16 de junho de 2007

Blogodependente???

Foi o meu amigo Aflores quem me enviou, mas vou dedicá-lo por inteiro à querida Emiéle... :)
Ela não é blogodependente, mas, de todos os blogues que conheço, é a bloguista que mais escreve!
No entanto tem uma diferença enorme em relação ao Daniel Matos do blog to-tracinho-mates!!
É que ela escreve muito bem!




PS: Os Golfinhos estão tristes e impressionados com uma tragédia que aconteceu a um menino que quase todos conheciam.
Podem dar uma forcinha??

10 comentários:

Emiele disse...

:))))))
Desvanecida, sem palavras (estás a ver?) agradecidíssima!

(vou já aos Golfinhos)

Professora disse...

Muito giro

Um abraço

Emiele disse...

Ainda cá volto só para dizer que já provei a mim própria que não sou exactamente blogodependente, nem até mesmo, netdependente. E a prova é que escrevo lá de manhãzinha e depois só passo pelo blog episódicamente. Mas onde quase enfio a carapuça do «boneco» é que realmente tudo (ou quase) de dá ideias para escrever!...

luis manuel disse...

Não é blogodependente... mas torna-nos blogodependentes.
E se dizem que quase ( atenção às escolhas ) todas as dependências trazem prazer, esta é uma delas.
E por causa dela, passa por lá neste caso cá :), tenho um recado para ti...
Beijinhos
Um abraço grande para casa.

aflores disse...

Está o máximo ;)
(In)dependente ou não...por aqui passei para te ler e desejar uma óptima semana :)

SaltaPocinhas disse...

A Emiéle não é blogodependente, mas imagino-a a dizer (ou pensar) "isto dava um post"!
Não é?
Eu também sou assim e o que escrevo não se compara!

Ainda bem que gostaste, professora!

O Flores mandou-me este mail, ele lá sabe porquê! ;)

Olá Luís!
Finalmente apareces com os teus formidáveis comentários!
Tomara o to-mates ter apenas UM comentário assim!!

peciscas disse...

Divertido o vídeo...
Já passei pelos golfinhos a deixar uma palavra de solidariedade.

Espirito da Lua disse...

Gostei,,,esta muito giro;)

Bj Lua

pita-cega disse...

Blogues: a droga do século XXI? Não digo que seja vício mas que o filme é bastante realista, não tenho dúvidas. Afinal sempre existiu aquele "bichinho" da coscuvilhice que levava as pessoas a passar de boca em boca alguma novidade que surgisse (quem conta um conto…). A única coisa que mudou foram os meios para o fazer. O que me leva a perguntar: seremos nós, não os drogados mas as "comadres" da modernidade?

Eskisito disse...

Já passei pelos Golfinhos...triste.