação por não cumprimento das regras. E é a isso que chamo "bola de neve" - cada vez de vão cumprindo menos regras por medo das reacções mas enquanto isso se passar vai-se reforçando a confiança na impunidade. E o Amaral não tem razão num ponto: não é a mesma coisa ucranianos, chineses ou ciganos! até pela simples razão de que os ciganos já cá andam há séculos!!!

ML disse...

Tchi, tantas gralhas...!!!
Desculpem-me, escrevi e não reli nada. Mas dá para entender o que quis dizer, não dá?

mfc disse...

Tens toda a razão. Esse é um dos problemas decorrentes da massificação do ensino, mas mais vale isso que as pessoas não terem acesso ao ensino, como acontecia dantes.
Quanto ao rendimento social garantido, claro que há gente que o não devia receber, mas há muita gente para quem aquilo é uma pequena grande ajuda, senão a única.
Um beijo.

Maria Papoila disse...

Eu sou 100% contra o Rendimento Mínimo Garantido. Eles e os outros, sejam ciganos ou não, que vão trabalhar. Assim realmente a vida corre-lhes bem. Só fazem é parir criancinhas e o Estado (nós) a pagarmos. E fazem cada vez mais crianças, para receberem mais. Depois vem dizer a quem paga os seus impostos e faz os descontos, que não há garantias de reformas daqui a uns anos.
Eu até era capaz de aceitar que esse rendimento fosse dado durante um certo período de tempo, por exemplo uns dois anos, e nesse tempo as pessoas organizavam a vida, agora a tempo inteiro não!

O Turista disse...

Concordo plenamente contigo!!
Boa semana!

Beijinhos do Turista
www.turistar.blogspot.com

AnaCristina disse...

Nunca ouviste dizer que " quanto mais se mexe na m****, mais mal ela cheira!".
Esse assunto causa-me algum cuidado!
Bom trabalho

mário disse...

não se pode impor modos de vida a quem os não quer e mesmo q se esforcem por aprender serão sempre marginalizados, ou pela sociedade em si ou pela própria famíla, sentir-se-iam deslocados do sistema. Só se poderia resolver o problema se os mais velhos se interessassem verdadeiramente q os miúdos aprendessem alguma coisa. Eles não aprenderam a ler e muitos "vivem" muito bem e têm sucesso na vida.

Cakau disse...

E haverá coragem para desatar esse nó? Acho que as coisas vão continuar como estão. Lamentavelmente.

Beijos *

Anónimo disse...

NEM MAIS!!!! Bj da Fernanda

Freddy disse...

Deve ser bastante ingrato e cansativo remares contra a maré...

Beijitos da Zona Franca

afigaro disse...

Realmente o RMG é muito complicado.As suas regras não são cumpridas e as "sô dotoras" da Seguraça Social lá vão andando de conscência tranquila.
Isto é um pouco parecido ao querermos um modelo de democracia no Continente Africano semelhante ao nosso, não será?...Resquícios do tempo das Cruzadas, na Idade Média.

Mocho Falante disse...

Ora nem mais...

é a mania que temos de aculturar os outros com o ideal que eles é que estão mal!!!

guevara disse...

mas se alguem for à camara... e falar com as assistentes sociais eleas tratam do assunto!
Ah pois tratam.. aqui em Barcelos eu ja fiz isso, as uns Brazucas que moravam no prédio e so tinham visto de 6 meses. Não trabalhavam e eram duas familias num T2...
E todos os meses iam receber o rendimento minimo, enchiam a despensa nesse dia, ams pagar a renda nem por isso, e serem despejados não podiam porque eram todos menores!!!!
Estranho não é?