31 de outubro de 2005

Ó pra mim a falar de política outra vez!

Neste blog tenho defendido sempre as minhas ideias, sem me preocupar muito com politiquices, já que da política, por mais que se queira, não podemos fugir...
E embora refile bastante contra tudo o que eu acho que está mal, principalmente na área da educação (cada um sabe onde lhe apertam os calos) ainda ninguém me ouviu uma palavra contra este governo.

Eu não publiquei nenhum anúncio no jornal a pedir desculpa por ter votado PS, porque já sou grandinha, sei fazer as minhas escolhas e embora não concorde com todas as medidas do governo acho que, de uma maneira geral têm estado a fazer um bom trabalho.
E se mudar de ideias, daqui a quatro anos mudo o meu voto: é essa a base da democracia...
Muito mais fácil para Sócrates seria ter estado quietinho até às autárquicas (e não as "perderia"), começando só agora com as medidas menos populares...
Não foram pelo caminho mais fácil e têm tomado medidas polémicas desde o dia da posse.
Mas ninguém discordará que foram corajosas.
E também ninguém que siga nem que seja de raspão o que vai pelo país e pelo mundo e que tenha dois dedos de testa deixará de achar que, se fosse continuada a política do Durão Barroso e depois a do Santana Lopes, estaríamos agora na bancarrota.
Esses fazem-me lembrar aquelas pessoas que se passeiam em bons carros (que não pagaram), vão de férias para o estrangeiro (com empréstimo bancário), compram com cartão de crédito (a pensar que os bancos lhes dão o dinheiro), tal e qual como umas criancinhas irresponsáveis que pensam que a mesada nunca acaba... E que um dia ficam muito espantados quando lhes batem à porta e lhes levam tudo...

Neste momento de crise precisamos de um governo forte, que tenha autoridade sem cair no autoritarismo. Que tome medidas por conta própria, pois ouvir primeiro todas as partes é tarefa impossível. Mas que voltem atrás se se verificarem injustiças.
Que nos pede sacrifícios.
Ok...
Mas que dêem o exemplo e não peçam sempre aos mesmos.
Que nos façam sentir que o sacrifício não será em vão, que vamos ser finalmente um país a sério onde se faz política e onde não se brinca aos políticos.
É o que espero para nosso bem e dos nossos filhos e netos...

13 comentários:

Miguel disse...

Mas, não é a esquerda ortodoxa que se queixa que Sócrates apenas está a continuar com as políticas dos dois anteriores governos???
Quais as diferenças? Só se for na cor dos jobs e nas teimosias do TGV, OTA e co-incineração...

Anónimo disse...

Chamar-lhe medidas corajosas tem muito que se lhe diga. Na verdade, em 31 anos de democracia, em termos praticos, apenas PS e PSD tiveram responsabilidades governativas, logo, se o país está a caminhar para a bancarrota, a responsabilidade é destes caramelos. Tem sido um fartar vilanagem. É sacar para si próprios, amigos e familia. Agora que já não há que roubar, é preciso espremer o povo. Tem juízo saltapocinhas.
Jeremias Telhado

Furão disse...

Três palavras apenas (nem falo de política):

Corrupção
Evasão Fiscal
Off-Shores

Se à frente de cada palavra destas colocares em números (em Euros)o que todos nós ganharíamos se houvesse mesmo CORAGEM, ficavas em Portugal com todos os indicadores oficiais de desenvolvimento da Finlândia (eu não inventei este estudo).

Outra pequenina coisa: a bem da nossa maturidade e consciência do que se passa à nossa volta, seria boa ideia deixarmo-nos de falar em Partidos, quando todos sabemos que quem dirige Rosas, Laranjas ou quem quer que seja que tenha a responsabilidade de elaborar, propor, alterar ou votar Leis, são as mesmíssimas organizações, tenham elas aventais ou pratiquem obras de Deus.

Não é teoria da conspiração. Só não sabe quem anda perdido a ver a TVI e a ler a Caras ( a maioria dos eleitores, infelizmente)

Cá continuarei a visitar este espaço, com muito gosto.

