12 de janeiro de 2006

Jogo da (in)Glória

Todos conhecem o "jogo da glória": vamos atirando os dados e vamos andando umas casinhas para a frente até chegar à meta e ganhar...
De vez em quando no meio do jogo há umas casas com "castigos" para atrapalhar ou com "prendas" para ajudar.

Ontem e hoje andei num verdadeiro "jogo da glória" só que em vez de dados e pinos tinha um telefone e pelo caminho só há castigos.
E também ainda não cheguei à meta!

Não vou entrar em grandes pormenores porque não quero nomear ninguém, pelo menos por enquanto.
Só vos conto que, para saber em que pé está a resolução do problema (muito grave) de uma criança, fiz e recebi, entre ontem e hoje, mais de dez telefonemas a 5 (cinco) entidades diferentes.
Fui sendo recambiada (quase sempre com música a acompanhar) de uns serviços para outros (ia dizer até à glória final, mas não houve glória nenhuma...)

De todas as pessoas com quem falei as respostas variaram entre "não é connosco", "a doutora está em reunião", "não consta cá ninguém com esse nome", "a doutora já saiu", "não sei como resolver", "a professora é que tem de denunciar a situação" (a quem?????????), "a doutora está em formação" (por acaso ontem também tive formação, mas foi depois do trabalho, não durante)...
Até que hoje, quando já só havia duas hipóteses, ouvi novamente o "não consta aqui nos nossos serviços, mas vou ligar-lhe para xxxxx e lá devem saber com certeza", o meu coração até deu um pulo: estava finalmete a chegar à meta!!
Uns minutos e mais umas músicas depois, a mesma voz "vai ter de voltar a ligar amanhã, é que são 17.11 e o serviço fechou às 17"

__________

Não vou começar agora a abandalhar o meu blog com palavrões, mas lá que apetecia, ó se apetecia!

7 comentários:

Abelhinha disse...

Olha a minha mãe teve uma história assim que durou dias a fio em que a criança continuava a ser maltrada pelo pai.

A polícia pedia provas e dizia que o pai tem o direito de fazer o que quizer, e alertava as professoras que o pai lhes podia fazer o mesmo.

O menino tinha medo de ir para o hospital, porque o pai cadastrado trabalhava no hospital onde a escola teria que levar o aluno.

Tudo assim...

Até que finalmente, depois de braço partido, costelas partidas, traumatismo craniano e muitas outras mazelas (tudo de uma só vez) já havia as provas suficientes para se retirar o menino ao pai.

Foi entregue à Casa Pia. 4 ou 5 meses depois foi visitar a escola e chorou enquanto agradeceu às professoras que o salvaram. Tinha crescido 20 cm.

Arte por um Canudo 2 disse...

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ, era o que apetecia.Ninguém sabe e ninguém é responsabilizado pelo que vai mal neste país.Espera!alguns até são e esses chamam-se "professores" com aqueles direitos todos e sem nenhuns deveres que a imprensa acusa, mas quando se vai ao fundo da questão são outros que se estão a aproveitar e de que forma.XZZZZZZZBjs.

luis manuel disse...

Bom dia
Ao ler o primeiro comentário, tenho oportunidade de me identificar com o que se trata.
Razão que me levará a alterar o que iria para dizer.
E assim, logo de início: a meta é mesmo a denúncia.E, em casos assim, é necessário fazer batota ! Seja de que tipo for.
Estou disponível para partlihar ideias, o que entenderes necessário.
Acredito que não és pessoa de ficar á espera das casas em que há prendas.
Todos sabemos que a vida tem casas com castigos e com prendas, e ai o jogo pode valer.
Em casos destes... os dados e o tabuleiro vão pelos ares !
Espero por informações.
Um abraço

polittikus disse...

Ao telefone nunca te esqueças que estás em Portugal, um país de..... não digo.

Eu disse...

(vou seguir a descrição do polittikus)
pois é, é o tipo de situações de m... que nos f... o juízo.
os c... parece que só atendem o c... do telefone para nos adiarem indefinidamente.
p... do c...!

pronto, "aliviei-me" por ti

;)

Confessionário disse...

Chhiiii. Até a mim me apteceu dizer umas quantas asneiradas... Só não digo por respeito. e ainda não sei de que se trata! É o país em que vivemos. Por causa da ADSL não queiras saber que perdi uma hora e trinat minutos para me resoverem um problema que não resolveram. tb fui recambiado não seiq uantas vezes... Desisti. Paguei o kit e fiquei sem 25 €. Mas que se lix.. ai ai

Anónimo disse...

Passei pelo seu blog e gostei muito do que li e do que vi! caríssima colega embora não sendo políticas, a verdade é que não há quem aguente com o estdo de sítio em que este país vive.
Sinto-me sem esperança e não encontro saídas, apetecia-me gritar, mas também ninguém nos ouve!
um abraço Maria Manuel