29 de outubro de 2005

As minhas maçãs


Se gostas de maçãs, colhe maçãs
Do teu próprio pomar.
Guarda republicana há em toda a parte
Onde não temos nada,
E a força é cega por definição.
Ora no teu pomar
Podes serenamente
Gozar o transitório paraíso.
Na pequenina haste
Que um dia tu plantaste
Nasceram frutos túmidos e doces
Que são teus.
Colhe, pois, esses frutos.
Não faças como o Adão e como a Eva, uns brutos
Que comeram maçãs, mas do pomar de Deus.

Miguel Torga, Diário V

9 comentários:

Clitie disse...

Ai, ai! Estas maçãs têm cheirinho a pecado, parecem tão apetitosas!!

Bjks e bom fim de semana

Nina disse...

Passei para saber de ti..estás bem???

Beijinho e BOM FDS :)

Mocho Falante disse...

Delicioso o poema, principamente a ultima parte, adorei...

mfc disse...

Lindas maçãs... vou dar uma trinca, posso?

Formiguinha disse...

Têm mto bom aspecto. Hummmmmm

Dário disse...

....Linda AMIGA...Conheço o poema e acho refrescante qb, porque sabes escolher , 5-pontos para ti e 19,5 para o Autor.Muitos de nós o deviam ler e reflectir ....beijinho a ti e festinhas ao "nosso"....

Anónimo disse...

Ah!este é o máximo ,não é?
Gosto muito deste...
beijinhos grandes
ana

zezinho disse...

Parecem apetitosas...ora, nós somos quase vizinhos, pelo que estou tentado a ir comer-te umas quantas.
Beijinhos

SaltaPocinhas disse...

@@ZEZINHO: és incontactável?