Bjs

sonia disse...

não deixas de ter razão. beijinhos

SaltaPocinhas disse...

@@ JEREMIAS: Eu sou uma rapariga muito ajuizada. Que tu não concordes com o que escrevi é lá contigo, mas não metas nisto falta de juizo. É só a minha opinião...

@@ FURÃO INDISCRETO: Não deixas de ter razão, mas tods as coisas têm de ter um princípio. E a mim parece-me que finalmente e embora com alguns atropelos estamos no princípio de alguma coisa de bom. Os países mais desenvolvidos da europa têm governos sociais democratas ou por aí perto. Portanto não é em serm rosas ou laranjas que reside o problema. O problema reside em serem competentes ou incompetentes. E a mim parece-me que estamos a ter o 1º governo competente e sério em muitos anos. Claro que não se muda tudo de um dia para o outro, temos de ter calma... E para tua informação, faço parte do grupo que nem lê a caras nem vê a TVI. E gosto muito das tuas visitas, volta sempre!

Estrela do mar disse...

...acho que este governo deve andar com "depressão", e por isso as coisas parecem que cada vez estão piores...mas nada melhor do que aguardar para se tirar conclusões...


Beijinhos e tem um bom feriado.

Sou o Eco de mim mesma! disse...

ñ há ning c t******, ning q chegue lá e ñ ceda a pressões, ñ há políticos idóneos... páro p aqui, acho q 'tou a ficar pessimista em relação ao meu país, o q é q isto tem de bom???

Furão disse...

Como não me importo nada de regressar a "comentários já comentados" voltei para te dizer que nunca me passaria pela cabeça que fizesses parte dessa enorme massa de gente (medíocre) que referi. Se assim fosse nunca viria aqui da forma continuada e assídua com que venho.

A minha mãe tem 78 anos, completou três longas licenciaturas, e é possuidora de uma lucidez e uma memória invejáveis (ainda é a ela que recorro telefonicamente quando me assolam questões de literatura, semântica, linguística em geral, antes de me servir de quaisquer motores de busca). No entanto, continuo com uma enorme dificuldade em explicar-lhe, a ela, votante no PS desde 1976, que o conceito de direita e esquerda já não tem qualquer fundamento hoje, quando se trata de poder, e que na verdade todos têm o mesmo objectivo - a carreira pessoal (julgava que já te tivesses apercebido disso , já que na carreira académica só falta comerem-se uns aos outros, quer no sentido dentário quer no sentido sexual do termo que utilizei).

-Viste, mãe, que o teu filho já chegou a ministro? (quantas vezes terá sido proferida esta frase?...)

Infelizmente essas "brilhantes carreiras" não derivam da competência, mas sim dos amigos certos nos lugares certos, normalmente com rituais de iniciação. À minha mãe, chamo-lhe "naif", embora eu tenha que aceitar que na sua provecta idade já não lhe seja fácil partir os pés de barro às suas "esculturas" preferidas.

Em relação a ti, acho que ainda vais a tempo.

Desculpa o excesso de intimidade, mas é a sinceridade e honestidade nas tuas palavras que me faz ousar falar-te desta forma.

Tem um bom feriado

Bjs

Lyra disse...

Levanto-me e aplaudo. Concordo contigo. Raramente falo de politica. Alias não gosto de o fazer, mas disseste aqui o que eu gostaria de ter escrito. subscrevo.

JesusRocks disse...

Concordo que este é o Governo mais corajoso e competente dos últimos 10 anos. A questão agora é... conseguirá Sócrates e a sua equipa retomar as condições que tínhamos há 10 ou 12 anos atrás? Seria um bom ponto de partida para nos voltarmos a aproximar dos padrões europeus. Ainda não perdi a esperança... mas já faltou mais.

Nina disse...

Sem falar de politica deixo um beijinho :)

Leonoretta disse...

optima redacçao. com cabeça, tronco e membros. ou nao fosses tu professora.
simples e direitinho ao assunto.
e assim que eu gosto.
fui incluida no projecto da matematica e olha como era o meu calacanhar de aquiles estou a gostar e muito.

beijinhos da leonoreta

aflores disse...

Passei por aqui e li ;)